Como é feita a ressola de uma sapatilha de escalada? Entenda como é o processo e quais os principais conselhos

Este artigo nos chegou graças ao nosso parceiro escaladagranada.es O artigo foi traduzido e possui bons conselhos.

Todo escalador experimenta, cedo ou tarde, o desgaste das solas de sua sapatilha de escalada. Este processo de deterioração é normal, para este tipo de material, por isso a ressola (troca de borracha da sola) de uma sapatilha de escalada é uma prática comum, que permite escaladores economizar dinheiro aumentando a vida útil deste produto.

As sapatilhas de escalada, talvez, são partes importantíssimas dentro do equipamento de escalada. Da mesma maneira que as mãos, este equipamento nos mantêm grudados à rocha, dando-nos segurança de aderência a qual e necessária para subir vias difíceis, seja ela positiva, negativa ou vertical.

A aderência das sapatilhas de escalada está marcada pela capacidade e propriedades técnicas que a borracha da sola possui por ser capaz de manter o agarre (conhecido popularmente como grip). Por causa da dureza das borrachas, além da forma das pontas de uma sapatilha de escalada, é que a aderência de uma sapatilha de escalada pode ser maior ou menor.


Solado oficial inteiro

Solado oficial com ponta “no edge”

Solas tiradas artesanalmente de uma placa de borracha Vibram


Particularmente, a dureza de uma borracha do solado é que determinará o rendimento quanto à durabilidade e agarre, enquanto o formato da ponta da sapatilha de escalada determinará maior, ou menor, superfície de pressão com a qual aplica na área de contato.

O que é uma ressola?

Todas estas características são essenciais sabê-las no momento de comprar uma sapatilha de escalada. Entretanto, uma vez que já a temos e está gasta, temos de considerar a ressola da sapatilha. A palavra “ressola” é usada comumente para definir o processo que é a troca, reparação e substituição das solas velhas e gastas por outras novas.

Portanto é de vital importância ajudar as empresas de profissionais (principalmente no seu expertise e conhecimento) que entregam experiência e qualidade na substituição das solas das sapatilhas de escalada. Esta valorização do profissionalismo é para evitar a alteração de características técnicas das sapatilhas de escalada.

Por isso recomendamos que, enquanto cliente, analisar as numerosas pessoas que oferecem este serviço (para a lista completa de ressoladores no Brasil, acesse aqui) optando sobretudo pela qualidade e não somente pela proximidade de sua casa. Na Espanha, um dos melhores ressoladores do país é a Re-Rubber, empresa respeitada pela seu profissionalismo e destreza quando o assunto é ressola de sapatilhas.

Recomendamos porque, além de levar a sério a atividade e se preocupar em fazer bem a tarefa, também patrocina e apoia vários escaladores que ajudam a melhorar todo o esporte.

Como ressolar uma sapatilha

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=qfPrGuP1kew]

Como podemos observar no vídeo acima (se não assistiu, assista!), a ressola de uma sapatilha de escalada consiste, em grande escala, de três fases principais que determinam o resultado final. Por isso é de suma importância que cada uma delas, em sua totalidade, tenha a preocupação com a ergonomia com a qual o calçado foi concebido.

Isso porque, se a forma for modificada, também se alterará elementos que o usuário irá perceber sentindo incomodidade ou a falta de precisão da ponta. Mais ainda, acontecendo uma modificação na ergonomia do calçado, qualquer ressolador não conseguirá recuperar o calçado da maneira que era quando saiu de fábrica.

Parte do material empregado para a ressola de uma sapatilha de escalada

Esta impossibilidade é porque foram alteradas as formas, tecnologias, entressolas, etc. Por isso que aconselhofortemente perguntar sobre os passos do processo ao ressolador antes de depositar toda a sua confiança em ressolas “não oficiais”. Bons profissionais são reconhecidos pelas empresas que fabricam as sapatilhas.

Procurando profissionais reconhecidos pelo mercado (e não apenas o que está mais próximo) ajudará a conservar suas sapatilhas de escalada em ótimas condições por mais tempo. Investindo em bons profissionais conseguirá também economizar um dinheiro o qual pode dar outro fim com a mesma quantia.

Processo de ressola

As fases do processo de ressola de uma sapatilha de escalada consiste nas seguintes:

1 – Retirada das solas gastas: Existem duas maneiras de tirar as solas. A mais usada entre os profissionais de ressola é lixando. Este método é usado em sapatilhas que também se troca a meia-sola. Há também a técnica de usar calor para descolar e, posteriormente, aplicar a sola inteira.

