Falar sobre machismo, por mais estranho que pareça, é um tabu no meio outdoor

Nota do editor: Na semana da mulher, a Revista Blog de Escalada pediu que praticantes destacadas de seus esportes escrevessem seus sentimentos sobre o universo outdoor, tendo toda a liberdade para expor seus sentimentos. Desta maneira a Revista Blog de Escalada, mais uma vez, demonstra ser o veículo brasileiro que mais respeita a diversidade.

O texto é de inteira responsabilidade e autoria das convidadas. Sem qualquer tipo de censura prévia.

A sétima convidada na semana da mulher é a montanhista Lenice Medina


Por Lenice Medina

As mulheres estão a cada dia ganhando mais espaço no universo outdoor. Isto é um sinal de que estamos saindo de casa e mostrando para o mundo que não somos esse ser frágil e indefeso que em algum momento de nossas vidas quiseram nos fazer acreditar que somos.

Há alguns anos iniciei minha trajetória no universo outdoor. Minha paixão são os trekkings. Dentro os que já realizei estão Serra Fina, Pedra da Mina, Petrópolis-Teresópolis. Durante as minhas experiências nesse universo vejo mulheres chegando tímidas e voltando para casa empoderadas sobre seu lugar no mundo. No entanto, ainda que fortes e destemidas somos levadas a prova a cada montanha que subimos.

Foto: Aceervo Pessoal Lenice Medina

Não basta querermos praticar um esporte outdoor, temos que provar diversas vezes que somos tão capazes quanto os homens. Alguns homens tendem a não lidar bem com uma mulher à sua frente em uma trilha, é algo bem sutil, mas que acontece, parece até algo bobo, mas é o velho e ultrapassado machismo que surge até de forma inconsciente, porque vivemos, ainda, sob um sistema patriarcal.

Não tenho medo de um animal peçonhento, de varar mato, de carregar o peso da minha cargueira nas costas, de montar minha barraca num lugar deserto, de percorrer quilômetros em uma trilha subindo e descendo de nível. Meu maior medo é de estar sozinha e encontrar um homem que não vá me respeitar.

Não queria sentir isso, mas é um sentimento verdadeiro (meu e de muitas mulheres com quem já conversei sobre o assunto), até em viagens solo e mochilões esse receio está presente. O fato de o trekking ser um esporte que é seguro quando praticado em grupo favorece a inserção das mulheres, já que em grupo não se corre certos riscos.

Você já parou para pensar quantas vezes viu um grupo só de homens num trekking e quantas vezes viu um grupo só de mulheres? Sim, é óbvio que só mulheres numa trilha é menos comum. E por quê? Já pensou nisso?

Foto: Aceervo Pessoal Lenice Medina

Quando tomamos a decisão de nos aventurarmos sozinhas a dúvida sobre os riscos permeiam nossos pensamentos. Certa vez, passando uns dias acampando por Ilha Grande, RJ, ouvi de locais que no dia anterior um rapaz havia assediado uma moça que passava sozinha por um trecho de trilha. Por sorte a moça gritou, o rapaz sumiu e ela foi socorrida por pessoas que a ouviram e foram a seu encontro.

Felizmente, nesses caminhos que percorri encontrei muitos homens que demonstraram respeito e empatia. Posso dizer que no universo do trekking há um sentimento de ajuda mútua muito grande e isso é um impulsionador para as mulheres se aproximarem. Inclusive tenho vários amigos do meio que incentivam e admiram quando uma mulher tem o mesmo fôlego e disposição que eles ou quando simplesmente decidiram se aventurar mesmo que ainda não tenham experiência. Se não chegar ao mesmo nível físico do homem também não importa. A questão maior não é essa.

Foto: Aceervo Pessoal Lenice Medina

O importante é que as mulheres se introduzam cada vez mais nos esportes outdoor porque a adrenalina que isso proporciona não tem preço. O sabor de chegar a um pico não tem lentes que possa registrar melhor que nossos próprios olhos. Os homens do meio outdoor estão aprendendo a conviver com mulheres que não precisam de ajuda para uma escalaminhada e para carregar o peso do próprio equipamento nas cargueiras. O machismo existe, mas ele tem ficado da trilha para fora, da montanha para baixo na maior parte do tempo.

Entretanto, falar sobre machismo por mais estranho que pareça é um tabu no meio outdoor, ainda gera desconforto como se o assunto fosse tirar a paz que reina nas montanhas. Enfim, os tempos estão mudando! Bem lentamente, mas estão mudando.

Ufa! Fico extremamente feliz quando vejo uma mulher guia de montanha. Admiro e me inspiro. São guerreiras que transporam os obstáculos e se colocaram em posição de destaque.

Mulher, vai lá fora ver o mundo! Aventure-se!

There are 3 comments

  1. Brisa Nogueira

    Muito obrigada mana Lenice por compartilhar conosco seu posicionamento. Sou mulher e temo ser mochileira pelos motivos que você mencionou, pelos motivos que toca toda mulher. Sua força e sua sororidade é pura inspiração . Obrigada . #feminismo

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.