Saiba quais são as 10 trekkings mais bonitos da América do Sul

Não faz muito tempo foi publicado aqui na Revista Blog de Escalada quais eram os trekkings que poderiam ser realizados na Europa.

O volume de mensagens a respeito de quais poderiam ser os circuitos de trekking a serem realizados na América do Sul foi muito grande. Desde a primeira mensagem a pesquisa começou a ser feita e, claro, alguns locais ficaram de fora desta lista.

Os locais que ficaram de fora desta lista de maneira nenhuma são “desinteressantes” ou “ruins”. Muito pelo contrário. Porém um artigo com os melhores 1.000 trekkings da América do Sul ficaria ruim de ser lido e seguramente poucas pessoas o leriam por completo. Por isso que de todo o montante pesquisado foram selecionados 10 roteiros, muitos destes com relatos de viagens e guias essenciais já publicados aqui na Revista Blog de Escalada.

Por isso se você está procurando um destino de trekking dentro do continente que vivemos aqui logo abaixo estão elencados 10 circuitos, considerados por quem já realizou como os “mais bonitos”. Portanto não foi levado em consideração as dificuldades e sim a experiência contemplativa da natureza e da paisagem proporcionada pelo caminho.

Cidade Perdida (Colômbia)

Apesar da obrigatoriedade de guias turísticos, a visita até a “Cidade Perdida” (Ciudad perdida em espanhol) vale a pena.

O local, pouco difundido pelas mídias especializadas, é considerado o Machu Picchu colombiano com paisagens de selva tropical com fauna e flora típicas da Amazônia.

O trekking leva de 5 a 7 dias.

Durante o percurso os praticantes de trekking acampam na própria trilha.

trekkings

Vulcão Chimborazo (Equador)

Você já ouviu falar do Vulcão Chimborazo (6.130 m) ? Não ? Então comece a pesquisar sobre ele !

Localizado a apenas 180 km ao sul de Quito, capital do país, Até o início do século XIX, Chimborazo era considerado a mais alta montanha da Terra e, por isso, esta reputação “convidou” diversos escaladores em tentativas de escalada.

O vulcão é considerado extinto, pois sua última erupção data de mais de dez mil anos.

Quem já realizou o trekking sabe que a proposta é tentadora e, por isso, praticantes de atividades de natureza decidem explorar o Vulcão Chimborazo.

trekkings

Trilha Huayhuash – Raura (Peru)

A trilha Huayhuash – Raura é bastante conhecido para os amantes de trekking e dos praticantes “de carteirinha”. Pelo trajeto é possível contemplar locais montanhosos que são bastante comuns no Chile e Argentina.

Com uma natureza única e sob condições climáticas muito particulares a trilha é um divisor de águas em todo praticante de trekking.

A travessia, entretanto, não é fácil. Exige bastante preparo físico de quem se motivar a fazer a trilha Huayhuash.

A duração deste trekking leva de 9 a 12 dias, e o pernoite é feito em pequenos povoados ao longo do caminho.

Caminho Inca a Macchu Picchu (Peru)

Sim, o trekking mais clássico e famoso do mundo é o de Macchu Picchu.

Não há praticante de trekking, mochileiro e turista que aprecia natureza que não sonhe em percorrer o Caminho Inca (o mais famoso dos acessos a Macchu Picchu.

Atrativos não faltam e sobram informações, tanto de sites como de agências de turismo, dos atrativos do percurso. A trilha, entretanto, exige preparo físico e disposição para os turistas que se dispuserem a fazer o caminho inca.

Todo o trajeto pode ser feito de 4 a 7 dias.

Travessia da Serra Fina (Brasil)

Considerada a trilha mais difícil do Brasil (não confundir com perigosa !) é hoje um verdadeiro clássico do montanhismo sul-americano.

Todo o trajeto demora, em média, 4 dias e por ele pode ser apreciado a fronteira dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

O trajeto exige preparo físico e mental de quem quer conhecer este trajeto.

A contratação de guia não é obrigatória, mas é recomendada.

Foto : Freddy Duclerc

Travessia Petrópolis – Teresópolis (Brasil)

A travessia Petrópolis Teresópolis é um verdadeiro clássico dos trekkings no Brasil.

Há grupos de praticantes que o considera obrigatório para todo e qualquer praticante de esportes de montanha.

O trajeto pode ser feito começando tanto em Teresópolis como em Petrópolis e a contratação e um guia não é obrigatória mas é altamente recomendada.

A duração, que depende muito do preparo físico de quem fizer, varia entre 2 a 4 dias.

