Relatório aponta que parques possuem qualidade do ar ruim

De acordo com um relatório apresentado pela National Parks Conservation Association (NPCA), que é a Associação de Conservação de Parques Nacionais e funciona de forma idependente do governo norte-americano, aproximadamente 96% dos parques dos EUA estão com problemas significativos de qualidade do ar.

O relatório, divulgado na semana passada, revelou que alguns dos parques mais populares dos EUA, incluindo os parques nacionais Sequoia, Kings Canyon e Joshua Tree, assim como a reserva nacional de Mojave, estavam entre os piores nas medições. No ano passado, esses parques registraram até dois meses em que os níveis de ozônio eram considerados perigosos, principalmente no verão, quando a visitação é mais alta.

Em 88% dos parques norte-americanos, a NPCA descobriu que os níveis elevados de poluição do ar eram uma ameaça direta às espécies sensíveis que vivem na reserva. A poluição do ar também está exacerbando a mudança climática, somando-se a uma lista crescente de ameaças aos parques nacionais norte-americanos, que incluem incêndios florestais, secas e temporais foras dos padrões já existentes.

A má qualidade do ar pode causar danos aos pulmões, prejudicar o sistema imunológico e aumentar a inflamação, causando um impacto duradouro na saúde dos guardas florestais e visitantes. Além disso, a má qualidade do ar também causa danos irreversíveis aos próprios parques, pois o ozônio tem a capacidade de afetar a fertilidade do solo, queimar plantas e prejudicar os habitats da fauna.

No Brasil, o instituto responsável pela administração de vários parques nacionais, o ICMBio, não divulga números relativos à qualidade do ar nas áreas que atua. Alguns parques, como o Parque Nacional do Itatiaia, que possui movimentação de veículos constante no seu interior, não é divulgado a qualidade do ar nesta região.

Nos EUA, pesquisadores independentes chegaram a conclusões semelhantes em 2018, detalhando em um estudo científico que, nas últimas duas décadas, a poluição do ar em parques norte-americanos rivalizou com a das 20 maiores cidades metropolitanas, incluindo Los Angeles (terceira cidade mais poluída dos EUA) e Houston. O estudo também concluiu que a má qualidade do ar faz com que algumas pessoas parem de visitar os parques, provocando impactos econômicos em quem explora economicamente o turismo de aventura.

Para saber mais detalhes do relatório: http://www.npca.org

Para saber mas detalhes do estudo: https://advances.sciencemag.org

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.