Teoria e um pouco de história das Corridas de Montanha

Corridas de Montanha

Foto : Luiz Fabiano Pinheiro

Olá, leitores.

Permitam que me apresente. Meu nome é George Volpão, tenho 37 anos e estou nas montanhas com relativa frequência desde os anos 90, pelo menos.

Muitos acampamentos, cumes, travessias, montanhas de ate 6.000 metros e, principalmente, muito interesse em saber mais dos ambientes e das pessoas que o frequentam.

Mais que buscar definições para as atividades, busco vivê-las. Por isso, acredito que as atividades de montanha se misturam e se completam.

Onde começa o montanhismo? Onde deixa de ser isso e passa a ser escalada, trekking, trail running, etc?

Nenhuma unanimidade será conquistada e o que posso deixar aqui com a experiência que tenho nestes anos todos frequentando ambientes naturais em montanhas é apresentar uma modalidade que nos anos recentes vem conquistando muitos adeptos em nosso país.

Traduzir corridas de montanha como uma modalidade onde reproduzimos movimentos de corrida em ambientes não pavimentados me soa simplista demais.

Para entender, é preciso um pouco de história.

A origem de competições do gênero remonta ao século 11, quando o Rei Malcolm Canmore, da Escócia, organizou um evento de corrida nas colinas locais para escolher mensageiros para o Reino.

O trail running moderno apareceu bem mais tarde, por volta de 1.820, ainda nas Ilhas Britânicas, como uma modalidade incluída em festas e jogos regionais. Por mais de 150 anos esteve restrito a estes eventos e viu um de seus primos, o cross-country (corrida em circuitos fechados, sem pavimentação) se popularizar bastante.

Isso mudou em 1974, quando Gordon Ainsleigh decidiu fazer a pé o percurso da Western States Trail Ride (Tevis Cup), uma corrida de cavalos de 100 milhas, no Estado da Califórnia.

Gordy, como é conhecido, já havia completado a prova com seu cavalo em 1972 e no ano seguinte teve que abandonar por conta de uma lesão em seu animal.

Assim, em 1974 tornou-se o primeiro atleta a completar o percurso sozinho, com a força das próprias pernas.

Corridas de Montanha

Foto : Luiz Fabiano Pinheiro

 

Desta forma, provou aos céticos que era possível uma pessoa percorrer a pé 100 milhas abaixo de 24 horas. A primeira corrida oficial, já com o nome atual, aconteceu em 1977 e reuniu dezesseis atletas, sendo que somente três a concluíram.

Desde então, o interesse em percorrer rapidamente trilhas em montanhas só aumentou.

Hoje é uma modalidade que movimenta cifras impressionantes e conta igualmente com seus astros, heróis e anônimos que, mais que tudo, buscam desfrutar de uma experiência que só quem é apaixonado por montanhas consegue entender.

Porém, normas e regras foram criadas, como é de praxe em todos os segmentos da vida moderna, buscando dar certa ordem na prática destas atividades.

A corrida de montanha se mistura e se confunde com duas atividades distintas: corrida e montanhismo.

Está situada bem no meio, entre estas duas práticas.

Estas definições e conceitos eu trarei no próximo artigo.

Aproveito para agradecer a oportunidade de trazer um pouco da paixão por esta modalidade neste espaço tão interessante como este, com o qual compartilho da mesma paixão, as montanhas.

GeorgeVolpão1

 

Sobre o Autor

George Volpão

George Volpão

George Volpão é, acima de tudo, alguém com profunda paixão pelas montanhas. Além de correr, às vezes, é montanhista desde os anos 90. Com suas andanças pelos matos do Brasil, teve a oportunidade de absorver valores que o levaram a correr nas montanhas pelos seus ideais. Transmitir os conhecimentos adquiridos de modo que a informação esteja sempre circulando é seu objetivo maior de vida. Vive atualmente em Quatro Barras – PR, a apenas 6 quilômetros de sua montanha favorita, o Morro do Anhangava (1.420m) e mantém este espaço vivo e pulsante. Mais que dar respostas, gosta de questionar.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.