Saiba quais são os 6 principais trekkings de Machu Picchu

Machu Picchu, que em idioma Quechua significa “velha montanha”, e também chamada “cidade perdida dos Incas”, é uma cidade pré-colombiana bem conservada, localizada a 2.400 metros de altitude no Peru.

O local é, provavelmente, o símbolo mais típico do Império Inca, sendo que apenas 30% da cidade é de construção original, o restante foi reconstruído.

Machu Picchu é talvez o destino mais popular entre os mochileiros do mundo inteiro, sobretudos para trekkeiros, e todos os anos recebe uma quantidade enorme de visitantes.

Maioria dos trekkings organizados a Machu Picchu são organizados com carregadores, guias e comidas incluídas nas excursões.

Para quem procura opções dentre uma variedade de “trilhas desconhecidas” ou “caminhos esquecidos”, existem 6 rotas já consagradas e que servem de referência tanto para o mochileiro mais hipster até mesmo à pessoa que comumente escolhe os pacotes de viagens mais clichês.

Caminho Inca ou Trilha Inca (Camino del Inca)

Foto: https://gotoperu.com/

Foto: https://gotoperu.com/

O Caminho Inca (também conhecido como Trilha Inca) é o trekking mais conhecido para chegar às ruínas de Machu Pichu.

O percurso passa por uma pequena parte da gigantesca rede de trilhas que foram construídas pela civilização antiga Inca durante o seu império.

Estima-se, de acordo com estudos científicos, que as estradas Incas tinham extensão de 30.000 quilômetros, e passava pelos Andes desde o Equador até o Chile.

A opção da Trilha Inca é a mais popular para quem viaja para Machu Picchu, e tem duração de 1 a 4 noites, dependendo do preparo físico do trekkeiro.

Seu itinerário termina em Machu Picchu, independente de caminhos alternativos que o guia escolher.

Para preservar a natureza, além da arqueologia, existe um limite diário de 500 pessoas organizadas em grupos (máximo de 16 pessoas por grupo) por dia para iniciar a Trilha Inca.

Para realizar a trilha é necessário também retirar uma licença (conhecida como “permisso”), uma espécie de permissão oficial outorgada pelo governo do Peru, que custa aproximadamente US$ 150,00 que inclui a entrada na cidade.

Recentemente o Governo do Peru decidiu que no mês de fevereiro a Trilha Inca permanece fechada para manutenção.

A Trilha Inca é considerada a mais clássica, e possui paisagens belas e uma combinação única entre cultura e paisagens.

Trekking Salkatay

Foto: Acervo pessoal Elisabet De Marco

Foto: Acervo pessoal Elisabet De Marco

Considerado a melhor alternativa à Trilha Inca, possui como atrativo um maior contato com a natureza.

Por ela é possível passar por diversos cumes de montanhas, além de poder observar ecossistemas diferentes no caminho.

Pelo Trekking Salkatay é possível observar tanto florestas densas, mas também um glaciar em plena Cordilheira dos Andes.

Sem nenhum exagero a trilha é um convite à adição de aventura por cenários únicos e que exigem conhecimento básico de montanhismo de quem procurar realizar.

O Trekking Salkatay vem sendo bastante procurada por quem não deseja ficar esperando para entrar na cota de entrada a Machu Picchu, pois não é necessário permisso, e não há grupos limitados para percorrê-lo.

Apenas é necessário pagar a entrada para entrar nas ruínas de Machu Pichu.

Para detalhes, além de um relato de viagem à Trekking Salkatay, acesse artigo exclusivo: http://blogdescalada.com

Trekking Lares

Foto: www.denomades.com/

Foto: www.denomades.com/

O Trekking Lares é pouco conhecido entre a grande maioria dos turista e mochileiros, e é uma interessante cominação entre natureza e visita a dois vilarejos indígenas.

Um detalhe: estes vilarejos indígenas somente são acessíveis à pé.

O fato de que a rota é pouco utilizada por visitantes, há a oportunidade de ficar bem próximo de nativos e até mesmo de interação com eles.

O trekking tem duração de 3 dias (e três noites) e possui uma possibilidade de recuperar fisicamente, pois passa uma das noites atravessa um hotel rural.

O Trekking Lares é a melhor opção para quem gosta de trilhas pouco transitadas e também desejam conhecer a realidade dos povos andinos, apesar de que não possui, em termos visuais, grandes paisagens.

Na cidade de Cuzco é possível encontrar agências que organizam excursões pela trilha

Trekking Huchuy Qosqo

Foto: www.incapath.com

Foto: www.incapath.com

O Trekking Huchuy Qosqo é conhecido como o mais roots de de Machu Pichu, sendo a alternativa perfeita para aqueles que gostam de renunciar à toda e qualquer comodidade de um hotel ou pousada.

A trilha tem duração de dois dias.

O primeiro dia da rota é, basicamente, uma caminhada de umas 6 horas por diversos pontos de destaque do Valle SagradoOllantaytambo, Lamay, Qenqo Siwa, entre muitos outros.

Sem sombra de dúvida é a melhor maneira maneira de aproveitar os atrativos do Valle Sagrado de maneira bem próxima.

Após a excursão aos pontos, os integrantes tão levados até o trem que leva a Águas Calientes, que é a cidade mais próxima das ruínas de Machu Picchu.

No segundo dia são visitadas as ruínas de Machu Picchu e há o retorno a Cusco.

O Trekking Huchuy Qosqo é a melhor opção para quem não tem muito tempo para trekking, mas deseja conhecer o Valle Sagrado.

Trekking Choquequirao

Foto: www.choquequiraotrek.com

Foto: www.choquequiraotrek.com

O Trekking Choquequirao é perfeito para quem é praticante de montanhismo, e se considera no nível médio a avançado, e possui muitos dias para se dedicar a visitar Machu Picchu.

O trekking possui caminhadas por todo o dia por trilhas com magníficas paisagens, e chega a 4.670 m de altitude.

Pela trilha é possível admirar as duas ruínas mais importantes da região, dentre elas a cidadela de Choquequirao.

Conhecida como a “irmã sagrada de Machu Pichu” possui semelhanças arquitetônicas impressionantes e são um exemplo perfeito da técnica construtiva dos Incas.

Para o Trekking Choquequirao é necessário pelo menos 8 dias (sendo 7 noites) para finalizar todo o caminho, que exige preparo físico, mas que é recompensado pela paisagem e lugares visitados.

Trekking da Floresta (Jungle Trekk)

Foto: www.incatrailbookings.com

Foto: www.incatrailbookings.com

Sem sombra de dúvida o Trekking da Floresta, também conhecido popularmente como Jungle Trekk, é a maneira mais aventureira para chegar às ruínas de Machu Picchu.

Pelo Jungle Trekk há uma mistura de passeios de bicicleta, rafting e tirolesa, e todo o percurso pode ser realizado em 3 ou 4 dias.

De bicicleta pode-se fazer a descida de aproximadamente 3.100 m de desnível.

O Rafting é feito no Rio Bravo, e é graduado em III e IV.

No restando do percurso é realizado com caminhadas que duram de 6 a 8 horas, e passam por dentro de florestas e águas termais, e acabam em uma tirolesa de mais de 150 metros de altura.

Semelhante a outros trekkings existentes, finaliza com uma visita guiada à cidade de Machu Picchu.

Elisabet de Marco é Design Researcher, apaixonada por viajar e fazer trilhas a pé e de Mountain Bike, já fez mochilão pela Patagônia Argentina, Peru, Bolívia, Brasil e Uruguai.

There are 4 comments

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.