O processo de aprendizagem é mais importante que o objetivo: Como não ter medo de ser testado

Como podemos balancear diversão e seriedade sobre o que estamos fazendo? O livro de William Irvine, “Um Guia para a Boa Vida“, sobre a sabedoria estoica, pode nos dar alguma orientação. Os estoicos querem viver vidas significativas. Uma maneira de criar significado é ter o desejo de ser testado.

Lúcio Aneu Sêneca, um dos estoicos mais conhecidos, disse: “tão longe… ele está de se encolher das bofetadas das circunstâncias ou dos homens, que ele conta até a injúria como proveitosa, pois através dela encontra um meio de se colocar à prova e faz um julgamento de sua virtude”. Sêneca usa a palavra “injúria” para se referir aos julgamentos de outros. Nas palavras de hoje, Sêneca poderia dizer: Será que nos encolhemos pelos desafios, até mesmo pelos julgamentos, porque através deles encontramos um meio de provar e testar a nós mesmos?

Os estóicos praticam ver valor nos eventos estressantes que ocorrem com eles. Eles fazem o melhor para ver os julgamentos de outras pessoas ou lutas inesperadas como experiências valiosas. Eles também praticam negar-se certos confortos que não estão alinhados com seus objetivos. Isso melhora sua capacidade de lidar com os fatores estressantes específicos que encontrarão nas jornadas de aprendizado que escolheram. Eles praticam ser gratos pelo que têm, em vez de se fixarem naquilo que não têm. Isso ajuda a se concentrar no momento do desafio atual.

Os estóicos são sérios sobre como eles abordam a vida e pode parecer que eles não se divertem muito. No entanto, eles podem se divertir mais do que imaginamos. Suas práticas mudam sua atenção para o momento presente, o que pode criar experiências mais significativas, envolventes e divertidas.

Podemos criar vidas significativas para nós mesmos encontrando maneiras de nos divertir muito. Fazemos isso equilibrando diversão com seriedade. Vamos considerar um exemplo de uma atleta feminina que compete para ver como ela consegue navegar nesse equilíbrio.

Primeiro, ela é séria sobre o que faz definindo metas significativas. Ter metas claras, específicas e mensuráveis dá a ela a visão de direcionar seu processo de aprendizado. Digamos que ela defina a meta de fazer parte da equipe nacional de escalada esportiva este ano. Esse objetivo é claro, específico e mensurável. Segundo, ela alinha três aspectos de seu processo de prática que a ajudam a se divertir enquanto trabalha em direção ao seu objetivo:

Hierarquia de meta/processo: ela valoriza o objetivo e o processo de aprendizado, mas os coloca em uma hierarquia de valores. Seu foco principal é valorizar e aproveitar o estresse que ela experimentará; seu foco secundário é atingir o objetivo. Ser julgado pelos outros e lutas inesperadas inevitavelmente ocorrerão e farão parte de sua jornada de aprendizado. Ela vê essas experiências como valiosas oportunidades de aprendizado.

Motivação baseada no conforto: Temos uma tendência natural para sermos motivados pelo conforto. Essa motivação pode fazer com que ela passe algum tempo em contato com as amigas durante os treinos na academia. Ter um objetivo a ajuda a negar tais confortos e direciona sua motivação baseada em conforto para seu treinamento estressante.

Foco: Ela terá muitos fracassos enquanto trabalha em direção ao seu objetivo. Falhas podem ser difíceis de lidar se ela amarrar seu valor próprio a elas. Em vez disso, ela amarrará as falhas ao seu esforço. Quando ela falha, percebe o que deve mudar em seu esforço, e isso desloca sua atenção para o momento. Ela não se fixa em querer ter sucesso; ela se concentra nas oportunidades de aprendizagem que ela tem.

