A história de competições de escalada

A escalada esportiva foi promovida a esporte olímpico em 2014, durante uma reunião do Comitê Olímpico Internacional, que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro. Portanto, a partir disso, a escalada será uma atração para os Jogos Olímpicos do Japão 2020.

A notícia foi dada em primeira mão à época pela Revista Blog de Escalada, que acompanhou toda a reunião, que durou cerca de três horas. Neste ano, o comitê local dos jogos olímpicos de Paris 2024 reiterou a participação da escalada esportiva. Além disso abriu-se a possibilidade para a modificação do “formato olímpico”, fortemente criticado por escaladores profissionais.

Todos os bastidores da política que fez com que a escalada esportiva fizesse parte das Olimpíadas de Tóquio 2020 (além de já ter estreado nos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires 2018), pode ser lido em um artigo exclusivo aqui na Revista Blog de Escalada. No artigo há detalhes dos motivos que fizeram a International Federation of Sport Climbing (IFSC) ser criada a partir do Union Internationale des Associations d’Alpinisme (UIAA), que optou apenas por organizar as competições de escalada em gelo

Porém, como foi a história das competições em si (excluindo a parte política citada acima), como foi a evolução de tudo?

Era uma vez o Sport Roccia

Fotos das primeira competição Sport Roccia | Foto: http://www.parcoavventuraorma.it/

O início de tudo foi a evolução das paredes artificiais de escalada. Com o aparecimento dos ginásios de escalada, criou-se a oportunidade de também organizar competições do esporte. As competições serviriam para que atletas de um esporte até então desconhecido, pudessem desfrutar de patrocínios.

Além disso as localidades onde são realizadas as competições, poderiam organizar eventos e impulsionar o turismo local. Foi o início da escalada esportiva como negócio e da abertura de inúmeras possibilidades de exploração comercial. A intenção de insistir na criação de uma “nova” modalidade esportiva é que muitos escaladores já consagrados estavam próximos dos 30 anos e eles gostariam de obter um sustento a partir das atividades que exerciam.

Tudo começou em 1985, mais precisamente em Bardonecchia, cidade italiana da região do Piemonte, província de Turim. Na época Andrea Mellano, membro do Club Alpino Italiano (CAI) e Emanuele Cassarà, jornalista esportivo italiano, buscaram reunir um grupo dos melhores escaladores da época para um evento chamado Sport Roccia, realizada em uma falésia em Valle Stretta.

Stefan Glowacz. e Patrick Edlinger | Foto: http://www.parcoavventuraorma.it/

Valle Stretta foi a primeira competição organizada da história. Os organizadores, ainda sem saber direito o que promover, colocaram os competidores para disputarem as vias guiando em uma parede natural. A vitória foi do escalador alemão Stefan Glowacz. O que chamou mais a atenção dos organizadores, entretanto, foi a maciça presença de público. A audiência, como em todo esporte ou evento cultural, é o que possibilita a transformação daquilo em um negócio rentável.

Por este motivo que os organizadores resolveram repetir a dose no ano seguinte, 1986, mas em outro lugar: Arco di Trento. Este foi o segundo Sport Roccia. O título da competição ficou com os franceses Patrick Edlinger, no masculino, e Catherine Destivelle, no feminino.

De acordo com as informações dos organizadores à época, mais de 10.000 pessoas compareceram às competições para assistir as provas. Além disso, o evento teve cobertura televisiva para sete estações de televisão europeias.

Federações assumem as competições

Devido ao sucesso das competições de escalada, em 1986 (mesmo ano do segundo Sport Roccia) a Federação Francesa dos Clubes Alpinos e de Montanha (Fédération française des clubs alpins et de montagne – FFCAM ) organizou o primeiro evento indoor em um ginásio da história. O local escolhido foi Vaulx-en-Velin, uma localidade que fica subúrbio de Lyon, cidade francesa localizada na região dos Alpes e fica no meio do caminho entre Paris e a Provence (região no sudeste da França que faz fronteira com a Itália). Houve novamente grande presença de público e um interesse grande por parte de escaladores.

O futuro potencial para a escalada esportiva ficou evidente, quando todos os escaladores começaram a mostrar interesse por esta nova modalidade do esporte. Houve um grupo de escaladores puristas que torceram o nariz na época, mas acabaram aceitando com o tempo. Na mesma época, os ginásios de escalada começaram a aparecer na Europa, influenciando fortemente no estilo e graus dos escaladores esportivos.

No final da década de 1990, FFCAM e Paul Brasset lideram um movimento para convencer a UIAA a reconhecer oficialmente o circuito competitivo de escalada esportiva, o qual cresceu substancialmente com a inclusão na World Series em 1988 e a primeira Copa do Mundo em velocidade e vias guiadas em 1989.

Como resultado, Paul Brasset criou uma nova organização dentro da própria UIAA (formada pelo CEC e CICE), a qual era responsável pelo treinamento de funcionários (juízes e precursores) e pela criação das regras de competição. Este foi o embrião de uma associação voltada somente para competições.

Década de 1990

Robyn Erbesfield Raboutou

No início dos anos 1990, vários eventos de grande envergadura foram organizados em todas as principais partes da Europa, assim como no Japão e nos EUA. Durante esses anos, foi decidido que os eventos internacionais seriam realizados apenas em paredes artificiais, a fim de eliminar qualquer impacto ambiental.

