Montanhistas com mais de 40 anos: Quais são as principais dicas para manter-se ativo com qualidade?

Embora seja um esporte considerado relativamente novo, o montanhismo e escalada, já possui ma fatia considerável de praticantes com mais de 40 anos. Notadamente há ainda uma gorda fatia de percentual do total que já estão na faixa dos 30 anos (muitos ensaiando entrar nos 40).

Além do amadurecimento da mentalidade dos praticantes, além de uma natural maneira de repensar o mundo e a coisas que o cercam, chegar aos 40 anos e ainda permanecer ativo dentro da modalidade esportiva que pratica é mais um desafio a quem chega a esta idade.

montanhistas

Sargento Roger Murtaugh interpretado pelo ator Danny Glover

Independente de ser ruim, ou bom, fazer 40 anos, uma coisa é inegável: é necessário se cuidar mais. Para identificar o que deve ser mudado, basta seguir a regra simples de Roger Murtaugh, personagem icônico da franquia de filmes Máquina Mortífera (Lethal Weapon, 1987). Todas as vezes que enfrentava a realidade de não possuir mais juventude ou saúde para algo, o personagem resmungava “estou muito velho para esta merda” (I´m too old for this shit).

Portanto, sempre que fizer algo e concluir que está espiritualmente cansado para alguma atividade que realizava quando novo, significa que algo entrou para a sua “Lista Murtaugh”.

montanhistas

Yvon Choinard quando tinha 40 anos em Yosemite | Foto: Tom Frost

O corpo do ser humano quando chega aos 40 anos começa a sentir mais acentuadamente o envelhecimento. Algumas capacidades físicas como capacidade aeróbica, coordenação motora, capacidade de recuperação, entre outras coisas, começam a dar sinais de desgaste. Importante salientar que chegar aos 40 anos não é o fim do mundo, envelhecer faz parte do ciclo de vida de todos nós. Hoje a pessoa que ri dos mais velhos por ter 20 e, aparentemente, sentir-se com toda energia do mundo, chegará aos 40 anos.

Por isso, caro leitor que entrou, ou está por entrar, na faixa etária dos 40 anos abaixo estão as principais dicas para quem deseja manter-se ativo com qualidade

Recuperação física

Foto: http://www.floclimbing.com

Por mais que uma pessoa seja fisicamente ativa, ao chegar aos 40 anos é perceptível que sua recuperação física, após uma trilha, escalada ou mesmo treinamento intenso, não é a mesma. Há quem afirme que nesta idade deve-se alternar treinos intensos e leves. Mas não necessariamente isso é verdade.

Para quem deseja continuar tendo boa performance, deve começar a levar mais a sério o planejamento da atividade física. Portanto é necessário começar a utilizar, na preparação física, o conceito de microciclo, macrociclo e mesociclo. Por isso é fundamental procurar um técnico de escalada que tenha uma boa bagagem em preparação física e, preferencialmente, seja formado em educação física.

Muito provavelmente a esta idade, alguém com 40 anos já saiba identificar um charlatão travestido de “experiente de X anos no esporte”. Saber afastar-se de pessoas que possuem conhecimento empírico, além de valorizar quem buscou o conhecimento e estudo ao longo da carreira, é um excelente passo. Caso o local que treina tenha o hábito de empregar pessoas inadequadas ministrando treinamentos apenas por serem experientes, ou mesmo ex-atletas, mas sem a formação necessária, o melhor é procurar um local melhor.

Saber dosar de maneira inteligente a intensidade nos treinos é um dos segredos para continuar rendendo em alto nível (dentro das suas possibilidades, claro). Para saber dosar a intensidade depende de dois fatores: treinador e maturidade. Será o seu treinador, ou mesmo o seu orientador, que irá direcionar os treinos, assim como a intensidade que deve aplicar. Há de saber que há dias que tem de forçar, mas há outros que não. Saber isso faz parte da maturidade, que já deveria ter com esta idade.

Alimentação

A escaladora Lynn Hill, 56, continua escalando em alto nível

Para estar em forma, apenas preparação física não é suficiente. É fundamental ter uma alimentação balanceada e sem exageros. Maneirar no consumo de doces, álcool, frituras e todo tipo de comida “engordativa” é o primeiro passo. Aos 40 anos toda pessoa deve aprender a identificar momentos que o próprio corpo pede uma “compensação” por alguma tristeza. É neste momento que as escapadinhas da dieta acabam engordando.

