Crítica do Filme “Koh Tao”

Viajar para escalar nas férias (para quem trabalha e/ou estuda, claro) é o sonho de todo escalador/montanhista. Não importa o grau que se escale, ou a resistência que se tenha. O importante é poder viver o esporte que gosta, e de preferência longe de casa.

Ficar em casa nas férias (para quem trabalha e/ou estuda, evidentemente) é inaceitável.

Muitos são os destinos preferidos dos escaladores.

Alguns, com pouco dinheiro em caixa preferem escalar aqui dentro do Brasil, como Serra do Cipó-MG, Salinas-RJ, São Bento do Sapucaí-SP ou Andradas-MG.

Outras pessoas com mais dinheiro em caixa viajam para locais como Rodellar, Siruana e Patones (Espanha), Valle Encantado, Frey, Ushuaia (Argentina) e assim por diante.

O resultado indireto disso é a diversidade de filmes, e vídeos feitos nestes lugares.

Este é o foco do filme “Koh Tao, Adventure Climbing in Thailand”.

Pensando nesta lógica alguns escaladores foram até lá, e após 24horas de avião, algumas horas de ônibus, e após isso algumas horas de barco chegaram a verdadeiros paraísos de escalada (em Calcário) na Tailândia.

O filme retrata de maneira leve, quatro escaladores que toparam o desafio (financeiro e físico) de ir escalar em um local citado como verdadeiro paraíso de escaladores.

As imagens de paisagens é de deixar o queixo caído, e qualquer um com vontade de fazer planos de viajar para lá.

As vias de escalada, e boulders são literalmente na praia, às vezes a poucos metros do hotel.

O filme, que possui pouco mais de 1 hora de duração foca algo interessante: a “aflição” de se encadenar uma via, ou boulder pois todos tem horário para voltar, e nenhum deles são escaladores míticos.

O que torna o filme realmente atraente para quem os assiste, sentindo-se parte do grupo de escaladores.

As belezas naturais, retratando escaladas em vias de graduação de 5.9 até 5.12 com uma paisagem verdadeiramente exuberante ao fundo já vale a pena a aquisição do filme.

Para quem procura mais informações sobre escaladas na Tailândia é um guia muito proveitoso, e de boa qualidade.

Um ponto baixo é a indisponibilidade de haver imagens em HD (o filme é de 2008) o que enriqueceria ainda mais as imagens mostradas.

Nota do Revista Blog de Escalada:

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.