O primeiro Campeonato Mundial foi organizado em Frankfurt, Alemanha, em 1991 em um evento que atualmente ocorre a cada dois anos. No ano seguinte, vendo a necessidade de criar a nova geração de escaladores e consolidar o esporte, além tornar o negócio sustentável, o primeiro Campeonato Mundial Juvenil aconteceu em Basileia, na Suíça. A grande participação de atletas no evento demonstrou como a escalada esportiva estava se tornando popular, especialmente com os mais jovens.

Próximo do final dos anos 1990, mais precisamente em 1997, uma nova estrutura organizacional foi criada dentro da UIAA, o ICC (Conselho Internacional de Escalada de Competição). A nova estrutura organizacional tinha como objetivo garantir autonomia suficiente ao esporte, além de fornecer as condições necessárias para o crescimento e desenvolvimento. Sim, o UIAA na época apoiou as competições de escalada.

Parte deste apoio do UIAA veio no ano seguinte da criação do ICC. A modalidade de boulder foi oficialmente apresentada como uma nova disciplina de escalada. Uma competição para testes foi organizada e batizada de Top Rock Challenge. Como o boulder era a modalidade dos jovens e em plena ascensão, o sucesso foi estrondoso, fazendo com que várias marcas resolvessem investir no patrocínio da competição, o que levou à criação da Copa do Mundo em 1999.

A Copa do Mundo, ao contrário do Campeonato Mundial (que acontece a cada dois anos), foi concebida para ser organizada em várias etapas. Cada etapa seria realizada em um país diferente e, ao final da temporada, seriam consagrados os atletas que fizessem mais pontos. Ou seja, em outras palavras, o ranking da Copa do Mundo de Escalada foi criado em 1990.

Criação do IFSC e consolidação da modalidade

A escalada continuou a crescer, e já contava com mais de 45 países participando regularmente de eventos oficiais do calendário. Já fazia parte do calendário de competições: Campeonato Mundial (Juventude e Europeu), Copas do Mundo, circuitos continentais europeus, bem como outras competições internacionais de alto nível.

No ano de 2005 e escalada esportiva foi incorporada aos eventos dos Jogos Mundiais de Duisburg. Os Jogos Mundiais de 2005 foram a sétima edição do evento que reúne esportes reconhecidos pelo Comitê Olímpico Internacional, mas que não fazem parte do programa olímpico. O evento contou com 38 esportes.

No mesmo ano, a escalada fez parte dos Jogos Asiáticos de Recinto Coberto, um evento multi-esportivo que foi disputado a cada dois anos entre atletas representando países da Ásia. A competição consistia em esportes de quadra com potencial de transmissão de TV, alguns dos quais não estão incluídos nos Jogos Asiáticos e nos Jogos Asiáticos de Inverno, mas não são esportes olímpicos.

O Asian Indoor Games de 2009 seria a última edição dos jogos. Mais tarde o evento foi transformado em Asian Indoor and Martial Arts Games.

Foto: IFSC/Forrest Liu

Em 2006, a UIAA decidiu terminar sua governança de escalada esportiva. Ao contrário do que muitos falaram depois, a entidade máxima do montanhismo apoiou a criação de uma federação internacional independente para administrar a escapada esportiva. Foi assim que em 27 de janeiro de 2007, em Frankfurt, Alemanha, 57 Federações internacionais fundaram a International Federation of Sport Climbing (IFSC). Os estatutos e regras, bem como os regulamentos da nova Federação Internacional foram aprovados por unanimidade. Desde então a IFSC incentiva uma maior profissionalização das entidades filiadas.

No dia 28 de abril de 2007, a Assembleia Geral da Association International Sports Federations (AGFIS) aceitou o IFSC como novo membro. Algumas semanas depois, a International World Games Association (IWGA) também aceitou o IFSC, confirmando o lugar da escalada nos Jogos Mundiais de Kaoshiung em 2009.

Foto: IFSC/Forrest Liu

Mais tarde, no mesmo ano, mais precisamente em 10 de dezembro de 2007, o Comitê Olímpico Internacional (COI) concedeu reconhecimento provisório ao IFSC, acolhendo a escalada esportiva no Movimento Olímpico. O número de membros do IFSC chegou a 80 países e já se espalhava pelos cinco continentes. Na América as entidades de montanhismo chegaram a reclamar da falta de apoio do IFSC, o que não corresponde com a realidade. O que o IFSC sempre incentivou foi a profissionalização da organização de eventos esportivos, o que não foi entendido pelas federações de montanhismo.

A partir disso, a escalada de competição foi promovida a esporte olímpico em 2016, para participar dos Jogos Olímpicos do Japão em 2020. A estreia da escalada como esporte olímpico foi nos Jogos Olímpicos da Juventude 2018, que aconteceram em Buenos Aires.

Além disso, o Comitê Olímpico Local da França 2024, também selecionou a escalada esportiva, para participar. Serão duas olimpíadas seguidas que terá a escalada esportiva e a expectativa é que seja incorporada para acontecer de maneira recorrente.

Comente agora direto conosco

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.