Procurar um profissional nutricionista é a chave de uma boa longevidade. Desta maneira você poderá não somente controlar o ganho de massa, mas também realizar planejamentos de estado físico a alguma viagem. Também é possível identificar as deficiências vitamínicas e também intolerância a algum alimento.

Não que deva renunciar a várias comidas de que goste. Mas a esta altura deve ter percebido que a vida é feita de escolhas, e o seu futuro próximo é fruto destas escolhas. Portanto quando decidir beber algo, comer alguma coisa, ir a uma festa, deve saber que isso irá impactar na sua escalada ou no seu trekking. Saber dosar estas escolhas, não as priorizando sempre, é que irá caracterizar a sua longevidade no esporte.

Alongamento e aquecimento

Grande parte dos praticantes de montanhismo e escalada não possuem o hábito de alongar-se. Uma porcentagem quase semelhante também não se aquece para uma atividade física. Ao não alongar ou aquecer, o aparecimento de lesões são mais frequentes. Por isso, criar o hábito de alongar antes e depois das atividades físicas é fundamental.

Atletas com mais de 40 anos requerem mais tempo em recuperar de lesões musculares. Exatamente por isso que devem se preocupar mais com alongamento e aquecimento.

Não há estatística disponível a respeito de quantas pessoas com mais de 40 anos lesionaram-se e acabaram de praticar a atividade. Mas é bastante comum uma história ou outra aparecer em um encontro. Portanto, preocupar-se em prevenir lesões é fator importante em manter a motivação.

Motivação

O escalador espanhol Dani Andrada, 42, continua motivado como um garoto

Continuar a praticar uma atividade física ao longo do tempo requer constante renovação da motivação. Possuir motivação para manter impulso interno que leva à ação de sair de casa é o que faz a diferença entre um quarentão típico (que foi estereotipado em séries e novelas) de alguém ativo e ainda “internamente jovem”. Usando palavras bem clichê, é ela que faz você levantar de manhã em um final de semana para enfrentar uma trilha ou uma via de escalada.

Para isso procure evitar aborrecimentos com outros praticantes. No caso de uma viagem em algum feriado, caso saiba que algum grupo de pessoas que não tem afinidade ir ao mesmo lugar que você, considere mudança de planos. Aos 40 anos você já deveria saber que a vida é muito curta para ser pequena e aguentar pessoas que não gosta, já basta o seu emprego. Ao menos nele você é pago para isso, na trilha ou na escalada não.

Combine de ir fazer a atividade com quem possui as mesmas afinidades que você. Ir praticar qualquer coisa com alguém que não tem prazer de ficar perto, apenas irá desejar voltar em casa e assistir Netflix.

O mundo é a sua casa

Se fica sempre indo ao mesmo lugar, mas não é trabalho, então você morreu e não sabe

É muito comum aos 40 anos de idade as pessoas reclamarem do emprego e de como a atividade é monótona. Todos os dias as mesmas pessoas, com o mesmo tipo de trabalho no mesmo lugar. Portanto para continuar ativo, procure variar os lugares que você pratica a sua atividade. Se você possui uma rotina durante a semana, que é seu trabalho, mas também ao final de semana possui a mesma, que é frequentar o mesmo lugar e repetir os mesmos trekkings e vias de escalada, provavelmente está perto de abandonar a atividade.

Junto da sensação dos 40 anos, há também uma carga de sabedoria diante de vários aspectos da vida. Por isso mesmo que, alguém com esta idade, já deveria saber que há vários lugares no mundo que não conhece e que neles poderia praticar a sua modalidade. Na cidade, estado, país ou mesmo o continente que vive muito provavelmente um lugar interessante que não conhece. Pois é nesta situação que pode fazer você se manter ativo até os 50, 60, 70, etc.

Aquele que somente vai a único lugar, sem nunca variar apenas para contar histórias de vantagem às demais pessoas desperdiça a vida e apenas torna-se um velho de fato, pois o mundo existe para ser explorado.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

There are 2 comments

  1. Therezinha Beatriz Rodrigues Barros

    Eu hj tenho 54 anos e aos 40 atingi o ápice do condicionamento físico e mental.Não se abale com comentários de moleques de 20 que te chamam de tia. A tia aqui dá banho de saúde em relação a estes. Se prepare e vái. O mundo é lindo e te espera de braços abertos! Vái se joga!!!!

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.