Trilha Salkantay – Guia essencial do melhor trekking a Machu Pichu

Machu-Pichu-3

Foto: Acervo Pessoal Elisabet De Marco

O Machu Pichu é sem dúvida um dos lugares que toda pessoa deveria conhecer antes de morrer (pelo menos na minha opinião)

Com certeza “El Camino del Inca” é o mais conhecido, mas a trilha Salkantay é muito boa e menos disputada.

A única desvantagem do Salkantay, comparado com “El Camino del Inca”, é que você só vai ver ruínas ao final, porém tem muito menos gente e você não precisa reservar com tanta antecedência.

Um outro detalhe importante: a trilha é mais desafiante fisicamente que “El Camino Inca”.

Este diferencial pode ser comprovado por ser um caminho de alta montanha (ponto mais alto 4.600 metros) e passa muito perto de glaciares.

A temperatura mínima na Trilha Salkantay pode chegar aos -5ºC, mas só na primeira noite.

Nesta trilha você irá sentir o verdadeiro espírito de montanha e aventura, além de conhecer pessoas do interior do Peru e ver paisagens incríveis.

Foto: Acervo pessoal Elisabet De Marco

Foto: Acervo pessoal Elisabet De Marco

Principais recomendações

Para quem não é altamente experiente em trilhas a Trilha Salkantay tem que ser feita com assistência de uma expedição (guia de montanha, cozinheiros e cavalos de carga), pois o caminho não é sinalizado.

Há várias empresas no Brasil que prestam este serviço (em geral somente terceirizam), mas recomendo fortemente contratar diretamente uma empresa peruana, pois os preços são bem mais em conta, recomendo que se informe aqui http://cuscoperuviajes.com/

Leve uma mochila muito leve (com capacidade de 45 a 50 litros), os carregadores costumam levar até 5 kg., mas o último dia você carrega tudo.

A amplitude térmica nos 5 dias de trilha é muito grande, portanto é recomendado levar roupas para utilizar o sistema de camadas (segunda pele + fleece + Anoraque), atentando-se para que seja levado apenas o indispensável.

Machu-Pichu-1

Foto: Acervo pessoal Elisabet De Marco

Como chegar

Há várias opções podendo voar do Brasil a Lima e daí um outro vôo a Cusco, ou um ônibus de Lima até Cusco, o que demora em torno de 21 horas.

A opção de ir de ônibus é ideal para quem deseja realizar uma viagem mais aventureira, e barata.

Algumas pessoas escolhem voar do Brasil a Bolívia, porque os vôos são muito mais baratos, mas lembre-se de que de La Paz até Cusco são mais de 30 horas de ônibus, portanto esta alternativa compensa se quer curtir a viagem e conhecer o caminho que é muito bonito

As expedições saem de Cusco com tudo pronto, mas a trilha mesmo começa efetivamente em Santa Teresa

  • Melhor época do ano:

De Abril a Setembro

  • Tempo de trilha:

5 dias e 4 noites

Você chega em Aguas Calientes, a cidade na base do Machu Pichu, ao redor das 6 da tarde.

Só essa última noite dorme na cidade, lá tem hostels (albergues) e hotéis de diferentes categorias, novamente recomendo Ecopackers.

No dia seguinte a trilha começa bem cedo e é a mais importante, porque chega-se às ruínas de Machu Pichu.

É recomendavel sair às 3 e meia da manhã (o parque abre as 4) pois no parque há uma fila para entrar muito grande por conta do controle de visitantes.

Começa subir por uma escada de pedras, portanto uma dica de ouro: head lamp vai ser sua melhor amiga durante a subida que leva em média uma hora e meia.

Vai chegar na cidade ainda escuro, tem controle dos ingressos ao parque e uma fila ainda maior (porque tem muitas pessoas que sobem de ônibus ou carro).

E com certeza esse vai ser um dos melhores amanheceres de sua vida.

Machu-Pichu-4

Foto: Acervo Pessoal Elisabet De Marco

Equipamento Necessário

  • Mochila 45- 50 litros
  • Bota de trekking impermeável
  • Meias: 4 liners e 4 meias (se possível com tecnologia cool-max)
  • Saco de dormir, de pelos menos -10º graus de conforto.
  • Calça de trekking, recomendo as que viram bermuda, pois durante o dia faz calor
  • Jaqueta ou anoraque corta-vento e impermeável
  • Abrigo em sistema de camadas, gorro e óculos de sol
  • Lanches leves para o caminho, em geral as expedições incluem cafe da manhã, almoço e jantar.
  • Lanterna – (recomendado head lamp, para ter as mãos livres)

Água: Há água em alguns pontos no caminho, recomendo carregar 3 litros por dia.

Machu-Pichu-5

Foto: Acervo pessoal Elisabet De Marco

Elisabet de Marco é Design Researcher, apaixonada por viajar e fazer trilhas a pé e de Mountain Bike, já fez mochilão pela Patagônia Argentina, Peru, Bolívia, Brasil e Uruguai.

There are 3 comments

  1. Ricardo

    Olá pessoal!!
    primeiramente parabéns pelo blog, sensacional suas dicas…
    Machu Picchu é conhecida como a cidade sagrada dos Incas. Eleita Patrimônio Mundial pela Unesco, ela possui ares místicos e está situada em uma região repleta de segredos do antigo império, atraindo visitantes de todo o mundo para uma jornada inesquecível, repleta de histórias.
    Impossível não se encantar com as cenas de Machu Picchu na nova novela da Globo, Amor à Vida. Se você ficou ainda mais com vontade de conhecer este lugar mágico por conta própria, saiba que é bem mais fácil tirar esse sonho do papel do que você imagina.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.