Em nome do mínimo impacto, Patagonia cria linha de fleece fabricado com lã reciclada

Pergunte a cada 10 pessoas que são praticantes de esportes de natureza consideradas experientes qual é a marca que, ao menos aparentemente, é mais preocupada com o impacto ambiental de seus produtos e pelo menos 8 irão responder Patagonia. Não à toa que a marca, que possui produtos com preços um pouco elevados, justifica o valor pela qualidade, ativismo ecológico e inclusão social que a empresa possui com funcionários. Além disso, várias outras ações para a comunidade são praticadas pela empresa, como o seu programa Worn Wear.

Com mais de 4o anos de estrada, a empresa de Yvon Chouinard é a menina dos olhos de quem é preocupado com o planeta e questões sociais. Não à toa a empresa é sempre tema de reportagem em veículos tradicionais não ligados ao universo outdoor: The Economist, The New Yorker, The New York Times, El País, O Estado de São Paulo, entre outros veículos. Em nome da ecologia, a própria marca tomou quase como pessoal a proteção de terras públicas que o governo norte-americano sob comando do presidente Donald Trump anda ameaçando.

A mais nova invenção da empresa chama-se Woolyester Fleece, um fleece de secagem rápida, de boa compactação e com gostosa sensação ao toque. Para confeccionar o tecido, a empresa utilizou lã reciclada. A matéria-prima vem de uma família no interior da Itália, a qual é especializada em reciclagem de lã há pelo menos 150 anos. Graças a este novo processo, o produto final, de acordo com a empresa e empresas de auditoria e engenharia ambiental, utiliza 23% menos água que os fleeces fabricados com material sintético. Além disso, a fabricação do Woolyester Fleece emite 37% menos carbono. Desta maneira a empresa estima que aproximadamente 30.000 quilos de roupas são reutilizados no processo.

Por causa do processo construtivo, esta lã reciclada elimina a necessidade de ser seca, dispensando químicos tóxicos e uso extensivo de água. Além disso a família Calamai, consegue criar uma variedade de cores, proporcionando tonalidades mais diferentes do que os produtos já fabricados. Mas não somente produtos reciclados são adicionados no novo tecido. Para criar o woolyester, uma fibra de micropolyester é utilizada para a malha. Para efeitos de marketing, a empresa utilizou o mesmo desenho dos fleeces disponibilizado nos anos 1970.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.