Saiba quais são os 7 lugares hipsters de escalada esportiva no Brasil

Se você nunca ouviu falar do termo “hipster” uma rápida explicação: o termo é uma palavra de origem inglesa usada para descrever um grupo de pessoas com estilo próprio e que habitualmente inventa moda, determinando novas tendências e alternativas.

O termo hipster deriva de “hip”, um adjetivo inglês usado desde a década de 1940 com o significado de “descolado” ou “inovador”.

Portanto as pessoas hispters gostam de contrariar as convenções sociais estabelecidas, têm antipatia pela cultura comercial e procuram resgatar as culturas populares locais sendo, portanto, contra aquilo que é mainstream (costumes, tendências e modas seguidas pela maioria das pessoas).

Em resumo, são pessoas que não seguem a modinha, e quando algo entra em evidência, eles já conheciam de longa data.

Como não poderiam deixar de ser, dentro do universo outdoor, incluindo a escalada neste conceito, há pessoas com esta linha de pensamento que, inclusive, acabaram por frequentar lugares de grande potencial mas que ainda não viraram moda dentre a comunidade.

Pessoas hipster são as que querem conhecer lugares interessantes, e novos, para o grande público, além de grande potencial inexplorado, ao invés de escalar sempre as mesmas vias nos mesmos lugares, estão preferindo sair do lugar comum.

Os motivos são muitos: pouca quantidade de pessoas escalando, localidades e pessoas novas para conhecer, e enriquecimento do repertórios de movimento.

Foto no topo : Diego Camacho | http://inblackflame.tumblr.com/

Arcos – MG

arcos-3

Foto: Luciano Fernandes

arcos-hipster-1

Foto: http://www.vimeo.com

Foto: Peruzzo

Foto: Peruzzo

O local conhecido como Rastro de São Pedro na cidade de Arcos-MG é, sem dúvida nenhuma, o lugar do Brasil com maior potencial para a escalada esportiva.

Hoje há aproximadamente 200 vias conquistadas no local, mas há potencial para pelo menos 5 vezes mais que isso.

Pela localização privilegiada (está próximo a 7 km do centro da cidade de Arcos-MG), boa quantidade e qualidade de vias abertas , onde maioria possuem chapeletas, é uma verdadeira Disneylândia para a escalada esportiva.

Há quem afirme que em Arcos-MG está a futura Meca da escalada esportiva brasileira, já que a cidade é intitulada a capital do calcário do Brasil.

  • Quantidade de vias: aproximadamente 200 (projeção de 300 para final de 2016)
  • Tipo de Rocha: Calcário
  • Infraestrutura:
    • Distância da cidade: 7 km
    • Possui refúgio ou camping?: sim
    • Possui Guia?: Sim (Faça o download aqui)

Serra da Bocaina-MG

tsunami[1]

Foto: Gustavo Maneira

Foto: http://bacsamuerte.wordpress.com

Foto: http://bacsamuerte.wordpress.com

Foto: Gustavo Maneira

Foto: Gustavo Maneira

Localizada no município de Araxá-MG, a Serra da Bocaina é imponente e enche os olhos quando o quartzito multicolorido é avistado pela primeira vez.

Embora possua (baseado em relatos, pois não há guia impresso) 200 vias, parte destas estão em uma área interditada à escalada.

Por estar em um lugar bastante afastado da cidade(aproximadamente 30km), raramente há pessoas não escaladores na base das vias onde a escalada é permitida.

Por opção dos escaladores que desenvolvem o lugar, há uma grande quantidade de vias de grau elevado, porém poucas de grau baixo e intermediário.

  • Quantidade de vias: Aproximadamente 200
  • Tipo de Rocha: Quartzito
  • Infraestrutura:
    • Distância da cidade: 30 km
    • Possui refúgio ou camping?: sim
    • Possui Guia?: Não.

Itaqueri-SP

Foto: http://escalango.com/

Foto: http://escalango.com/

Foto: http://escaladaint.com.br/

Foto: http://escaladaint.com.br/

Foto: http://itaqueridaserra.blogspot.com.br/

Foto: http://itaqueridaserra.blogspot.com.br/

O arenito avermelhado de Itaqueri-SP parece ter saído dos sonhos de quem deseja escalar em rochas não tão abrasivas como o granito.

Com aproximadamente 70 vias de escalada esportiva, e localizado ao lado de uma linda cachoeira, todos que conhecem o lugar se perguntam como nunca haviam ido lá antes.

O vilarejo de Itaqueri está a 18 quilômetros da cidade de Itirapina-SP, cidade de aproximadamente 20.000 habitantes, e bastante acolhedora.

Com boa variação de graus de dificuldade, as vias exigem resistência isométrica do escalador, além de força nos regletes e excelente trabalho de pés.

