Neuro Athletics: Os exercícios para o cérebro que melhoram as funções do corpo

Você já ouviu fala de Neuro Athletics? Pois, trata-se de uma técnica de vanguarda utilizada para otimizar a performance de atletas. A princípio pode até parecer que seja apenas uma novidade vendida como a última maravilha do mundo, mas esta técnica já é utilizada largamente na Alemanha com resultados concretos. A metodologia já possui quase 8 anos de existência e os atletas que a utilizaram apresentaram resultados consistentes.

Nos congressos de treinamento de alto desempenho e simpósios de ciência do esporte, a metodologia está sendo apresentada, discutida e dissecada por grande parte de quem lida com atletas de alto rendimento. Como a metodologia foi criada por alemães, a princípio há somente exemplos com atletas deste país. Porém os resultados foram surpreendentes e pode vir a ser, caso seja incorporada por mais técnicos, atletas e equipes. Para treinamento de atletas, até mesmo de desempenho mediano, apostar em técnicas empíricas e sem embasamento científico é ficar preso a uma realidade de 10 a 15 anos.

Uma dura realidade para quem ficou sentado em berço esplêndido? Pode ser, mas em um mundo cada vez mais de alto rendimento em esportes, ficar preso ao passado apenas porque ganhou títulos há 15 anos, é ser condenado à “segunda divisão” do esporte. Atletas de elite como Gina Lückenkemper, medalhista no campeonato europeu de atletismo nos 100 metros rasos ou jogadores de futebol, Mario Götze e Per Mertesacker, da equipe que goleou a Seleção Brasileira por 7×1 em 2014, são alguns deles. Alguns esportes, individuais ou não, continuam perdendo pelo mesmo placar por estarem estagnados em treinamento. Não somente para a Alemanha, mas também para Argentina, Chile, etc.

Pela performance dos atletas alemães na Copa do Mundo no Brasil, Lars Lienhard foi considerado pela comissão técnica como uma das peças chaves do sucesso da equipe naquele mundial. O motivo é até simples: permitiu os atletas renderem o seu melhor, que é o principal objetivo do Neuro Athletics.

O especialista em performance, e adepto do método Neuro Athletics, chamado por alguns autores como neuroatélica, Lars Lienhard, junto de Martin Weddemann, introduziram a metodologia na Alemanha entre os esportistas de elite. Apesar da resistência inicial, muitos acabaram apostando na novidade e acabaram se dando bem.

Atletas de nível olímpico, todos já estabelecidos e considerados de alto rendimento, se destacaram nos mundiais de 2012, 2014, 2016. A seleção alemã de futebol (antes e durante a Copa do Mundo de 2014) confiou no método na dupla. O método foi apresentado no livro “Training beginnt im Gehirn” (“O treinamento começa no cérebro”, em tradução livre), que ainda não possu tradução para o português ou inglês.

Treinamento ajuda a conectar corpo e cérebro

Lienhard descreve em seu livro que o treinamento de qualquer atleta começa no cérebro. Por exemplo, Gina Lückenkemper usa exercícios especiais de alongamento para manter intactas as ligações nervosas do corpo com o cérebro. “Estas ligações nervosas devem ser imaginadas como uma mangueira de jardim. Se houver uma curva, menos água chegará”, explica o autor. Na metodologia, adaptada ao treinamento de Lückenkemper, a atleta treina o sistema visual de forma particularmente intensa.

Este treinamento visual tem uma justificativa, segundo a neuroatélica “quanto melhor a informação visual dos os olhos para o cérebro, maior será qualidade de nossos movimentos gerados. Assim o cansaço e a dor começam a não serem percebidos de maneira intensa, porque a dor, segundo afirma Lienhard, também ocorre no cérebro. Desta maneira o sistema visual ativará numerosas áreas que têm a ver com a regulação da dor.

A eliminação de assimetrias e desequilíbrios no corpo também é importante no método Neuro Athletics. Nossas metades corporais são controladas e coordenadas separadamente no cérebro, de modo que o treinamento é direcionado ao “lado mais fraco”. Exemplificando: Caso o lado “fraco” seja a mão esquerda, esta é que deve ser treinada. Já para quem é canhoto, o lado direito é o que deve ser treinado.

O método Neuro Athletics é relativamente simples, chegando a ser quase auto explicativo. Porém a sua aplicação e os exercícios é que fazem a diferença. Consiste em exercícios focados no cérebro do atleta, enquanto ele executa movimentos básicos da atividade física. Em vez de focar exclusivamente nos músculos centrais e nos membros, negligenciando que exista uma influência mental, especialistas como Lars Lienhard pretendem conectar o cérebro e o corpo.

Usando uma analogia de computação para descrever os efeitos da neuroatélica a um atleta seria dizer que os melhores atletas seriam aqueles que possuem o melhor software de movimento instalado cérebro. Partindo deste princípio, os atletas recebem a entrada de sinais mais clara da parte externa de seu corpo em seus sistemas de entrada.

Para criar um desempenho de pico, livre de lesões, nosso cérebro precisa de uma atualização deste “software de movimento” diariamente. Portanto, Lars Lienhard aplica exercícios para explorar os efeitos da neuroplasticidade. Resumindo: Quanto melhor e mais nítido for o sinal de entrada para o cérebro, melhor será a performance do desempenho esportivo, com menor risco de se machucar. Durante as competições, de qualquer esporte, o uso da Neuro Athletics, em conjunto com trabalho de treinamento específico do esporte, serve para para manter o jogador focado e motivado todo o tempo.

Para quem está cético quanto à novidade, saiba que há rumores de que nos EUA os astros do basquete da NBA Steph Curry e LeBron James, estão experimentando secretamente com treinamento de desempenho baseado no método de Neuro Athletics para melhorar suas habilidades. No futuro, muito provavelmente, não haverá muitos treinadores atléticos, pois eles serão gradualmente substituídos por especialistas em movimento e estímulo cerebral. Claro que todos formados em ciência do esporte, mas com uma visão macro e nem tanto empírica.

Mas como um montanhista, ou mesmo um escalador, pode se tornar melhor com este método, em termos de treinamento? Lars Lienhard explica que o atleta vai maximizar seu desempenho quando maximizar sua qualidade de informações recebidas de seus sistemas mais importantes (visual, vestibular e proprioceptivo).

Para Lienhard é possível aumentar o desempenho de um atleta tecnicamente, atleticamente, taticamente e mentalmente enormemente depois de verificar sua função cerebral e endereçar áreas deficientes, com insumos otimizados e exercícios específicos. Mas o alemão explica que Neuro Athletics é um processo muito individual, não havendo soluções únicas ou exercícios preestabelecidos, pois é necessário testar cada atleta individualmente e projetar para as suas rotinas neuroatélicas esportivas.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.