Saiba como trocar os cabos danificados de seu Camalot

Muitos praticantes de escalada em móvel utilizam o Camalot como seu principal equipamento de escalada no seu rack da cadeirinha.

consetar_camalot

Foto: http://blackdiamondequipment.com/

Entretanto, por conta de um problema de projeto que a própria empresa fabricante Black Diamond admite existir, os cabos se rompem em curto espaço de tempo com o uso. O Camalot, entretanto, não está inutilizado, pois a própria empresa também disponibiliza cabos sobressalentes para serem adquiridos.

Os cabos podem ser adquiridos com o nome de “Wire Repair Kit” ou “Trigger Repair Kit” em lojas de equipamentos outdoor existentes no exterior, custando cerca de US$ 7,00 em média e variando dependendo da loja. O kit de reparo da Black Diamond pode ser adquirido pelo eBay e entregue pelo correio.

No vídeo no topo do artigo há um tutorial explicando, passo a passo, como utilizar o kit de reparo. O vídeo foi, inclusive, produzido pela própria empresa.

Materiais alternativos disponíveis

corda_de+raquete

Foto: http://www.planetatenis.com.br

Há ainda uma alternativa, não recomendada pela empresa que fabrica o produto, que é utilizar as cordas de raquetes de tênis. As cordas de raquetes de tênis são de diversos materiais, variando portanto a sua resistência e tensão.

Os tipos de cordas de tênis existentes são:

  • Nylon – Baixo custo e alta perda de tensão.
  • Tripa Sintética – Custo intermediário, perda de tensão moderada
  • Poliéster – Alta perda de tensão
  • Tripa Natural – Baixa perda de tensão
  • Multifilamento – Baixa perda de tensão
  • Copolímero – Média perda de tensão
  • Híbrida – Baixa perda de tensão

As cordas de raquete de tênis também possuem diâmetro variado, desde 1.10 mm até 1.40 mm. Verifique a taxa de tensão que é suportada por cada corda de raquete de tênis, e a tensão que é aplicada aos arames do Camalot.

Os valores de tensão de ambos devem ser compatíveis. Geralmente uma corda de raquete de tênis suporta de 15 a 25 lbs (aproximadamente 10 kgf máximo) de tensão. Portanto verifique qual o valor de tensão mínimo/máximo de um cabo de Camalot. Importante também ficar atento à resistência à abrasão, pois não somente tensão é aplicada aos cabos do Camalot.

Existem lojas especializadas em acordoamento de raquetes de tênis, por isso caso necessite de alguém com mais habilidade no manuseio das cordas de raquetes não hesite em consultar.

O preço de um rolo de cordas de raquetes de tênis varia de R$ 70,00 a R$ 700,00, dependendo do material de fabricação. Cordas de squash e badminton possuem as mesmas propriedades. Lojas de equipamentos esportivos, em geral, possuem cordas de raquetes de tênis para vender. Cabe ao interessado saber o valor do diâmetro e material que deseja.

Há também uma outra alternativa, que é utilizar uma corda de violão ou guitarra. Para o instrumento musical existe no mercado dois materiais: nylon e aço. Preferencialmente opte por utilizar cordas de nylon, pois as cordas de aço de um violão podem ser difíceis de manipular (fazer o nó na ponta, por exemplo).

As cordas de violão são vendidas de diferentes diâmetros:

  • e: Mi agudo (mizinha) – É a primeira corda e a mais fina de todas
  • B: Si – Segunda corda
  • G: Sol – Terceira corda
  • D: Ré – Quarta corda
  • A: Lá – Quinta corda
  • E: Mi grave (mizão) – Sexta e última corda e com o maior calibre

As três primeiras cordas (mizinha, si, sol), são as mais agudas e normalmente não possuem revestimento. São conhecidas como cordas primas. Quando é informado que um encordoamento de violão é 0.10 ou 0.11, significa que a corda mais fina do jogo possui este diâmetro em milímetros.

Portanto, tanto para a corda de raquete de tênis quanto para cordas de violão (ou outro instrumento de corda) é fundamental que passe pelo buraco da castanha. No momento que optar por aumentar este buraco, por qualquer que seja o motivo, você irá alterar drasticamente a castanha do Camalot com relação ao que ela foi vendida.

O Reparo “MacGyver”

O reparo, considerada uma técnica emergencial, é relativamente simples de fazer. Seguindo o mesmo procedimento do vídeo passe pelo orifício onde ficam os arames do gatilho do Camalot a corda de raquete de tênis.

Foto: http://revistatenis.uol.com.br/

Foto: http://revistatenis.uol.com.br/

A ponta da corda que está da “castanha” deve ser “trabalhada” com duas alternativas.

  • 1 – Com uma faca, espátula ou outro metal previamente aquecido, para que a corda sofra uma leve deformação e não passe pelo buraco.
  • 2 – Faça um nó simples ou duplo na ponta da corda de raquete. Este é o mesmo acabamento utilizado nas raquetes.

Próximo ao gatilho amarre da mesma maneira como mostra o vídeo, dando um nó duplo ou triplo (observe os nós na figura acima). Ao amarrar no gatilho verifique antes do nó se a tensão está ideal para que o funcionamento do Camalot não seja comprometido.

FIQUE ATENTO: O reparo MacGyver deve ser considerado emergencial, já que existem no mercado possibilidades de se trocar os arames do gatilho.

no_raquete_2

Foto: http://www.equipamentodetenis.com.br/

O Reparo Oficial

Sempre tenha o critério de utilizar os métodos oficiais utilizados e recomendados pelo fabricante. No vídeo disponibilizado (veja no início do artigo) há todos os passos necessários para a troca dos arames dos gatilhos.

Camalot_7

Camalot_6

Camalot_5

Camalot_4

Camalot_3

Camalot_2

Camalot_1

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.