Intercâmbio profissional: Como trabalhar (e aproveitar) com esportes outdoor nos EUA

Por Gabriela Paes

Todo mundo pensa em fazer intercâmbio, mas muitas vezes não sabe como começar a planejar esse tipo de viagem. Como existem várias opções oferecidas por agências, é interessante pesquisar e saber qual delas se enquadra no seu perfil. Além disso, é importante saber qual é o propósito principal da viagem, se é estudar, passear, aprender uma nova língua, ou praticar esportes, como no meu caso e do Yudi. Optamos por fazer intercâmbio profissional. Intercâmbio profissional é a possibilidade de morar no exterior trabalhando.

Qualquer viagem nossa é pensada a partir da escalada, na verdade, essa parte é com o Yudi.

Existem várias opções de intercâmbio profissional, a que optamos Work and Travel, que é um programa que possibilita morar nos EUA, proporcionando uma experiência profissional, durante as férias, para jovens universitários com idade entre 18 e 28 anos. Como regra do governo americano, as funções disponíveis são básicas e operacionais, não são necessariamente relacionadas à área de formação do estudante. As opções de turismo profissional são:

  • Au Pair – Para mulheres de 18 a 26 anos é remunerado e permite trabalhar durante 1 ano nos Estados Unidos como babá
  • Work and Travel – Proporciona uma experiência profissional, durante as férias, para jovens universitários com idade entre 18 e 28 anos
  • Estágio – Programa de trabalho temporário para trabalhar em sua área de formação. O mais indicado é o do IAESTE
  • Talentos Globais – Um dos intercâmbios profissionais mais procurados, da AIESEC, possibilita trabalho remunerado em empresas de diferentes áreas fora do país de 3 a 12 meses.
  • Trabalho Voluntário – Não é remunerado, mas o voluntário ganha a experiência de atuar em prol de uma causa especial

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por вℓσg αℓєgriα sєcrєτα (@alegria.secreta) em

Eu não conheço muitos lugares e para mim qualquer lugar perto da natureza é perfeito. Sendo assim, ele quem pesquisou e encontrou Telluride como uma opção com escalada em gelo, trekking em alta montanha, com muitas trilhas e, claro, esqui e snowboard até enjoar. Nós realmente curtimos esportes outdoor, gostamos de tentar coisas novas e sair da nossa zona de conforto.

Viemos para o Colorado nos Estados Unidos com o visto J1 que é um visto para estudantes universitários entre 18 e 29 anos com o qual é possível trabalhar aqui ou estudar. Os tipos de vistos para os EUA são

  • Visto de visitante (B-1 e B-2)
  • Visto de Tratado e Investidor (E-1 e E-2)
  • Visto de estudante (F-1 e M-1)
  • Ocupação especializada – Profissional (H-1B)
  • Visto para Intercâmbio (J-1 e Q-1)
  • Visto para Noiva(o) (K-1)
  • Filhos menores de 21 anos (K-2)
  • Visto Trabalho Extraordinário (O-1)
  • Visto para Artistas e Atletas (P-1)
  • Visto para Trabalhadores religiosos (R-1)

Work Travel Program

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por вℓσg αℓєgriα sєcrєτα (@alegria.secreta) em

O programa chama Work Travel Program, tem duração de 4 meses, 3 meses de trabalho e 1 mês de férias em território norte-americano. Além disso, como é um visto para estudantes o programa é para ser feito durante as férias universitárias. Porém, eu e o Yudi trancamos a faculdade por um período, porque depois daqui vamos para o Peru e quem sabe conhecer mais países da América Latina.

O ponto mais interessante do programa é que o investimento se paga e ainda sobra dinheiro. Aqui onde estamos trabalhando recebemos US$ 12 por hora, sendo que o salário mínimo nos Estados Unidos é US$ 7 por hora. É possível ainda conseguir um second job aqui e ganhar mais dinheiro. Existem lugares que pagam US$ 25 por hora aqui. Eu tive experiências de trabalho em outros restaurantes e eventos nos dias mais movimentados como entre o Natal e Ano Novo.

É possível ganhar US$ 1.500 por duas semanas trabalhadas, mas trabalhando mais do que oito horas por dia ou trabalhando em outros lugares nos dias de folga. Nós optamos por trabalhar em restaurantes para economizar com comida, visto que é caro comer por aqui. Dessa forma, nós conseguimos comprar vários equipamentos de escalada e camping, porque aqui é mais barato do que no Brasil.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por The Gentleman’s Money Club (@thegentlemansmoneyclub) em

Nós dois juntos conseguimos juntar um dinheiro para isso e a ainda assim dá para pagar o investimento inicial. No segundo mês nós mandamos dinheiro para o Brasil e a parte da agência, que pode ser parcelada, já foi paga.

