Livro da Semana: “Everest: Expedition to the Ultimate” – Reinhold Messner

Alguns nomes são tão interligados, que é difícil desassociar um do outro. O time de futebol do Santos é imediatamente associado com o jogador Pelé. A equipe de basquete americano Chicago Bulls imediatamente remete ao atleta Michael Jordan. Na mesma lógica quando se fala Cordilheira do Himalaia, o nome de Reinhold Messner imediatamente vem à cabeça. Não poderia ser diferente, o montanhista europeu é o maior nome do esporte.

Messner, junto de Peter Habeler, foi o primeiro a escalar o Monte Everest (8.848 m) sem utilizar oxigênio suplementar em 1978. Entrou também para a história como o primeiro montanhista a alcançar, dois anos depois, o cume do Everest em solitário. Ambas as conquistas foram sem oxigênio suplementar. Ainda em 1978 tornou-se a primeira pessoa a atingir um oito mil em solitário (Nanga Parbat – 8.126 m).

Foto: Joern Haufe | http://diepresse.com/

Portanto, somente por estes dados (e existem muitos outros) Reinhold Messner é uma autoridade inconteste quando se fala de Everest. Não à toa que o montanhista frequentemente faz declarações contestatórias a respeito do circo que tornou-se a escalada ao Monte Everest. Muitas destas conquistas vazias, enaltecidas por veículos sem credibilidade e/ou conhecimento em montanhismo, são tentativas desesperadas de receber (ou atribuir) os louros de conquistas semelhantes de Messner. Atualmente escalar o Everest (e somente ele) não faz de ninguém um montanhista experiente, especialmente os que bradam que são “autoridades sobre o assunto de Everest” (grande parte em programas de TV à cabo). Muitos destes dublês de montanhistas, na verdade, tentam tornar-se versões pálidas (às vezes patéticas) de Reinhold Messner.

Toda esta vontade de “quero ser Reinhold Messner” é justificada (até certo ponto, claro) pelos suas conquistas no Everest e pela repercussão que houve à época. Muito desta conquista de 1978 pode ser acompanhada na sua obra “Everest: Expedition to the Ultimate”, que é um relato fascinante do esgotamento, da alegria e do desespero de escalar na zona da morte.

O livro é, acima de tudo uma fascinante história de montanha, ascensões bem-sucedidas e reflexões de Messner sobre tragédias recentes no Monte Everest. Nas reflexões do montanhista está descrito, de maneira mais ácida e menos resumida, as mesmas afirmações do parágrafo anterior.

“Everest: Expedition to the Ultimate” é muito mais que um livro sobre montanhismo, mas também uma história sobre determinação e resiliência de Reinhold Messner. A cada capítulo lido no livro é, à sua maneira, uma explicação detalhada de porque alguns praticantes se destacam e outros não. Messner, em cada descrição, mostra de maneira indireta a diferença entre um montanhista de verdade e alguém que deseja aparecer na mídia. Portanto, a obra de Messner, é um excelente entretenimento para quem sabe o que é, e como praticar, o montanhismo. Mas também é mais que obrigatória a jornalistas que, frequentemente, são enganados por apresentadores de TV ou publicitários quando o assunto é Everest.

Ficha Técnica

  • Título: Everest: Expedition to the Ultimate
  • Autor: Reinhold Messner
  • Edição: 
  • Ano: 1979 (nova edição em 2014)
  • Número de páginas: 286
  • Editora: Vertebrate Digital 

There are 2 comments

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.