Ano sabático: Como se preparar financeiramente para uma viagem de um ano de duração

Quem nunca sonhou viajar por um ano, para conhecer vários lugares e praticar a atividade de montanha favorita? Quem não nasceu em berço de ouro, e por isso sempre conviveu com a realidade da escassez monetária, parece um sonho muito distante e fora da realidade. Caso a decisão tenha sido tomada sem planejamento, possivelmente a pessoa não terá sucesso neste ano sabático. Entenda por período sabático como o tempo que uma pessoa que tenha uma profissão tira de “licença” (leia como “dar um tempo na vida”) da carreira profissional. Usualmente tira-se um ano.

Esse costume tem relação com a cultura judaica e vem de uma tradição que afirma que a cada sete anos, o religioso deve tirar um ano para recomeçar. A ideia faz parte da forma antiga de exercer o judaísmo. Mas em termos reais, para tirar um ano sabático, o profissional precisa estar preparado para isso. O motivo é até bem simples: A economia internacional é basicamente capitalista e quase todas as nações do mundo praticam hoje alguma forma de capitalismo em escala global. Em outras palavras, para viver sem um emprego e viajando o mundo inteiro é necessário dinheiro.

Dinheiro para comprar as passagens para viajar, para comer, para vestir, para medicar-se, etc. Portanto antes de dispor de saúde, tempo e ideias de locais (ou atividades) é necessário preparar-se financeiramente. Economizar dinheiro para que haja um montante suficiente para ir onde quer que seja. Gerenciar seu dinheiro e viver com um determinado orçamento é a principal mentalidade de quem decide viajar a longo prazo. A pessoa que pretende fazer isso mas não se planeja, muito provavelmente ficará sem dinheiro muito mais rápido do que o previsto.

Algo importante para o planejamento é ter em mente que o dólar é a moeda de referência mundial. Ou seja, todo o planejamento e orçamento devem ser feitos com base nesta moeda. O dólar passou a ser referência em todo o mundo ainda na primeira metade do século XX. Portanto não adianta brigarmos contra a realidade. Todos os preços colocados neste artigo foram pesquisados e são reais.

1º Planejamento: Gastos diretos

Na hora de fazer qualquer planejamento, é imprescindível saber de onde quer sair e para onde ir. Vamos usar um exemplo básico: se um escalador pretende tirar um ano sabático, precisa saber para que lugar irá visitar e como chegará a este lugar.

Supondo neste primeiro exemplo que o escalador deseja conhecer os seguintes lugares:

A partir deste itinerário ele deve planejar o orçamento para se deslocar para o primeiro destino, do primeiro para o segundo, do segundo para o terceiro, e assim sucessivamente até voltar para casa.

Portanto, deve ter a princípio o montante para se deslocar entre estes destinos. O valor deste montante é feito a partir de que tipo de transporte irá utilizar e, mais importante, as datas. Faz parte do planejamento saber quando gastará em transporte.

Entenda por transporte, todo o tipo de deslocamento e não somente a passagem de ida.

  1. Valor transporte de casa até o aeroporto (estação ferroviária ou rodoviária)
  2. Viagem
  3. Valor do transporte do o aeroporto (estação ferroviária ou rodoviária) até o local desejado

Tomando como base o primeiro destino fictício escolhido como exemplo: Patagônia Argentina.

Como a porte de entrada da região é a cidade de Bariloche (onde existem muitos montanhistas), tomemos ela como exemplo (valores em dólares) e feita por avião:

  • Valor transporte de casa até o aeroporto (estação ferroviária ou rodoviária): US$ 1,05
  • Viagem avião até Bariloche: US$ 315,00
  • Valor do transporte do o aeroporto (estação ferroviária ou rodoviária) até o local desejado: US$ 1,05

Portanto, se a ideia é ir somente a Bariloche, o valor a ser colocado no orçamento do ano sabático é US$ 317,10.

Visual da entrada do Cajon com a Piedra Parada e o Rio Chubut ao fundo. Foto: Alex Krupka

Esta linha de pensamento deve ser usada para todos os destinos visitados.