  • Quantidade de vias: aproximadamente 70
  • Tipo de Rocha: Arenito
  • Infraestrutura:
    • Distância da cidade: 7 km
    • Possui refúgio ou camping: Sim
    • Possui Guia?: Sim (Faça o download aqui)

Parque Estadual da Pedra Branca – RJ

Foto: Foto: Guilherme Taboada

Foto: Foto: Guilherme Taboada

Foto: Felipe Dallorto

Foto: Felipe Dallorto

O Parque Estadual da Pedra Branca é uma unidade de conservação ambiental situada na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e é considerado a maior floresta urbana do mundo.

O local foi desenvolvido por Flávia dos Anjos e Felipe Dallorto várias vias de escalada esportiva que, por estar a certa distância do centro da cidade do Rio de Janeiro, permanece pouco frequentado pelos escaladores.

Com aproximadamente 35 vias de escalada, é a escolha perfeita para quem deseja escalar sem muitas pessoas à sua volta, e ter a sensação de estar bem longe de qualquer centro urbano.

Por estar com maioria das vias à sombra, serve de alívio em dias de calor impiedoso do Rio de Janeiro.

  • Quantidade de vias: aproximadamente 35
  • Tipo de Rocha: Granito
  • Infraestrutura:
    • Distância da cidade: 35 km do centro do Rio de Janeiro
    • Possui refúgio ou camping: não (mas há hotéis e pousadas por toda a cidade do Rio de Janeiro)
    • Possui Guia?: Sim (Faça o download aqui)

Tejuçuoca – CE

Foto: Ricardo Damito | http://www.escaladanoceara.com.br/

Foto: Ricardo Damito | http://www.escaladanoceara.com.br/

Foto: http://www.toptourecoturismo.com.br/

Foto: http://www.toptourecoturismo.com.br/

Para quem achava que somente em Minas Gerais e Goiás existiam lugares de escalada esportiva em calcário, a resposta está no pequeno município cearense de Tejuçuoca.

Distante 145 km da capital do estado, lá está um dos maiores tesouros da escalada cearense à espera de quem deseje desenvolver o potencial que existe por lá.

Localizado a 12 km do centro da cidade as formações calcárias do Parque Municipal das Furnas dos Osso possuem, por enquanto, aproximadamente 30 vias de escalada, mas que não representa 1/5 do potencial que existe no lugar.

  • Quantidade de vias: aproximadamente 30
  • Tipo de Rocha: Calcário
  • Infraestrutura:
    • Distância da cidade: 12 km do centro da cidade
    • Possui refúgio ou camping: não
    • Possui Guia?: Sim (Faça o download aqui)

Belchior – GO

Foto: http://sites.uai.com.br/

Foto: http://sites.uai.com.br/

Foto: Eduardo Meirelles | https://www.flickr.com

Foto: Eduardo Meirelles | https://www.flickr.com

Foto: http://www.youtube.com

Foto: http://www.youtube.com

No povoado de São Gabriel-GO , distrito de Planaltina de Goiás , e próxima do Distrito Federal (aproximadamente 120 km do plano piloto) , o local de escalada conhecido como Belchior é um dos tesouros de escalada esportiva em calcário que todo escalador deveria conhecer.

Com potencial ainda não explorado em sua totalidade, o Belchior é um local de escalada que ainda reserva muitas alegrias aos escaladores à medida que novas vias são conquistadas.

Uma das vantagens do lugar é que grande parte do dia está protegida do sol, porém o local sempre corre o perigo recorrente de fábricas de cimento.

  • Quantidade de vias: aproximadamente 60
  • Tipo de Rocha: Calcário
  • Infraestrutura:
    • Distância da cidade: 30 km do centro da cidade Planaltina de Goiás-GO (120 km de Brasília)
    • Possui refúgio ou camping: não
    • Possui Guia?: Não

Parque Natural do Braço Esquerdo – SC

Localizado entre os municípios de Corupá-SC e São Bento do Sul-SC fica o Parque Natural Braço Esquerdo o local possui o número de mais de 80 vias em sete setores.

Junto à esta quantidade de vias, há toda a natureza exuberante do parque, que vale a pena ser visitado ao menos um dia.

Um dos atrativos do local é poder fazer com que todo escalar experimente a oportunidade de escalar em conglomerado, que exige bastante preparo físico do atleta.

Foto: Daniel Casas

Foto: Daniel Casas

braco-esquerdo-hipster-1

Foto: Eduardo Montecino | http://poracaso.com/

  • Quantidade de vias: aproximadamente 80
  • Tipo de Rocha: Conglomerado
  • Infraestrutura:
    • Distância da cidade: 10 km do centro da cidade
    • Possui refúgio ou camping: sim
    • Possui Guia?: Não

There are 6 comments

  1. Rodrigo

    Sobre Corupá, sugiro acrescentar o website do parque: http://www.parquebracoesquerdo.com.br, onde constam todos os detalhes, inclusive croquis e informações sobre o catálogo (guia impresso) que existe. Já são mais de 100 vias. Vale ressaltar a grande quantidade de vias de alto grau (acima de 8o, até 10c), de excelente qualidade, com muito negativo e exigindo resistência. Tem se consolidado como um dos principais setores esportivos de SC e do Sul. O camping tem excelente estrutura. A melhor época é no verão, quando os principais setores tem melhor aderência, e se pode escalar na sombra, e abrigado da chuva.

