Conheça as qualidades físicas de um escalador que o faz melhor que outro (explicados pela ciência)

Existe uma grande diferença entre o “achismo”, que é teoria de alguém leigo em uma assunto apoiado em experiências pessoais e baseado somente em exceções pontuais de regras estabelecidas, doo que uma comprovação científica. Infelizmente no meio esportivo o “achismo” é perpetuado por quem não possuo um mínimo de embasamento técnico científico. No universo outdoor não poderia ser diferente: “instrutores” de escalada que não possuem sequer formação técnica de educador físico.

Uma pesquisa e/ou investigação, é um processo sistemático para a construção do conhecimento, gerando novos conhecimentos, podendo também desenvolver, colaborar, reproduzir, refutar, ampliar, detalhar, atualizar, algum conhecimento preexistente, servindo basicamente tanto para o indivíduo ou grupo de indivíduos que a realiza quanto para a sociedade na qual esta se desenvolve.

Para que fique claro, há várias pesquisas científicas realizadas com atletas de escalada. Pesquisas que muitas vezes os “empíricos” ignoram e rotulam de modismos. Os investigadores científicos desportivos, profissionais que se dedicam à pesquisa esportiva, têm mostrado muito interesse na escalada em rocha e indoor. Muito deste interesse se deve pela popularidade que o esporte ganhou nos últimos dois anos, quando tornou-se esporte de exibição na olimpíada.

Após vários estudos, vários cientistas apresentaram seus trabalhos que chegaram a um denominador comum sobre as qualidades físicas específicas do escalador esportivo. O estudo foi publicado no Journal of Human Kinetics, e que está disponível para consulta pública no US National Library of Medicine / National Institues of Health nos EUA, e tentou responder às seguintes perguntas (que motivaram a investigação):

  • Quais variáveis explicam o rendimento do escalador esportivo de alto nível, independente se é à vista ou trabalhado
  • Como as características técnicas, físicas e mentais afetam o rendimento do atleta na escalada?

Como foi feito o estudo?

O espaço amostral do estudo The Structure of Performance of a Sport Rock Climber foi de 30 escaladores em nível avançado no esporte. para determinar o tipo de experiência dos escaladores, estabeleceu que todos deveriam estar escalando segundo os parâmetros abaixo:

  • Escalar à vista – Entre 7a francês (7c brasileiro) e 8a francês (9c brasileiro)
  • Escalar malhando a via – Entre 7b+ (8c brasileiro) e 8b+/8c (10b/10c brasileiro)

Estabelecido a “nota de corte” foram estabelecidos também 45 variáveis que seriam avaliadas nos escaladores. Dentre as habilidades que seriam avaladas:

  • Amplitude física específica
  • Habilidades de coordenação
  • Potência aeróbica
  • habilidade técnica
  • Habilidade tática
  • Características mental
  • Característica somática (proporções físicas, medicas corporais, altura e peso)
  • Rendimento à vista
  • Rendimento malhando a via

Entendendo o Ape Index

Comparação do Ape Index de Ashima e Cyrena – https://brooklynboulders.com

Ape Index – Também conhecido como ape factor ou gorilla index, é um jargão entre os fisioterapeutas e pesquisadores científicos a respeito da diferença de medida que existe entre o tamanho corporal e a distância linear entre a ponta dos dedos.

Acredita-se que quanto maior este índice, maior será a proenção de uma pessoa dar-se melhor no esporte de escalada. O Ape Index é medido de duas maneiras:

  • Ape Index = Distância linear ponta dos dedos / Altura
    • Exemplo: Alguém com 1,75 m e distância linear da ponta dos dedos de 1,80 cm terá Ape Index de 1,028
  • Ape Index = Distância linear ponta dos dedos – Altura
    • Exemplo: Alguém com 1,80 m e distância linear da ponta dos dedos de 1,75 cm terá Ape Index de 5

Dentro dos esportes, possuir um índice Ape Index positivo, ou maior que um, é considerada grande vantagem para praticar esportes como escalada em rocha, natação ou boxe.

Em uma pesquisa informal, feita pelo site Mountain Project em seu fórum, aproximadmaente 50 usuários responderam sobre qual é o Ape Index de cada um deles. O resultado obtido, sem comprovação cientifícica ou veracidade de dados, foi de 1.0311 (pelo primeiro método) e 5,58 cm (segundo método).

A título de comparação, o atleta Michel Phelps, possui os seguintes índices: 1,04 (pelo primeiro método) e 7,60 cm e (segundo método).

Resultados obtidos

A partir do resultados obtidos pelos estudos, os cientistas concluíram que:

Para que um treinamento seja efetivo, é necessário trabalhar as características físicas, técnicas e mentais do atleta. De acordo com gráfico publicado pelo estudo, cada um destes itens são:

  • Característica físicas – 38%
  • Conhecimento de técnicas corporais – 33%
  • Característica mental – 25%

O objetivo do estudo foi construir um modelo baseado em biometria que descreva o melhor rendimento de um escalador. A partir dos resultados obtidos em cada uma das variáveis, concluiu-se que o que faz um escalador se destacar, com relação a outro é:

  • Força máxima dos dedos
  • Força isométrica dos dedos
  • Controle de concentração e impulsividade (reação emocional)
  • Habilidades técnicas
  • Proporcionalidade de braços em relação à altura do atleta (Ape Index)
  • Capacidade de absorção de oxigênio (durante a escalada)
  • Raio de movimento do quadril (abdução e rotação)

Foto: http://www.moonclimbing.com/

Dentre os resultados obtidos, as características mentais, habilidades técnicas, capacidade de avaliação de problemas representam 34% das habilidades mais importantes de um escalador. Estas são características obtidas através de treinamento intenso e tempo de dedicação ao esporte. Além disso, os fatores físicos (também obtidos com treinamento especializado), dentre os mais importantes, destacados pelos cientistas, foram:

Proporcionalidade físicaÀ medida que os braços de um escalador, em relação á sua altura corporal, varia, maior será sua habilidade ou inabilidade para o esporte. Desta maneira o corpo ser mais delgado ou largo é menos importante, se comparado à proporcionalidade dos braços. Braços mais compridos suportam uma carga de força maior

Gordura corporal – Escaladores de alto nível possuem baixo peso e dose de gordura cororal baixa (6% para homens e 12% para mulheres)

Força máxima dos dedos – Os valores de força absoluta de pressão manual de um escalador, eficaram acima dos 30kg par amulheres e 50kg para homens. Entetanto, quando a força é calculada em relação ao peso corporal (força relativa), os escaladores demonstraram um valor significativamente maior. Mas uma massa corporal menor, supõem-se um aumento da força relativa.

Frequência cardíaca – Aumenta diretamente proporcional à dificuldade da via, mas o consumo máximo de oxigênio se mantém. A explicação é a da intensidade de contrações isompetricas intermitentes da musculatura do tronco superior, sobretudo os braços. Há ai uma depend~encia brutal do metabolismo aeróbico e anaeróbico.

VO2maxOs valores de consumo máximo de oxigênio (VO2max) na escalada esportiva é muito similar a ginastas olímpicos e inferiores a atletas de resistência.

Ácido Lático – A tolerância e eliminação do ácido lático durante a escalada, produz um aumento do rendimento. O excesso de ácido lático provoca dores musculares.

Bibliografia

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.