Marcas de equipamentos lançam campanha conscientização sobre forramento de penas de ganso

Foto : http://www.vier-pfoten.org/

Foto : http://www.vier-pfoten.org/

Com um rendimento superior no aquecimento, se comparado a jaquetas com forro sintético, as indumentárias com forramento de penas de ganso ainda são o que possuem melhor desempenho.

Com o processo de terceirização de mão de obra (leia-se trabalhadores chineses) em outros países, há uma maior preocupação das marcas em garantir que haja uma sustentabilidade na produção de equipamentos.

Pesando nisso marcas do calibre de Patagonia e The North Face estão iniciando uma campanha, cada qual a seu modo, para que haja uma postura ética não somente delas, mas também da concorrência no momento de fabricar jaquetas e sacos de dormir com forro de penas de ganso.traceable-patagonia-3

Em números, o dado impressiona : 70% do mercado de penas de ganso hoje pertence à China, sendo 25% oriunda do leste europeu.

A preocupação é a seguinte : que os gansos não sofram maltrato como forçados a comer para crescimento precoce (através de tubo goela abaixo), nem tenham suas penas arrancadas ainda quando estão vivos sem ao menos que se aproveite a carne.

Parece uma preocupação superficial, mas não é.

Por isso as duas maiores empresas de equipamentos outdoor dos EUA, Patagonia e The North Face, iniciaram um selo de qualidade que garante ao usuário que aquele ferramento possui uma garantia de que não houveram maltrato ao animal.

Outras marcas estão sendo convidadas a entrar na campanha como H&M, Eddie Bauer, Marmot, Mammut, Outdoor Research entre outras, que estão muito perto de assinar o tratado.

Para o selo de qualidade haverá um treinamento destas fazendas criadoras de gansos, para que cada jaqueta o forramento seja rastreado, para a investigação do próprio usuário.

A The North Face batizou seu selo de qualidade de RDS (Responsible Down Standard) e Patagônia de Traceable Down Standard e ambos tem data para estar valendo em alguns anos.

O projeto da Patagonia entretanto é mais rígido, e ambicioso, tendo como objetivo instituir o padrão até 2017.

traceable-patagonia-2

traceable-patagonia

Sobre o Autor

Luciano Fernandes

Luciano Fernandes

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.