  2. Laurencio

    Luciano nao precisa atualizar seu texto, ta tudo certo… Nao é o primeiro e nem o último que vc vai escrever a respeito da escalada, só te peço pra utilizar fontes seguras e se possivel vc msm ser a fonte.
    Falei a real pra vc pq muitos dos seus textos nao nos diz a realidade.
    A bocaina possui diversos setor, como fazenda da serra, desconhecido, intermediario, 2 andar, tetos, bem vindos, tereza, buracao, cachoeira da argenita, etc..
    Enfim creo que conheceu apenas o Tsunami

    Se tiver vontade de conhecer td e comprovar td pessoamente teria grande prazer em ser seu guia aqui na serra..

    Obs; vai no 8a.nu > crags > serra da bocaina > tick list

    Olha o numero de via e qual a maior graduçao existente no pico..

    Valeu…

    1. Luciano Fernandes

      Oi Laurencio.

      Primeiramente, gostaria de dizer que o site 8a.nu talvez seja a fonte menos confiaável que exista na internet em termos de saber quantas vias existem e qual o grau delas. Isso porque quem determina o estas duas coisas são os leitores, e qualquer pessoa pode colocar o que quiser. Tnato que mesmo que alguém escreva com um erro de português o nome, começa a constar como duas vias diferentes.

      Para escrever o artigo, eu e mais 3 pessoas fizeram consultas à internet para visualizar as informações contidas nos sites, verificaram se havia guias de escalada (a fonte mais confiável de saber a quantidade de vias) e além disso uma revisão com alguém que soubesse.

      Eu pessoalmente já fui na Bocaina, e a referência e informação obtida por mim da boca das pessoas que administravam o abrigo era exatamente o que coloquei no artigo. Além disso fui confirmar com a federação, e no site do abrigo que explora o lugar comercialmente. O que, como pode ver são três tipos de fontes que, todas, afirmaram o mesmo número que está no artigo.

      Para todos os lugares, os que nao tinha visitado pessoalmente, como Corupá, fui conferir o valor com base nas pessoas que frequentam. E todas afirmaram o numero.

      Porém o que talvez possa estar equivocado na lista foi a disponibilização de camping ou refúgio. O que quando foi apontado arrumei prontamente.

      Porém se acredita que “muito dos meus textos” não condizem com a realidade, sendo que eu mesmo fui averiguar maioria dos fatos pessoalmente, além de conferir com as fontes de informação antes de publicar, você tem todo o direito , portanto, de poder fazer o seu site da maneira que acreditar que seja a “realidade” a qual diz que eu falto com ela.

      Porém são quase 10 anos de site, sem contar os anos de escalada e todas as visitas que fiz a muitos lugares de escalda. Portanto acredito que o que coloco nos textos que eu escrevo (e que levam meu nome) tanto quanto DA REDAÇÃO, que são as pessoas que trabalham no site todos os dias (se prestar atenção não fui eu que escrevi todo o texto).

      Mas repito, se acha realmente que estou faltando com a verdade você tem toda a liberdade de criar um espaço que fale das “verdades” para que as pessoas saibam qual é.

      O que fazemos, tanto eu quanto as pessoas que trabalham no site todos os dias, realizando um trabalho que ninguém faz no Brasil, se acredita que estamos faltando com a “realidade”, a internet oferece oportunidade a todos que querem fazer algo. Basta ter de acreditar e, para quem não tem medo, trabalhar duro

  3. Laurencio

    Luciano nao precisa atualizar seu texto, ta tudo certo… Nao é o primeiro e nem o último que vc vai escrever a respeito da escalada, só te peço pra utilizar fontes seguras e se possivel vc msm ser a fonte.
    Falei a real pra vc pq muitos dos seus textos nao nos diz a realidade.
    A bocaina possui diversos setor, como fazenda da serra, desconhecido, intermediario, 2 andar, tetos, bem vindos, tereza, buracao, cachoeira da argenita, etc..
    Enfim creo que conheceu apenas o Tsunami

    Se tiver vontade de conhecer td e comprovar td pessoamente teria grande prazer em ser seu guia aqui na serra..

    Obs; vai no 8a.nu > crags > serra da bocaina > tick list

    Olha o numero e via e qual a maior graduçao existente no pico..

    Valeu…

  4. Laurencio

    Boa tarde galera!!!
    Serra da bocaina:
    De 350-400 vias abertas.
    Atualmente é considerada uns dos maiores campo escola do país, pois possui em sua grande maioria vias para iniciantes 4-7 grau
    Luciano ta devendo uma vista a Serra da bocaina!!
    Quartizito multicolorido com vias de 4-10 grau confirmando é diversos projetos sem FA.
    Valeu!!!

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.