  • De Bariloche a Valle de Los Condores
    • Passagem ônibus de Bariloche a Pucon (Chile): US$ 33,00
    • Passagem ônibus Pucon a Talca: US$ 48,00
    • Taxi Talca a Vale de Los Condores: US$ 100,00
  • Valor total: US$ 181,00
  • De Valle de Los Condores a Santiago do Chile
    • Taxi Vale de Los Condores a Talca: US$ 100,00
    • Passagem ônibus Talca a Santiago: US$ 30,00
  • Valor total: US$ 130,00
  • De Santiago para Cordillera Blanca (Huaraz)
    • Passagem ônibus de Santiago a Lima (Peru): US$ 170,00
    • Passagem ônibus de Lima a Huaraz: US$ 10,00
  • Valor total: US$ 180,00
  • Da Cordillera Blanca a Lima
    • Passagem ônibus de Lima a Huaraz: US$ 10,00
    • Passagem ônibus de Santiago a Lima (Peru): US$ 170,00
  • Valor total: US$ 180,00
  • De Lima para Rodellar (Espanha)
    • Taxi até aeroporto Lima: US$ 20,00
    • Passagem de avião de Lima a Barcelona (Espanha): US$ 1.100,00
    • Trem de Barcelona a Huesca: US$ 40,00
    • Taxi de Huesca a Rodellar: US$ 70,00
  • Valor total: US$ 1.230,00

  • De Rodellar a Leonídio (Grécia)
    • Taxi de Rodellar a Huesca: US$ 70,00
    • Trem de Huesca a Barcelona: US$ 40,00
    • Trem até aeroporto Barcelona: US$ 7,00
    • Passagem de avião Barcelona a Atenas (Grécia): US$ 300,00
    • Transporte do aeroporto até rodoviária: US$ 15,00
    • Onibus de Atenas até Leonídio: US$ 45,00
  • Valor total: US$ 477,00
  • De Leonídio a São Paulo (Brasil):
    • Onibus de Leonidio até Atenas : US$ 45,00
    • Transporte da rodoviária ao aeroporto: US$ 15,00
    • Passagem de avião Atenas a São Paulo: US$ 1.800,00
  • Valor total: US$ 1.860,00

Portanto, somente de transporte para uma viagem de ano sabático, que em teoria deveria durar 365 dias, seria necessário reservar um montante de: US$ 4.555.

Na data da publicação deste artigo equivale a um montante de R$ 18.961,95.

2º Planejamento: Gastos indiretos

Por mais clichê que pareça, para controlar os gastos indiretos o segredo é economizar e levar o máximo de dinheiro possível. Mas antes, uma pergunta é válida: o que são gastos indiretos?

Entenda por gastos indiretos todos aqueles que podem economizar no seu dia a dia. São eles: comida, alojamento e transporte coletivo dentro das cidades. Considere indireto por em algumas situações, às vezes, trocar hospedagem ou comida por alojamento ou trabalho. Dependendo do lugar, pode dormir em um camping gratuito (como no caso do Valle de Los Condores e em alguns lugares da Patagônia Argentina, como em Piedra Parada). Como não é uma regra e depende muito da situação, deve ser encarado como uma exceção. Ou mesmo um golpe de sorte, que estica ainda mais o orçamento.

Há vários albergues e hostels que troca hospedagem por trabalhos. Portanto, para uma viagem assim, considere que irá ter de trabalhar limpando banheiros, arrumando camas, lavando louças e até mesmo carregando bagagens dos outros.

Você nunca sabe quando terá uma despesa repentina e grande, ou se tiver uma emergência, que exija que desembolse mais dinheiro do que o esperado. Há muitas maneiras de começar a economizar para sua viagem de longo prazo e haverá dicas e truques que funcionam para você e outras que não. Portanto leve em consideração que não terá muita “sorte inacreditável”. Para sair para um ano sabático é importante não contar com a sorte ou mesmo acreditar que Deus gosta mais de você que os outros e irá facilitar tudo. A vida não funciona desta maneira.

Como definir uma quantia básica é o objetivo deste artigo, faremos uma medida estabelecida para que um montante básico seja definido. O primeiro é quanto à alimentação. Para um ano sabático, é necessário planejar-se sem comer nenhuma vez em restaurantes, nem frequentar baladas e nem mesmo permitir-se luxos como bebidas alcoólicas e drogas recreativas. Por que? Porque o dinheiro deve durar um ano e economizar é a palavra de ordem.

