Livro da semana: “Wolfgang Gullich: A Life in the Vertical” – Wolfgang Gullich

Todo esporte possui ícones insuperáveis e que superaram qualquer obstáculo com imensa facilidade, atingindo a excelência máxima tornando-se, inclusive, sinônimos de qualidade e adjetivos: Pelé no futebol, Michael Jordan no basquete, Martina Navrátilová no tênis, Reinhold Messner no montanhismo e Wolfgang Gullich na escalada esportiva.

É quase impossível não falar o nome de Wolfgang Gullich quando o assunto é escalada esportiva. Apesar de pouco falado nos dias de hoje (ou pelo menos não na quantidade que mereça), o escalador alemão era uma verdadeira lenda viva e até os dias de hoje influencia a maneira que as pessoas treinam escalada. Sua more prematura, em um acidente automobilístico em 1992 quando tinha 32 anos de idade, quando estava no auge da sua forma física, até hoje é lamentada por grandes nomes da escalada e treinamento de atletas.

Foto: http://www.sloclimbing.com/

Poucas pessoas sabem, mas no mesmo ano de sua morte, Wolfgang Gullich escreveu uma autobiografia, com algumas edições em outras línguas como inglês e espanhol, que foi avidamente consumida postumamente pela comunidade de escalada. O livro “Wolfgang Gullich: A Life in the Vertical” é uma espécie de documento vivo de uma pessoa que vivia uma realidade à parte da sociedade à época.

Durante sua carreira, iniciada aos 14 anos, Wolfgang Gullich inaugurou vários graus de escalada, os quais eram considerados o limite do ser humano. Para se ter uma idéia, foi o escalador alemão que “inaugurou” cada degrau de dificuldade acima de 8b francês (10b brasileiro) no seu lugar favorito: Frankenjura. Junto de outro alemão, o também icônico Kurt Albert, marcou a escalada esportiva mundial para sempre.

Quando iniciou na escalada, os próprios professores afirmavam que Wolfgang Gullich nunca foi principiante, dada a segurança que se movia quando escalava. Um escalador nato. No livro, várias escaladas são lembradas, mas a mais icônica de todas é o destaque. Em 1991 Gullich estabeleceu o primeiro 9a francês (11c brasileiro) do mundo na via “Action Directe”. A via possui 12 metros em uma inclinação de 45°, com vários monodedos e pinças que o escalador finalizou em 70 segundos. Uma semana antes desta conquista, o alemão tinha casado com a enfermeira Annette Favery.

Wolfgang Gullich foi o responsável por vários “graus novos” de dificuldade. Com exceção do primeiro 8c+ francês (11b brasileiro) do mundo (este encadenado por Ben Moon), o alemão encadenou os primeiros 8b (“Kanal im Rücken” em 1984), 8b+ (“Wallstreet” em 1987) e 9a (“Action Directe” em 1991). É creditado ao alemão a invenção do campus board, para a preparação da cadena de “Action Directe”.

Logo após ter sido o dublê do filme “Rico Total”, com Sylvester Stallone, Wolfgang Gullich tinha vários convites e projetos para livros, filmes e escaladas. Viajando para a cidade de Munique para uma entrevista em uma estação de rádio, em agosto de 1993, seu carro fica desgovernado e sai da estrada, deixando-o bastante ferido. A maior lenda da história da escalada morre dois dias depois.

“Wolfgang Gullich: A Life in the Vertical” é, portanto, um documento único e de valor inestimável sobre a personalidade e pensamentos de um revolucionário da escalada esportiva.

Ficha Técnica

  • Título: Wolfgang Gullich: A Life in the Vertical
  • Autor: Wolfgang Gullich
  • Edição: 1ª
  • Ano: 1992
  • Número de páginas: 144
  • Editora: Menasha Ridge Press Inc.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.