Ambas as técnicas são igualmente delicadas. Se lixar em excesso não tem como voltar atrás no caso de um erro. Da mesma forma que na técnica de utilizar calor para retirar a sola é considerada a maneira errada de soltar. Pois se a forma específica para a sapatilha de escalada, modifica-se totalmente o desenho no momento de colocar a sola nova.

Sapatilha de Escalada com a sola gasta já retirada para a ressola

Caso o ressolador “perder a mão” quando usar calor, perde-se a sapatilha inteiramente.

Além disso, se não for utilizada a temperatura ideal para borrachas, é arrancada (literalmente) partes necessárias deixando o calçado inutilizado.


2 – Escolha do novo solado: A escolha do novo solado é muito pessoal, ficando sempre um melhor acabamento e funcionamento da sapatilha de escalada com solado inteiro, em relação à meia-sola.

Isso porque é possível transferir maior força exercida à parte dianteira da sapatilha de escalada, distribuindo a tensão por todo o calçado. Assim evita-se cortes que possam ocasionar perdas de tração.

Formas empregadas para a resssola

O solado depende muito do tipo de escalada que queiramos realizar, além do tipo da sapatilha e do peso do escalador. Um escalador mais pesado, irá deformar antes do tempo um solado mais duro que um atleta mais leve.

Portanto uma decisão mais correta para uma melhor rendimento de um solado duro que um mais leve. Lembrando que temos de levar em conta borrachas mais duras para pés pequenos ou mais planos. As gomas mais macias são mais ideais para escaladas para aderências e/ou negativos.

Atualmente, em um mercado repleto de desenhos de sapatilhas de escalada, existem muitos modelos que são fabricados especialmente para determinadas solas. Assim o rendimento pode ser comprometido caso mudarmos o tipo de borracha.

Como foi dito, tudo isso (borracha e design) influencia na decisão do escalador quando compre. Isso porque, dependendo do modelo, há possibilidade de conseguir novas ressolas que sejam desenhadas para o modelo e, desta maneira, efetuar um ajuste ótimo da sapatilha.


 

3 – Cola do solado: Todas as partes do solado são importantes: retirada da sola, escolha da ponta, forma de recortar a sola, cola e acabamento final. Entretanto, a parte mais delicada de todas, e que mais problemas acarreta é a de colagem do solado. A colagem é o que faz com que a sola não se despregue de nossa sapatilha de escalada.

Uma sapatilha mal colada acarreta insegurança e desconforto. O produto utilizado é uma cola de contato em uma porcentagem misturada com um catalisador para aumentar sua força. Esta mescla permite que o solado e calçado entrem em contato e que estejam unidos com perfeição.

Por isso é de vital importância que nesta fase usar uma boa cola e catalizador, espalhado em uma superfície fina e uniforme. Depois disso deixa-se um tempo necessário secando e um leve aquecimento para o final da colagem.

Vale destacar que a cola atua por calor, portanto se usarmos nossas sapatilhas de escalada em calor intenso devemos evitar de expô-las ao sol, evitando que a cola reaja e acabe soltando de algumas partes.

Considerações finais

Como conclusão deste artigo, deixarei uma série de conselhos para a manutenção de suas sapatilhas de escalada:

Somente ressolar suas sapatilhas de escalada quando não existir mais solado para evitar a deformação do calçado, ou ainda quando não existir mais ponta.

Não colocar as sapatilhas de escalada na lavadora de roupas. Algumas de suas partes podem ser afetadas, como a película da entressola (uma espécie de cartão) que são usadas comumente.

Não andar com as sapatilhas de escalada. Este hábito faz com que a parte externa seja deformada, prejudicando inclusive o processo de ressola.

Se você sua muito nos pés, opte por bactericidas ou desodorante aplicados antes do uso. Mesmo assim, utilize papeis absorventes em seu interior para absorver a umidade excessiva, que contribui para alterar a forma da sapatilha de escalada.

Compre o tamanho adequado. Uma sapatilha demasiada pequena pode lesionar e fazer com que a escalada seja muito dolorosa. Uma sapatilha de escalada grande, dificultará movimentos técnicos em vias de alta dificuldade.

Tradução autorizada de Escalada Granada

Mídia digital dedicada ao mundo do esporte em geral, e mais especificamente à escalada esportiva. Com linha editorial baseada na pluralidade de opiniões e variedade de informação.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.