Zika Virus: Como ele pode impactar a atividade de quem viaja e como prevenir

Se há algum assunto discutido exaustivamente atualmente, dentro e fora do Brasil, é sobre o Zika Virus.

Mas se você está planejando a viajar em qualquer lugar da América Latina, saiba que estão listados 30 países com alto risco de contaminação.

Primeiramente este artigo não tem como objetivo apontar o(s) culpados(s) da proliferação do mosquito transmissor, assim como se poderia, ou não, ter sido prevenido em um passado recente.

Nem tampouco tem o objetivo de ser alarmista, nem espalhar pânico entre as pessoas. Isso porque no momento não é uma boa oportunidade de ter pânico, mas sim cada cidadão fazer sua parte para erradicar este surto.

A primeira regra é estar atento a detalhes, e não histérico como se fosse uma invasão zumbi, o que não é, obviamente, o caso.

Indiscutivelmente é de um nível de temerosidade alto a proliferação deste vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, e que se prolifera nos locais onde há acúmulo de água (suja ou limpa).

Por isso é importante não deixar recipientes (garrafas, pratos, pneus e etc) expostos à chuva, além de tapar caixas d’água e piscinas.

Foto: http://www.wikiwand.com/pt/V%C3%ADrus_Zika

Foto: http://www.wikiwand.com/pt/V%C3%ADrus_Zika

O Ministério da Saúde do Brasil recomenda até mesmo a instalação de telas de proteção em janelas, portas e elementos vazados, além do uso de repelentes.

Antes mesmo que alguém acredite que a recomendação de uso de repelentes é para enriquecer a indústria químicas, há vários repelentes naturais que podem ser fabricados de maneira caseira e que são igualmente eficientes (veja como fazer repelentes caseiros aqui).

Mas os repelentes devem ser usados junto uma série de medidas, e não como uma ação única.

Por que tanto temor?

Um dos motivos é que, mesmo não comprovado cientificamente, há fortes indícios de que este Zika Virus provoque microcefalia nos bebês de mulheres grávidas.

Uma eventual vacina para este vírus, caso seja desenvolvida, estará disponível em pelo menos três anos, e até lá o mais importante é prevenir e procurar diminuir a incidência a níveis próximos de zero.

Praticando sua atividade de natureza

Mapa da distribuição do Aedes aegypti ao redor do mundo (em tons vermelhos) | Foto: http://www.wikiwand.com/pt/V%C3%ADrus_Zika

Mapa da distribuição do Aedes aegypti ao redor do mundo (em tons vermelhos) | Foto: http://www.wikiwand.com/pt/V%C3%ADrus_Zika

Faz parte da vida de quem pratica qualquer atividade de natureza viajar a lugares onde a civilização ainda não esteja presente de maneira maciça. Estes mesmos lugares há grande possibilidade que haja uma grande quantidade de pessoas que não estão em estado de alerta como algumas cidades do mundo.

Foi listado pela Organização Mundial de Saúde um alerta no qual listou pelo menos 30 países que estão em estado de alerta.

O mosquito, que se prolifera em locais de climas quentes encontrou na América Central e Sulo ambiente perfeito para proliferar-se.

Ou seja: Mesmo viajando para um lugar como Quito, Lima, Buenos Aires, Bariloche ou Santiago do Chile há o risco de contrair o Zika Vírus.

Se você planeja praticar a sua atividade de natureza em QUALQUER lugar da América Latina, é obrigação sua que se previna, e que oriente as pessoas à sua volta para fazer o mesmo.

O que é o Zika Vírus

O Zika Vírus é transmitido através da picada do mosquito Aedes aegypti, causando a doença conhecida como febre Zika a qual raramente acarrete complicações para seu portador, apresenta indícios de poder causar microcefalia congênita (quando adquirido por gestante, afetando o feto ).

É relacionado aos vírus da dengue, da febre amarela, da encefalite do Nilo e da encefalite japonesa.

Aedes_aegypti

Suspeita-se que a entrada do vírus no Brasil tenha se dado durante a Copa do Mundo de 2014, quando o país recebeu turistas de todo o mundo, inclusive de áreas atingidas pelo vírus como a África (onde surgiu) e a Ásia.

Aproximadamente 80% das pessoas infectadas não desenvolvem manifestações clínicas, e nos casos em que há manifestação eles costumam incluir:

  • Dores de cabeça leves
  • Febre baixa
  • Mal estar
  • Dores leves nas articulações
  • Conjuntivite
  • Coceira
  • Exantema maculopapular (erupção cutânea que não se eleva acima da superfície da pele) que desaparecem espontaneamente após 3 a 7 dias.

No ano de 2009 foi provado nos EUA pela Colorado State University cientificamente que o Zika vírus pode ser sexualmente transmitido entre humanos.

Como se prevenir

Foto: http://www.gazetadopovo.com.br/

Foto: http://www.gazetadopovo.com.br/

As formas conhecidas atualmente para a prevenção contra a febre Zika são as mesmas da Dengue (que já deveriam ter sido tomada por todos):

  • Eliminação do criadouro do mosquito do gênero Aedes (Aedes aegypti)
  • Destino adequado de lixo, entulho, recicláveis e reutilizáveis ( para evitar água parada)
  • Limpeza de objetos expostos tais como vasilhames de alimentos de cães e gatos
  • Utilizar areia em vasos de plantas impede que se formem películas de água parada
  • Usar filtros nos ralos dos banheiros e quintais
  • Utilizar repelentes e vestuários que protejam os membros inferiores
  • Evitar abrir janelas ao amanhecer e ao anoitecer
  • Plantar citronela nos arredores do ambiente
  • Fazer vistoria diária nos locais de possíveis criadouros, para que não se tornem focos
  • Acionar a vigilância ambiental de sua cidade, nos casos de criadouros em ruas com bueiros entupidos, sarjetas, e buracos na rua.
  • Ao se considerar, mesmo que não provado cientificamente, que o Zika Virus provoca microcefalia orienta-se o uso de métodos contraceptivos em períodos de epidemia.
Foto: http://www.pinhal.sp.gov.br

Foto: http://www.pinhal.sp.gov.br

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

There is one comment

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.