Viagem à Argentina para escalar 3 – Como adquirir moeda local?

Parece  desnecessário afirmar algo tão obvio mas para o viajante que nunca deixou o país pode não saber:

  • Para realizar qualquer tipo de ação em uma viagem aos estrangeiro é necessário ter em mãos a moeda local.

Por mais simpático, gentil, engraçado, voluptoso e educado que seja o cliente estrangeiro não irá conseguir fazer nada fiado.

Pode  insistir com suas moedas de um real (ou um euro se estiver lendo de Portugal), mas não irá conseguir tomar ônibus, ou até mesmo beber um café.

Em alguns lugares do mundo é até mesmo realizar transações comerciais com moeda estrangeira.

Uma observação importante que se deve fazer para quem vive no Brasil:  culturalmente o povo argentino não usa extensivamente cartão de crédito ou débito.

Por este motivo a quantidade de transações e compras feitas em moeda em espécie é gigante.

Portanto é muito comum empresas de ônibus, albergues, hotéis, restaurantes, bares e supermercados somente aceitarem pagamento com dinheiro em espécie.

Mesmo portando “traveler card” os locais não fazem transação com eles.

Este tipo de cartão serve APENAS para que você saque o dinheiro local no país.

Uso de Dólares

Uma prática comum a todo viajante é comprar moeda americana para trocá-la no exterior.

Para o mais desavisado  um aviso: Argentina está com restrições duras para a compra e venda de moeda americana desde o ano de 2012.

A presidente Cristina Kishner tem feito várias ações para dificultar o comércio de dólares no país.

Para os viajantes mais capitalistas pode parecer ser uma “ótima oportunidade” de negócio vender dólares no câmbio negro por haver um verdadeiro abismo separando o preço oficial imposto pelo governo argentino, do pago no mercado paralelo.

Existem os mais “espertinhos” que pensam em levar dolares para nas lojas ter um desconto considerável na compra de equipamentos.

Quem fizer esta escolha fique atento às autoridades argentinas que estão fiscalizando rigidamente a venda de dólares e a prática de lavagem de dólares nas lojas.

Caso tenha problemas por ter tomado esta atitude irresponsável sua viagem certamente acabará no instante que for enquadrado pelas autoridades.

Por enquandramento entenda : ser preso sem direito a ser deportado por crime contra a soberania nacional argentina.

Portanto já saia de casa tendo em mente que será difícil comprar dólar dentro da Argentina.

Até mesmo trocar Reais por dólares está sendo vigiada de perto pelas autoridades.

Há, claro, a opção de comprar Pesos argentinos com a moeda oficial de seu país de origem.

Casas de Câmbio

NUNCA compre na casa de câmbio que existe dentro da sala de desembarque e retirada de bagagens no aeroporto de Ezeiza.

A taxa de câmbio praticada neste local é praticamente de R$ 1,00 = ARG$1,00.

No saguão do aeroporto de Ezeiza e Aeroparque há uma casa de câmbio com um preço mais perto da realidade (porém ainda assim é caro)  e em uma emergência é uma excelente opção.

Na capital Buenos Aires a maioria das casas de câmbio estão na “Calle Florida”, localizada no centro da cidade.

Em Bariloche não há casas de câmbio no pequeno aeroporto da cidade, e o mais indicado é procurar uma casa de câmbio (uma das poucas, senão a única) que fica próximo ao centro cívico da cidade.

Neste local há sempre uma fila extensa , portanto esteja preparado para exercitar a sua paciência.

Fique atento ao detalhe que poucas casas de câmbio na Argentina aceitam moedas metálicas para troca, mesmo que cada unidade tenha valor de muitos pesos.

Por isso  se planeja levar um saco de moedas irá carregar peso à toa.

Deixe para usar moedas para presentear as pessoas que fizer amizades nestas viagens.

Antes de sair de viagem verifique a taxa de câmbio existente entre sua moeda e o Peso argentino.

Este tipo de dado será muito importante para que saiba se está sendo passado enganado ou pagando um preço justo.

Um peso argentino vale APROXIMADAMENTE R$ 0,44 (ou ARG$ 2,27).

Caixa Eletrônico

Uma excelente opção para adquirir pesos argentinos é fazer uma retirada em um caixa eletrônico.

Alguns bancos (como o Citibank e Itaú) permitem que seu cliente saque em um caixa eletrônico próprio cobrando apenas a taxa de conversão oficial do mercado.

Porém para realizar a transação deve o cliente ir à uma agência e utilizar o caixa eletrônico da própria bandeira.

Para quem possui cartão internacional de qualquer banco que tenha a bandeira “Cirrus” ou “Visa Electron” pode também sacar dinheiro em moeda local.

A taxa de retirada é de aproximadamente R$15,00 por saque, independente do valor.

Um preço “salgado” que somente vale a pena para saques no maior valor possível.

