Highliners desafiam política de Trump em travessia suspensa da fronteira México/EUA

No meio da crise política exterior dos EUA, um grupo de 11 pessoas, autoproclamadas Highline International Love, estabelecem um highline entre os estados de Chihuaua (México) e Texas. Entretanto, para entender um pouco mais sobre um assunto que divide muitas opiniões, abaixo vai uma explicação resumida sobre a atual situação da fronteira dos EUA e México.

Um dos pilares da campanha presidencial do presidente norte-americano Donald Trump foi a construção de uma “barreira física” na fronteira dos EUA com o México. Por “Barreira física” entenda um muro, muito semelhante ao que existia na Alemanha na cidade de Berlim até a década de 1990. Com o slogan Build a wall and make México pay for it” (construir um muro e fazer o México pagar por ele), muitos norte-americanos votaram no multimilionário. Caso seja construído, o muro teria aproximadamente 3.145 km lineares. Uma distância equivalente ao trajeto Aracaju-SE e Porto Alegre-RS. A fronteira dos EUA e México é a 10ª maior fronteira do mundo.

Com uma rápida pesquisa por vários meios de comunicação de credibilidade, não é de hoje que a ideia de um muro separando EUA e México existe. A ideia está em pauta no governo dos Estados Unidos. Mesmo antes da campanha de Donald Trump, já existiam mais de 1.000 km em barreiras físicas implementadas pelos governos Bill Clinton e George W. Bush. A maior parte destas “barreiras físicas” existentes está nos estados da Califórnia, Arizona e Novo México.

Construir um muro na totalidade da fronteira representaria, ao menos metaforicamente, o isolamento dos EUA e México. O principal motivo alegado pelas autoridades norte-americanas é diminuir o tráfico de drogas e a imigração ilegal. Segundo dados do Departamento de Estado dos EUA, mais de 90% da heroína consumida nos Estados Unidos vem do México. Pesquisas de diversos institutos indicam que, em média, por volta de 58% se opõe a expandi-lo consideravelmente, enquanto 40% o apoiam.

Highliners

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por kylor | creative (@kylor) em

Um grupo de onze pessoas, cinco norte-americanos (Spencer Matthews, Alina Shamayim, Corbin Kunst, Kylor Melton e Creighton Baird) e seis mexicanos (Jaime Gibran Marrufo, Octavio Garza Rosas, Coatzin González Garza, Luis Flores Guadarrama, Valeria Escudero Flores e Osmar Reyes Perches), estabeleceram um highline a 150 metros de altura e 100 metros de extensão, unindo México com Estados Unidos, mais precisamente dos estados de Chihuahua (México) e Texas (EUA), cruzando o Rio Bravo com o Cânion de Santa Elena.

A iniciativa se trata de um projeto que nasceu com a intenção de caminhar nas alturas da região. Mas logo que Corbin Kunst verifica não somente a beleza natural, mas também a relevância social, política e espiritual, a iniciativa ganhou outro tom. Assim nasceu a Highline International Love.

No dia 14 de fevereiro último, em uma votação que teve 83 votos a favor e 16 contra, o senado dos EUA aprovou o projeto de lei de segurança fronteiriça. “Vou decretar a emergência nacional”, afirmou Trump no dia seguinte. Mas o que significa esta emergência nacional? Significa que concede poderes especiais e temporário ao presidente, para enfrentar uma crise que ameaça o país e exige uma resposta imediata. Entretanto, a controvérsia está presente: as declarações que utilizou para a crise que constituem emergências claras, mas neste caso é embasado em algo factual.

Enquanto isso, com o Highline International Love, o grupo de caminhantes preferem declarar ao mundo: estamos aqui para nos unir, para compartilhar, para nos ajudar. A ideia nasceu por parte dos highliners dos EUA, que contataram e incentivaram os mexicanos a unirem ao projeto.

O projeto é parte de um documentário que estreará ainda este ano. A Freeman Outdoors está em avançadas negociações para viabilizar a exibição do filme para toda a América Latina. O mexicano Jaime Gibran Marrufo inaugurou a linha e a cruzou, sem pisar do outro lado da fronteira e sem quedas. Logo após isso, o norte-americano Cobin Kunst também a caminhou. A linha foi batizada como Highline International Love, com a clara intenção de mandar uma mensagem: “queremos e lutamos pela união das culturas, dos países e do ser humano”.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.