Foto : Marcello Medeiros

Tarija – Valle de Los Condores (Bolívia)

Também desconhecida do grande público praticante de trekking a Tarija é considerada um dos trajetos mais indicados para quem deseja fazer trilhas mais exigentes.

Localizada ao sul da Bolívia, na cidade de Tarija, a região é grande produtora de insumos de agricultura e, como não poderia deixar de ser, turismo.

No trajeto até Valle de Los Condores chega-se a montanhas com 3.000 metros de altitude.

O trekking demora de 4 a 7 dias.

Fitz Roy (Argentina)

Encravado na fronteira entre Chile e Argentina é de um visual espetacular.

A montanha, considerada perigosa e somente indicado para quem esteja mentalmente e fisicamente preparado para o passeio, possui 3.405 m de altura e é o símbolo da província argentina de Santa Cruz.

A escalada por lá é de dificuldade extrema e, por isso, já vitimou vários escaladores por isso.

O circuito de trekking ao Fitz Roy tem duração de 3 a 9 dias de duração, dependendo do preparo físico do praticante de trekking.

Circuito W – Torres del Paine (Chile)

Considerado um dos trekkings mais lindos do Mundo é destino obrigatório para quem quer guardar lembranças por toda a vida.

Na Revista Blog de Escalada há um guia essencial, e o mais completo escrito em língua portuguesa, para realizar o circuito W. No guia você consegue encontrar as informações mais precisas e essenciais com toda a informação necessária para o planejamento de sua viagem.

O trajeto exige boa forma física e planejamento do praticante de trekking.

Com um total de 55 km ao todo, leva de 2 a 4 dias para ser completado.

Foto : http://www.turistaloserastu.es/

Dientes de Navarino (Chile)

Ainda pouco divulgado por mídias especializadas o trekking de Dientes de Navarino é uma excelente opção para quem deseja conhecer um lugar praticamente virgem e pouco modificado pelo ser humano. Para quem não conhece ainda Dientes de Navarino, saiba que o local é conhecido como “a nova Torres del Paine” pela sua beleza única e, o mais importante, ser bastante vazio.

A Revista Blog de Escalada escreveu uma reportagem completa a respeito do circuito, na qual todas as informações atualizadas e essenciais podem ser encontradas lá.

Todo o trekking leva de 3 a 5 dias e a contratação de um guia é altamente recomendada.

Foto: Freddy Duclerc

Sobre o Autor

Luciano Fernandes

Luciano Fernandes

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

There are 5 comments

  1. luiz fernando malacarne marques

    estou tentando algum tipo de patrocínio para minha jornada,caso alguém ou uma empresa tenha interesse em patrocinar essa insanidade rss,por favor lembre de mim.

    Pretendo realizar faz tempo uma travessia à pé do atlântico x pacífico, data provável 2017 ou 2018. A ideia em questão consiste de atravessar todo continente da América do sul à pé,caminhando,saindo da praia de Copacabana no RJ,até chegar a Valparaíso,no Chile,em uma distância de 4.000 km, Todo trajeto caminhando com um suporte com rodas de bike,porem adaptado para ser puxado pela cintura, Será percorrido uma distância de +- de 35 a 40 km por dia,dependendo das condições climáticas e outros fatores surpresas ( acidentes,doenças etc) Prazo total estimado de caminhada de quatro a cinco meses,não havendo estadia em hotéis,somente acampando. Média de gasto estimado por dia de R$ 150,00 ( Cento e cinquenta Reais) ,o patrocinador pode usar todos os direitos de imagens,fotos ou vídeos. Busco realmente esse patrocínio para esse desafio,e quem sabe na minha opinião ser o primeiro a realizar essa jornada. Aí a pergunta,porque fazer isso? eu respondo com uma pergunta,porque não fazer? esta lá,só esperando alguém para fazer,para provar para mim e para todos que o corpo Humano é capaz de aguentar essa jornada. obrigado e a disposição para qualquer dúvida. att:
    luiz Fernando malacarne

  2. Dmitri de Igatu

    Botar Serra Fina e não por Monte Roraima ou Vale do Pati, é uma grande equivoco, nada contra a SF, é linda, amo a Mantiqueira! Mas não só por visual, mas veja o que pode completar, cânion? comunidades? cavernas? cachoeiras?
    Bem que o blog da escalada é de Minas, então entendido agora ;)
    Ah, e não é Ruar,e sim Huaraz, em Ancash, Peru.

  3. Analy

    Nossa muito massa as indicações… estarei indo em Outubro pra Patagônia e farei o Circuito W em Torres e irei pra El Chalten tbm fazer as trilhas de dia todo…não vejo a hora de ver essas lindas paisagens pessoalmente.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.