Guia essencial Travessia da Serra Fina, a trilha mais difícil do Brasil

Foto : Freddy Duclerc

Foto : Freddy Duclerc

A travessia da Serra Fina é considerada a melhor e a mais difícil do Brasil.

Por sua dificuldade representa um desafio de superação para quem quiser fazê-la.

Ai a primeira dica do especialista é: se vai fazer tem que estar determinado e decidido, e há de querer fazer mesmo.

Serra Fina não é indicado para iniciantes, faça outros trekkings para ter experiência e autoconhecimento.

A Travessia da Serra Fina é utilizada para treinar e preparar pessoas que irão fazer os mais prestigiados trekkings da América do Sul, como Transandina, Los Glaciares, Torres del Paine e Cordilheira Blanca.

Sugestão de trekkings: Torres del Paine, Cordilheira Huayhuash, Sierra de Santiago, Dientes de Navarino, Cerro Castilo, Los Glaciares, entre outros.

Principais recomendações

Procure Ir formando grupos de mais de três pessoas, nunca, mas nunca mesmo, faça sozinho.
Vá com pessoas que conheça e que reconhecidamente são esforçadas e determinadas.

É extremamente recomendado ir com um guia comprovadamente experiente, ou alguém no mínimo que tenha conhecimentos em navegar com GPS.

Serra Fina 1

Foto: Freddy Duclerc

Leve Celular, em alguns pontos há sinal disponível, no caso de alguma emergência.
A Travessia da Serra Fina requer um bom estado físico e predisposição para acampar: não recomendado para pessoas “frescas”.

Duas semanas antes da viagem tente se hidratar bem.

Faça caminhadas de treinamento, recomendamos para a preparação caminhadas como: subida ao Pico dos Marins, Travessia Marins x Taguaré, Serra da Bocaina ou Serra dos Orgãos.

Esteja preparado fisicamente e psicologicamente, pois a Travessia da Serra Fina É “PUXADA”!

Tipos de rotas

A Travessia da Serra Fina possui dois formatos:

  • Rota Normal – O começo é desde a cidade de Passa Quatro-MG. Da cidade dirija-se até a “Toca do Lobo”, seguindo até o “Capim Amarelo”, depois segue em direção ao “Maracanã”….Pedra da Mina, Vale do Ruah, Cupim do Boi, Pico 3 Estados, Alto dos Ivos e Sitio do Pierre saindo por Itamonte-MG.
  • Rota ao inverso: Começa em Itamonte-MG pelo sitio do Pierre e acaba na Toca do lobo em Passa Quatro-MG, essa é considerada a mais difícil de todas as rotas existentes.
    Ambas as rotas possuem passam por lugares de altitude relativamente elevada como, por exemplo, Capim Amarelo (2.570 m), Pedra da Mina (2.798 m) e Pico dos 3 Estados (2.656 m).

Indo pela Rota Normal há os seguintes pontos que ainda é possível desistir e abortar a travessia:

1º Ponto de desistência: Até o Capim Amarelo, no trajeto de subida do Capim Amarelo, você tem que fazer uma auto analise honesta e, se realmente esta preparado e com condições reais de continuar. Até o cume do capim Amarelo é o momento de decidir.

2º Ponto de desistência: Descer pela Pedra da Mina, pela trilha do Paiolinho… No cume, a trilha fica do lado esquerdo para quem esta de frente para o Vale do Rhua, vá beirando a descida ate encontrar a trilha, existem alguns totens (Pedras em cima de pedras).

DICA: Leve marcada a trilha no GPS senão estiver com Guia/Montanhista.

Foto : Freddy Duclerc

Foto : Freddy Duclerc

Tempo de travessia

Para quem faz pela primeira vez a Travessia da Serra Fina demora em torno de 4 dias (sendo 3 noites).

Guias mais especializados conseguem fazer em 3 dias, porém exige preparo físico e técnico para realizar em tempo tão curto.