Telluride é um destino caro, porém por sermos funcionários temos algumas vantagens:

  • Moramos nos apartamentos para funcionários e pagamos US$ 788 por mês
  • Temos acesso a todas as montanhas do resort por meio do ski pass (para não funcionários custa US$ 1.400 por temporada para pessoas da nossa idade)
  • Desconto de 35% em quase todos os restaurantes do resort
  • Até para os americanos vir para o Colorado passar uma temporada é um sonho, sobretudo para praticar esportes na neve. Uma família chega a gastar US$ 20.000 aqui. O ski pass é muito interessante para quem curte esses esportes uma vez que o custo é alto para não funcionários.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por вℓσg αℓєgriα sєcrєτα (@alegria.secreta) em


A parte que todo mundo quer saber: Quanto é preciso ter de dinheiro?

  • R$ 4.000 para agência (opção mais barata na agência: independent)
  • R$ 1.800 reais de passagem de ida (madrinha do Yudi conseguiu mais barato, porque ela trabalha em uma companhia aérea)
  • R$ 640 reais do visto
  • R$ 275 reais do passaporte (só eu precisei tirar, porque o Yudi já tinha)
  • R$ 140 reais da taxa SEVIS (uma taxa que precisamos pagar depois do 11 de setembro, porque foi constatado que a maioria dos terroristas entraram nos EUA com o visto J1, então é uma taxa para nos rastrearem enquanto estivermos aqui)
  • R$ 6.000 reais em cash para trazer (precisamos pagar o primeiro mês de aluguel e comprar comida)

Ou seja, ao total com R$ 15.000 dá para vir tranquilo e passar as primeiras semanas sem salário. Lembrando que o investimento se paga com o trabalho aqui. Escolhemos a opção mais barata na agência, porque essa é a segunda vez que o Yudi participa do programa, então tudo que nós podíamos fazer para deixar mais barato nós fizemos. O que encarece muito o custo é a ponte que a agência faz entre o intercambista e o empregador.

Desse modo, nós entramos em contato com os possíveis empregadores através de e-mail e fizemos entrevista via skype. Esse contato tem que ser feito o quanto antes possível, no primeiro semestre sem falta!

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Yudi Tomita (@yuditomita) em

A temporada acaba dia 7 de abril aqui, então a partir disso já é hora de mandar e-mail para todos os lugares que vocês tem interesse e torcer para que consigam uma resposta. As agências promovem feiras ou entrevistas via skype nas quais é quase certeza de que você será contratado, além de garantirem o emprego no lugar escolhido pelo intercambista. Porém, eu garanto que emprego não falta! Tem muito J1 trabalhando aqui, principalmente do Peru.

O resort precisa de muita mão de obra e com certeza se vocês se enquadrarem no perfil, entrarem em contato é muito provável que dê certo. Eu não tenho inglês intermediário, o Yudi me ajudou na entrevista via skype, mas eu estudei muito através de um curso online, uma opção mais barata também. Se a agência fizer a ponte entre você e o empregador eles vão testar seu inglês, no meu caso eu conversei por telefone com um moço da agência em inglês só para eles terem noção do meu nível, mas a gente já tinha a oferta de emprego, o que é a garantia para vir!

De qualquer forma, estudar inglês antes é ótimo, eu gosto muito do curso online, porque continuo estudando aqui quando tenho tempo.

Intercâmbio profissional

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por ɢᴀʙʀɪᴇʟᴀ ᴘᴀᴇs (@gabiipaess) em

Uma experiência de intercâmbio é certamente enriquecedora em vários sentidos, essa foi minha primeira viagem de avião, minha primeira viagem internacional, a primeira vez que eu vi neve… é muito emocionante e tudo parece um sonho. Conheci muitas pessoas de diferentes países aqui, peruanos, argentinos, mexicanos, jamaicanos e, claro, americanos. É uma ótima oportunidade para melhorar o inglês, conhecer outras culturas, se aventurar em novos esportes e apreciar muito essa natureza incrível daqui.

O mais importante é planejar, ter um propósito, se informar muito e se jogar! O trabalho não é fácil, trabalhar em restaurante é corrido e bem cansativo fisicamente, mas têm dias tranquilos também. Passa tão rápido! Já estamos nas últimas semanas de trabalho aqui, depois vamos para a casa de um amigo do Yudi em Las Vegas, e vamos nos aventurar por aqui durante nosso um mês de merecidas férias!

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.