Uma outra restrição a este tipo de operação: o valor permitido para um limite diário de aproximadamente 350 pesos argentinos.

MUITO IMPORTANTE: saques com Cirrus ou Visa Electron somente pode ser feito em bancos que possuem a identificação “LINK”.

Na Argentina existem dois tipos de rede de saques em caixas eletrônicos: “Banelco” e “LINK”.

Apenas a “LINK “que fornece este tipo de opção para saque em caixas eletrônicos em moeda local.

Como regra geral, qualquer agência do “Banco de La Nacíon Argentina” possui comunicação “Link” com as bandeiras citadas acima.

Na Argentina existem agências do banco “Santander Río” que embora tenha o mesmo nome, não reconhece as contas das agências do Santander do Brasil ou Espanha.

Em outras palavras o banco Santander da Argentina não é integrado com os bancos Santander Brasileiro ou espanhol

O mesmo acontece com o banco Patagonia que foi recém-adquirido pelo Banco do Brasil e o saque com taxa de câmbio do mercado não é disponibilizado aos clientes.

 Cartão de Crédito

O cartão de crédito internacional é aceito em muitos estabelecimentos comerciais na Argentina, mas nem todos estão preparados com máquinas de chip.

Por conta deste pequeno detalhe pode ser que seu cartão não seja aceito.

Caso pretenda usar extensivamente seu cartão de crédito, verifique se há faturas em atraso e se o limite está dentro de seus planos.

Apesar de funcionar para a população argentina, a opção de parcelamento de compras no seu cartão não está disponível para você.

Como é um comprador internacional, muito provavelmente não será aceito na hora de realizar as suas parcelas.

Na Argentina é obrigatório apresentar documento de identificação para o uso de seu cartão de credito, e a exigência de assinatura de seu cartão idêntica à de seu documento apresentado.

Mesmo que o local seja de pagamento com cartão de chip, mesmo que tenha digitado a senha certa, e mesmo que o pagamento tenha sido efetivado você terá de assinar o recibo e mostrar o documento.

Caso sentir-se constrangido com esta exigência pague com dinheiro, não tente argumentar.

Mesmo que tenha domínio total do idioma espanhol.

Este tipo de prática é a padrão existente no comércio do país e é exigido por lei argentina.

Não deixe também de avisar seu banco, ou sua operadora ANTES de viajar, para não ter surpresas desagradaveis.

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

There are 4 comments

  1. Ricardo Ruben

    Oi Luciano. Muito bom o site, Obrigado. só adicionar que moro na Argentina e muito do que esta neste artigo ficou desatualizado. No caso que algum colega brasileiro esteja afim de viajar para Arg, varias recomendacoes acho que nao sao validas.
    Fica valido e muito importante que a moeda de uo legal é o Peso (Argentino). Nenguem esta obrigado a aceitar outra moeda.
    O pagamento eletronico é valido na maioria das lojas, hoteis, restaurants de nivel meio para acima. As pequenhas podem nao ter a “POS”/leitora.
    O cartao com chip é aceito, so que nao utilizara o chip mas a fita magnetica padrao.
    No momeno de trocar dinehiro, seja real ou dolar para peso, o oficial é ir para casa de cambio oficial.
    Elas vao a pagar o real ou dolar a cotacao oficial do pais. Lembrar que cada cotacao tem dois valores, compra e venda pois normalmente, nao tem taxa como no Brasil.
    Porem tem casas de cambios nao oficiais que operam o mercado paralelo ou “blue”. Eles pagam mais por dolar ou real. O risco nao é tanto ser preso como voce indica, mas receber notar falsa ou ser convidado a ir a algum apartamento ou loja muito oculta onde pode ser roubado.
    Muitas delas estao na “Calle Florida” pois é onde o turismo va. As casas de cambio oficial estao 2 ou 3 blocos indo para o Puerto Madero. Aí é onde esta o “centro financiero”

    Tambem acho que esta errado o uso de cartao de debito. O meu cartao Visa do Bradesco funciona perfeitamente no Banelco, mas nao no Link.

    Um abraco e valeu pelo site.

    1. Luciano Fernandes

      Oi Ricardo

      Obrigado pela sua mensagem. Este artigo eu escrevi quando viajei em 2008/2009. OU seja, algumas coisas mudaram sensivelmente, especialmente porque regras do governo argentino, assim como o brasileiro mudaram neste tempo.

      As dicas de trocar dinheiro na Argentina, entretanto, continuam relativamente atuais. Especialmente na Calle Florida onde é possível encontrar um câmbio negro razoável.

      Porém maioria das dias é para quem vai viajar de mochileiro e escalador na Argentina. Mais especificamente em lugares como Bariloche, que é mais complicado de ter facilidades como há em Buenos Aires.

      Na época era uma novidade cartões com chip também no Brasil. Hoje até mesmo cartões de ticket restaurante possuem cartões com chip no Brasil.

      Valeu pela mensagem e visite sempre,

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.