Mulher não deve fazer as coisas como se estivesse em uma competição com os homens

Nota do editor: Na semana da mulher, a Revista Blog de Escalada pediu que praticantes destacadas de seus esportes escrevessem seus sentimentos sobre o universo outdoor, tendo toda a liberdade para expor seus sentimentos. Desta maneira a Revista Blog de Escalada, mais uma vez, demonstra ser o veículo brasileiro que mais respeita a diversidade.

O texto é de inteira responsabilidade e autoria das convidadas. Sem qualquer tipo de censura prévia.

A sexta convidada na semana da mulher é montanhista capixaba Janaína Bastos Depianti


Por Janaína Bastos Depianti

Hoje um amigo me ligou perguntando se eu poderia escrever um texto sobre minha vivência enquanto mulher no esporte outdoor!

Confesso que no começo fiquei assustada, pois o texto deveria ser escrito em poucas horas, porém, me senti desafiada a escrever sobre algo que me motiva muito, a escalada.

Desde muito cedo, sempre gostei de esportes que tinham contato com a natureza, como as trilhas. Porém, devido a rotina puxada de estudos durante a graduação, mestrado e doutorado, na área da física, fiquei reclusa dessas atividades para me dedicar exclusivamente as obrigações acadêmicas.

No que tange ao esporte, pude, assim que terminei o doutorado, voltar aos poucos a praticá-lo novamente. Comecei pela corrida de rua e sempre buscando fazer as provas de trail run principalmente devido às paisagens. Até que na corrida, pelo que percebo, as mulheres têm marcado presença, pelo menos aqui no Espírito Santo (ES).

Foto: Acervo Pessoal Janaina Bastos Depianti

Apesar de a corrida me trazer uma boa sensação, senti a necessidade de buscar algo que me desse um pouco mais de adrenalina, foi quando, comecei a praticar o rapel. Me lembro que fui apenas algumas vezes e senti que já estava ficando um pouco monótono “só descer”. Para mim, já não tinha mais graça! Então, em dezembro de 2016, resolvi fazer um curso de escalada na cidade do Rio Janeiro (RJ) e sinceramente, foi a melhor escolha que já fiz na vida!

Aqui no Espírito Santo, procurei por pessoas que escalavam e fui muito bem recebida por elas. A escalada aqui é praticada mais por homens, não sendo diferente de outros esportes outdoor. O que achei bem bacana é o incentivo que eles dão para as meninas que querem praticar e evoluir no esporte. Eles sempre nos incentivam, nos apoiam e ajudam o time feminino a se fortalecer. Não dão moleza porque somos mulheres não!

Ainda sendo “relativamente novata” na escalada, preciso avançar e crescer mais neste esporte. Até hoje, não tive a oportunidade de escalar vias tradicionais com cordadas apenas femininas, mas, é um projeto para este ano! Mas destaco que, às vezes, seja na escalada esportiva ou em boulders, vamos sozinhas para rocha e não fazemos feio!

Foto: Acervo Pessoal Janaina Bastos Depianti

Durante a escalada, cada movimento para chegar na próxima agarra requer muita leitura e concentração! É uma relação entre você e a rocha! Você não pensa em mais nada, apenas em como fazer o próximo “move” e tocar para cima! Ao término, a sensação de chegar ao cume da montanha ou de encadenar uma via esportiva é algo indescritível! Eu fico em êxtase!

Quanto as conquistas de vias pelas mulheres, notei que ainda é bastante pequena. Não sei por qual motivo, mas, prefiro pensar que possa ser desinteresse por parte delas. Não sei bem ao certo! O que devo dizer é que estou aqui e pronta para qualquer desafio. Sem contar que o time feminino daqui é bastante forte e unido! E de maneira mais romântica, sem fugir do propósito do texto, posso dizer que fiz verdadeiras amigas-irmãs na escalada!

Também tenho acompanhado a escalada feminina por aí afora e fico muito feliz em saber que as mulheres estão encadenando vias que poucos escaladores fizeram e estão cada vez mais se sobressaindo. Digo isto não apenas neste esporte, mas em muitos outros e também em diversos segmentos que são ocupados predominantemente por homens.

Foto: Acervo Pessoal Janaina Bastos Depianti

Assim, me sinto desafiada, e quando tiver mais experiência na escalada, quero partir para a conquista de vias, independente do seu grau de dificuldade. Sou do seguinte pensamento: se você quer, corra atrás e faça! E em especial, para nós mulheres: podemos fazer o que quisermos e onde quisermos! Temos que nos empoderar!

Mas é importante ressaltar também, e ter em mente que, a mulher não deve fazer as coisas como se estivesse em uma competição com os homens, ela deve procurar fazer aquilo ou estar onde ela se sinta feliz. Fazer apenas por ela e para ela!

Sem mais delongas!

Convido a todas as mulheres para conhecer o universo da escalada e assim como eu se encantar e se motivar para a prática de um esporte que tem me despertado sentimentos que até hoje, nenhum outro foi capaz de fazer!

There is one comment

  1. Sarah Cantarino

    Boooouaaa! Parabéns pelo texto, Janaína. Muito bem pontuado, não estamos na escalada para nos mostrar mais melhores ou “ocupar” o espaço dos homens. Nós começamos na escalada pelo despertar dessa paixão que está na essência de cada um! Seu começo está sendo muito bonito de ver, evoluindo muitor e com muita paixão pelo que faz. Uma inspiração para todas as mulheres a não se limitarem e a se dedicarem para evoluir cada vez mais!

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.