Portanto, considere que você irá comer comida cozinhada por você. Portanto, deverá ir ao supermercado todos os dias que puder e comprar somente os itens básicos para um determinado período. Para efeito de cálculo, consideremos que terá esta seguinte rotina:

  • Café da manhã
    • Taça de café (160 ml) – Consome 3 colheres de pó de café (1 colher de sopa cheia de café contém aproximadamente 8 gramas)
    • Pão com manteiga – (considere que a passada de manteiga é de 12 gramas)
  • Almoço
    • Sanduíche com alguma proteína (presunto, mortadela, jamón ou queijo)
      • 2 fatias = 40 g
  • Jantar
    • 250 gramas de macarrão
    • Molho 350 gramas com proteína

O menu acima é somente para uma estimativa e não necessariamente uma previsão obrigatória. Portanto, os valores, em dólares, seriam os seguintes por dia.

  • Pó de café 500 gramas: US$ 3,50.
    • Em um ano gastaria em torno de 17 pacotes de 50 granas de café em pó: US$ 59,50
  • 2 pães franceses 50 gramas: US$ 0,30
    • Em um ano gastaria em torno de US$ 109,00
  • Pacote manteiga 500 gramas: US$ 7,20
    • Em um ano gastaria em torno de US$ 62,00
  • 1 kg de mortadela: US$ 4,07
    • Em um ano gastaria em torno de US$ 59,42
  • Pacote de macarrão 500 gramas: US$ 1,05
    • Em um ano gastaria em torno de US$ 191,63
  • Molho bolonhesa 350 gramas: US$ 0,80
    • Em um ano gastaria em torno de US$ 29,20

Portanto, somente com alimentação no menu proposto, seria o montante aproximadamente de US$ 510,75. Claro que em alguns albergues e hostels há café da manha (que ja vem embutido no preço). Mas os locais mais baratos não fornecem café da manhã. Mesmo que no local que ficar hospedado tenha café da manhã, encare como uma economia para que possa comer melhor no almoço ou jantar com aquele montante economizado no dia. Não pensem em gastar economias futuras.

Para alojamentos, o valor é ainda mais incerto. Mas consideremos que em pelo menos 40% do tempo dormirá em albergues e hostels, sobretudo na Europa. O hostel serve como acomodação compartilhada, na qual os clientes dividem o quarto, a sala, o banheiro e a cozinha com outras pessoas e pagam mais barato por isso.

Muita gente confunde o conceito de hostel com albergue e há até quem considere que os dois são sinônimos. Os conceitos são bem parecidos. Entretanto o albergue é mais simples e com infraestrutura menos “caprichada”.

O preço destas hospedagens preço varia muito, mas o valor médio é de US$ 30,00. Portanto como 40% do tempo será gasto em albergues, o valor reservado para 6 meses de albegue/hostel é de US$ 4.380.

O preço final

Somando todos os valores obtidos neste planejamento básico de um ano sabático obtemos o seguinte valor: US$ 9.445,77 (no dia da publicação deste artigo o nomante aproximado em reais é de R$ 39.329).

O valor pode ser colocado em um travel card, um cartão pré-pago internacional, recarregável, protegido por senha e que pode ser utilizado para saques e débitos, em qualquer lugar do mundo.

Quem já possui emprego, até consegue economizar este montante por um período razoável. Uma alternativa interessante é verificar a possibilidade de conseguir tirar uma licença não remunerada, sem precisar se demitir de onde trabalha. Esse é um benefício que grandes companhias oferecem aos seus executivos.

Como o valor é quase igual a de um carro, uma alternativa interessante é também vendê-lo.

Há quem também acaba vendendo todas as coisas que possui e que não usa, como mochilas, barracas, roupas, sapatos, eletrônicos e etc. Há sites especializados no Brasil que ajudam neste tipo de desapego (que ajudam na economia de uma viagem de ano sabático). O trabalho em serviços temporários, como monitores de academia, ajudante de restaurantes, lavadores de pratos, ajudante de albergues, etc, também são boas opções para economizar e também se acostumar com algumas tarefas que poderá neste ano sabático realizar.

Caso queira algo mais moderno, atualmente no Brasil há diversos bancos digitais e agências de investimentos. Nessas agências é possível fazer simulações de pagamentos para um montante igual ao exigido para uma viagem de ano sabático.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.