Overtraining ou sobretreinamento em escaladores – Quando muito nem sempre significa melhor

Este artigo nos chegou graças ao nosso parceiro escaladagranada.es O artigo foi traduzido e possui bons conselhos.

O overtraining, ou sobretreinamento, acontece em escaladores em consequência de uma incansável busca à perfeição doe rendimento. Por isso muitos atletas dedicam tanto tempo quando podem ao treinamento, acreditando assim que quanto mais se treina melhores resultados alcançarão.

O ritmo de adaptação de uma pessoa à carga de treinamento é limitado e, por isso, não pode forçar além da capacidade do corpo. Infelizmente, cada indivíduo responde de modo diferente à mesma tensão de treinamento, de maneira que o que pode transformar-se em um treinamento excessivo para o atleta. Uma pessoa pode estar muito abaixo da capacidade de outra. Por esta razão, é importante reconhecer as diferenças individuais e conhecê-las ao programar os ciclos de treinamento.

Foto : http://escaladagranada.es/

Dias e semanas repetidos de treinamentos podem construir uma tensão muscular consideravelmente positiva, a qual nos ajuda a experimentar mudanças físicas relacionadas com nossa disciplina esportiva. Por outro lado, em muitas ocasiões, consideramos que quantidade e qualidade são sinônimos, analisando as sessões de treinamento somente pelo grau de cansaço que levamos para casa ou, pior, o número total de movimentos efetuados no dia.

Mesmo que o volume de esforço executado em um treinamento é um estímulo importante para o condicionamento físico, existe a possibilidade de exceder-se. Este excesso produz problemas de fadiga crônica, enfermidades, síndrome de sobretreinamento (overtraining) ou, pior, reduz o rendimento. Tudo isso é causado pela falsa ideia de que não treinar significa involuir. Portanto, um descanso apropriado, assim como reduções de volume e intensidade de treinamento, podem melhorar os resultados de forma considerável. Ouo seja, descansando também ficamos mais fortes.

Programas de treinamento

Um program de treinamento bem planejado, incorpora o princípio de sobrecarga progressiva (para maximizar os benefícios do treinamento, o estímulo a trabalhar deve aumentar progressivamente conforme o corpo se adapta a esta nova rotina. Desta maneira acabaremos adaptando-nos a este nível de estímulo e, assim, nosso corpo para melhorar terá que aumentar novamente este estímulo de treinamento).

Mas é provável que nosso planejamento, ou mesmo a improvisação, em nossas sessões de treinamento de escalada nos leve a um treinamento excessivo no qual o volume e intensidade, ou ambas, se somam com demasiada rapidez. Sem a progressão apropriada. Este treinamento, com volume ou intensidade demasiadamente alta não produzirá nenhuma melhora no condicionamento ou rendimento. Desta maneira levando a um estado crônico de fadiga, associado com o esgotamento do glicogênio muscular. Neste momento é quando escutamos frases do tipo: “hoje não o que me passa”, “estou muito cansado de ontem, que estive treinamento”, “me dói tudo”, etc.

Overtraining

Exemplo de antebraço “inchado” | Foto : Filipe Ascensão

Muitos escaladores estão obcecados com o treinamento. Alguns tentam fazer um esforço maior do que podem fisicamente aguentar. Este esforço a acima da capacidade chama-se sobretreinamento ou overtraining. Quado isso acontece é estresse do treinamento excessivo, por superar a capacidade corporal de recuperar-se e adaptar-se. Assim é produzido mais catabolismo (decomposição) que anabolismo (acumulação) .

Como resultado, encontramos um desgaste no nosso rendimento físico que poderá afetar, além de fisicamente, também psicologicamente. A escalada é um esporte muito agressivo para as nossas estruturas de tendão, ossos e músculos. Por isso que devemos considerar períodos corretos de repouso, os quais valorizaremos a possibilidade de dar tempos de descanso a nosso organismo. Assim permite-se a correta adaptação de nossas estruturas a novos estímulos oriundos do treinamento. O descanso nos fará escaladores mais fortes, lesionando-nos menos e capazes de escalar mais e melhor (e por mais tempo). Para isso é importante evitarmos erros deste tipo.

Para concluir, aconselhamos, de forma genérica, um repouso ativo (corrida, bicicleta, musculação, escalada a 30%, etc) de cinco a sete dias após três ou quatro semanas de treinamento. Isso deve ser suficiente para evitar um imenso treinamento excessivo ou, como está no título do artigo, sobretreinamento de escaladores.

Tradução autorizada de Escalada Granada

Sobre o Autor

Escalada Granada

Escalada Granada

Mídia digital dedicada ao mundo do esporte em geral, e mais especificamente à escalada esportiva. Com linha editorial baseada na pluralidade de opiniões e variedade de informação.

There is one comment

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.