Uso de Cordeletes – Saiba como é o nó correto para o fechamento do anel

Um dos equipamentos mais versáteis, e úteis, na escalada é o cordelete. Cordeletes são cordas auxiliares mais finas, utilizadas em uma série de ocasiões e possibilidades na escalada, desde montar uma parada, montar o backup no rapel ou fazer ascensão em corda fixa.

Um quebra-galho muito importante para se ter sempre na cadeirinha.

Cuidado importante : cordeletes devem ser sempre comprados em lojas especializadas em equipamentos de escalada.

Aquele cordelete que você acha na casa de pesca normalmente é feito de polipropileno, enquanto os cordeletes para escalada são feitos de poliamida (o mesmo material da corda). O polipropileno é mais barato, tem menor carga de ruptura e é menos resistente à abrasão. Por isso, para termos um cordelete de poplipropileno que atenda às necessidades da escalada, será necessário um diâmetro bem maior que aquele que conseguimos com poliamida.

Portanto, sempre verifiquem de qual material o cordelete é feito sendo que a recomendação para a escalada é sempre poliamida.

Os cordeletes são comprados por metro e para serem utilizados vamos precisar de unir as suas pontas para formar um anel. Existem dois nós mais utilizados para união dos cordeletes. Vamos falar um pouco sobre cada um, vantagens e desvantagens.

Nó pescador duplo

Esse é o nó mais tradicionalmente utilizado para união das pontas de um cordelete. É um nó muito confiável, com pouco volume e relativamente simples de ser feito.

Você encontra um passo a passo sobre como fazer esse nó neste link.

cordelete_2

Foto: Rafael Gribel

Uma grande desvantagem deste nó é que após atado e apertado, é muito difícil desfazê-lo.

Além disso, com esse nó as alças ficam apontadas para lados opostos e veremos mais à frente que isso pode atrapalhar no momento de utilizar o cordelete para fazer o backup no rapel.

Nó oito duplo com arremate

Esse nó vem ganhando muitos adeptos nos últimos tempos por ser simples, fácil de fazer e fácil de desatar. Além disso, é muito parecido com o nó de encordoamento e portanto um nó a menos para você lembrar.

Um ponto importante do oito duplo para união das pontas de um cordelete é sempre fazê-lo deixando as pontas opostas. Existem casos de nó oito duplo feito com as duas pontas para o mesmo lado que falharam e é importante saber identificar a diferença (link para uma matéria em inglês exemplificando um caso em que esse nó falhou).

Foto: Rafael Gribel

Foto: Rafael Gribel

Foto: Rafael Gribel

Iniciando o nó oito duplo com as alças opostas | Foto: Rafael Gribel

Foto: Rafael Gribel

Foto: Rafael Gribel

A grande vantagem deste nó é que ele é muito mais fácil de desatar que o pescador duplo, portanto no final do dia de escalada é possível desatar o nó do cordelete e deixar as fibras de poliamida descansarem soltas.

Uma importante desvantagem deste nó é que ele tem um pouco mais de volume que o pescador duplo. Em termos de perda de resistência da corda, de acordo com a literatura, os dois nós causam aproximadamente a mesma perda (entre 25% e 35%).

Arremate para oito duplo

Assim como mencionamos anteriormente sobre o arremate para o oito duplo no encordoamento (Yosemite finish) é possível fazer o mesmo para o nó do cordelete.

Isso irá facilitar desatar o nó e fazer com que as duas alças fiquem para o mesmo lado, facilitando o seu manuseio (vamos ver uma importante vantagem desde ponto quando formos falar de backup no rapel).

Foto: Rafael Gribel

Foto: Rafael Gribel

Cuidados com os cordeletes

Existe uma recomendação importante quanto à cordas e cordeletes de sempre guarda-los sem nós para preservar a integridade das fibras da poliamida. No caso do pescador duplo, com a dificuldade em desatá-lo a tendência é que as pessoas deixem o cordelete sempre com o nó atado.

No médio prazo, o aperto do nó pode acabar quebrando as fibras internas do cordelete, diminuindo a sua resistência, e o que é pior, sem dar nenhum sinal aparente pois não é possível ver isso externamente.

Foto: Rafael Gribel

Estado do cordelete após muito tempo com um nó atado | Foto: Rafael Gribel

Uma maneira fácil de testar a integridade das fibras do cordelete é dobrá-lo: se houver uma “volta natural” as fibras estão ok, mas se dobrar em ângulo próximo de 90 graus (veja figura abaixo), talvez esteja na hora de pensar em trocar por um novo.

Foto: Rafael Gribel

Foto: Rafael Gribel

Foto: Rafael Gribel

Foto: Rafael Gribel

montanha-segura-banner

Rafael é mineiro, montanhista e presidente da FEMEMG.

There are 7 comments

  1. Felipe

    O “nó de fita”, conhecido em inglês como water knot ou ring bend pode sim ser usado em cordeletes, porém muito bem ajustado e com uma boa folga de cauda. Este nó, recebendo forças multidirecionais pode se desajustar e correr, o que ocasionaria uma falha. Embora não tão seguro como o pescador ou o oito citado no texto, é sim um nó bastante confiável, que precisa de pouca corda para sua confecção.

    Deixo referências.

    http://www.rockandice.com/how-to-climb/how-to-tie-a-ring-bend-water-knot?A=SearchResult&SearchID=3797234&ObjectID=6465520&ObjectType=35

    http://www.indoorclimbing.com/Water_Knot.html

    Testes:
    https://user.xmission.com/~tmoyer/testing/Water_Knot_Testing.pdf

    http://roperescuetraining.com/en/knots_water.asp

    Video:
    https://www.youtube.com/watch?v=QUqQCkclmYc

  2. Moisés R. de Oliveira

    Rafael Gribel, esta é a mesma resposta que costumo fazer quando alguém comenta ou ensina o uso de nó de fita para unir cordelete, de qual fonte confiavel foi tirado?? Em nem uma literatura reconhecida existe este procedimento sendo aplicado. Existe instrutor passando este método como certo em curso e existe também um livro bem conhecido aqui no Brasil que recomenda como correto o nó de fita pra unir cordelete o que no meu entendimento é um puta erro e pode causar um serio acidente pois ele com tração escorrega porque o cordelete é roliço ao contrario da fita que é plana e o nó fica com melhor distribuição de carga… Cordelete só é fechado com nó “Pescador duplo e nó Oito guiado“ o reto é gabiarra!!!

    1. Rafael Gribel

      Márcio, como o próprio nome diz, este nó é muito utilizado para união de fitas tubulares (aquelas que são compradas sem a costura de fábrica) e só pode ser utilizado em fitas de poliamida (nylon). Em fitas de dyneema esse nó não é recomendado pois a fibra é muito lisa e o nó não se mantem atado.

      Até hoje eu não consegui encontrar nenhuma referência na literatura que recomende esse nó de fita para uso em cordeletes. Se conhecer alguma, pode nos enviar que atualizamos aqui!

      abraço

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.