Foto: IFSC/Eddie Fowke

Seu objetivo de entrar na equipe nacional de escalada esportiva informa o que ela precisará aprender. Ela precisará desenvolver habilidades específicas para escalada esportiva, como mover-se rapidamente, descansar de forma eficaz e se mover com precisão. Ela também precisará desenvolver várias forças físicas, como resistência, potência e resistência de força. Ela os integra em um programa de treinamento para que seu treinamento flua com facilidade e eficiência.

Sua hierarquia de meta/processo a ajuda a se concentrar no processo de seu treinamento. Sua motivação baseada em conforto a ajuda a encontrar a maneira mais fácil de fazer o treinamento, considerando o objetivo que deseja atingir. Seu foco no esforço ajuda-a a lidar com os fracassos, vendo-os como oportunidades de aprendizado. Juntos, estes três aspectos ajudam-na a divertir-se porque mudam a atenção para o momento presente. Ela é grata pela oportunidade de se aplicar a algo significativo.

Nós podemos fazer isso com a nossa própria escalada. Estamos falando sério ao definir uma meta clara, específica e mensurável: escalar uma linha específica que nos inspira. Nós nos divertimos porque alinhamos os três aspectos da nossa jornada de aprendizado.

  1. Primeiro, a experiência de escalar é mais importante do que chegar ao topo da linha.
  2. Em segundo lugar, permitimos que nossa motivação baseada em conforto nos ajude a subir com eficiência, considerando o objetivo que queremos alcançar.
  3. Em terceiro lugar, ficamos curiosos sobre nossos fracassos, quando ficamos aquém do objetivo.

Ter metas e alinhar esses três aspectos nos ajuda a nos divertir com seriedade à medida que escalamos e vivemos nossas vidas. Elas nos ajudam a enfrentar os desafios, em vez de nos afastar deles. Nós os usamos não para provar nosso valor, mas para provar que aprendemos o suficiente para passar em um teste significativo que escolhemos. Estamos falando sério e nos divertindo ao mesmo tempo.

Dica Prática: diversão séria

Cultive o desejo de ser testado. Primeiro, seja sério identificando um objetivo significativo. Em segundo lugar, divirta-se alinhando esses três aspectos.

  1. Hierarquia de objetivos / processos: Lembre-se continuamente que o processo de aprendizagem é mais importante que o objetivo para que você aproveite sua jornada de aprendizado.
  2. Motivação baseada no conforto: não se castigue por desejar conforto. Em vez disso, direcione sua motivação baseada no conforto para o estresse da escalada enquanto trabalha em direção ao seu objetivo. Concentre-se em encontrar a maneira mais fácil e eficiente de escalar.
  3. Foco: você não é uma pessoa melhor ou pior com base nos resultados criados. Separe como você se sente em relação a si mesmo dos seus fracassos. Amarre as falhas ao seu esforço. Fazendo isso, você ficará curioso sobre sua jornada de aprendizado.

1-WarriorsWaylogo_

O livro “The Rock Warrior Way – Mental Training for Climbing” está à venda traduzido para a língua portuguesa no Brasil em: http://www.companhiadaescalada.com.br/

Tradução do original em inglês: Gabriel Veloso

Arno Ilgner distinguiu-se como um escalador pioneiro nos anos 1970 e 80, quando as principais ascenções foram as primeiras fortes e perigosas. Essas façanhas pessoais são a base para Ilgner desenvolver o programa de treinamento físico e mental – Rock Warrior Way ®. Em 1995, após uma pesquisa aprofundada da literatura e prática de treinamento mental e as grandes tradições guerreiras, Ilgner formalizado seus métodos, fundou o Instituto Desiderata, e começou a ensinar seu programa de tempo integral. Desde então, ele tem ajudado centenas de estudantes aguçar a sua consciência, o foco de atenção, e entender seus desafios de atletismo (e de vida) dentro de uma filosofia coerente, baseada em aprendizado de tomada de risco inteligente. Ilgner considera a alegria e satisfação no esforço – a “viagem” – intimamente ligada à realização bem sucedida das metas.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.