Melhor época

A melhor época do ano para fazer a Travessia da Serra Fina é de Abril a Outubro.
No mês de Novembro é recomendado apenas se há garantia de que não vai chover ou ter nuvens no trajeto.

É fortemente recomendado não ir durante o período de verão, sobretudo para quem não tem muita experiência. No verão há muitas nuvens e a visibilidade é quase nula, e existe o perigo de ocorrência de chuvas com raios e trovoadas.

Em caso de chuvas redobre a atenção, tem muito perigo de dobrar o pé e machucar.

Serra Fina 2

Foto : Freddy Duclerc

Equipamento Necessário

Bota de cano alto  impermeável e respirável.

Barraca com alta resistência a chuva e vento, se possível varetas de alumínio sempre!

Vestuário para a Travessia da Serra Fina tem de garantir o aquecimento, e abrigo da chuva.

Lembrar que há possibilidades de ocorrência de temperaturas baixas, algumas chegando até -8 graus Celsius como no Vale do Ruah.

Recomendado: Uma calça de trekking, segunda pele, uma ou duas camisetas, um casaco de pena, ou fleece grosso (gramatura igual a 200 ou acima) e um anoraque/calça (impermeáveis e respiráveis).

Meias de caminhada de boa qualidade, observando o detalhe de que tenha tecnologia coolmax, sintéticas, nunca algodão, recomendamos uma meia por dia para garantir os pés secos e confortáveis o tempo tudo.

Serra Fina 3

Foto: Acervo pessoal Freddy Duclerc – tirada na noite que fez -8ºC

O tamanho da mochila recomendada é 55 a 70 litros, para que seja carregado barraca, roupas, comida, saco de dormir e isolante, de maneira confortável.

O saco de dormir indicado para a travessia da Serra Fina é que tenha no mínimo de 0º e máximo -10ºC de CONFORTO.

O fogareiro deve ser leve, podendo ser a gás, evite equipamentos à base de benzina para evitar possíveis incêndios, pois a região é muito seca.

Materiais como medicamentos particulares e materiais de higiene pessoal é altamente recomendado levar.

serra-fina

Água

Para a água a ser utilizada na Travessia da Serra Fina é necessário pensar logisticamente, e o principal é ter em mente que se deve carregar o necessário para um dia de caminhada somente.

Dica : pegar em torno de 2,5L a 3L para cada día. Tenha em mente que este valor é o suficiente para o dia e a preparação do jantar, além de sobrar um pouco para o dia seguinte.

Pontos de água: No indicio da Travessia, na Toca do Lobo, no Quartzito, Antes da Pedra da Mina (+- 1 h antes), Vale do Ruah, Final da Trilha no Sitio do Pierre (atrás da casa pequena).

Comida

Preocupe-se em  levar comida substanciosa porém leve: pastas, salame, purê em pó, seletas de legumes, bacon, molho de tomate e etc, são a escolha certa.

Para o café da manha: café, pão italiano, geleias, manteiga, salame, barras de proteína e gel de proteína é extremamente recomendado.

Não se esqueça dos lanches para o almoço além de comidas para beliscar durante o dia.

Evite miojos e similares (macarrões instantâneos) pois este tipo de comida possuem alto teor de sódio que vão desidratar seu corpo

banner-freddy-duclerc

Sobre o Autor

Freddy Duclerc

Freddy Duclerc

Freddy Duclerc é Montanhista e líder das Expedições em Alta montanha e Travessias na América do Sul. Também realiza “Treinamento e Palestras” em liderança, motivação, planejamento e vivencia em ambiente inóspito. Possui Graduação, Pós Graduação e MBA em Marketing, Gestão de Negócios e
Administração de Empresas. Tem como missão ajudar as pessoas a realizarem seus sonhos, motivando e mostrando os caminhos possíveis nas montanhas de nossa América do Sul

There are 7 comments

  1. Antônio Carlos Ramos Batista

    Prezado bom dia.

    Muito bom seu site, vamos segui-lo no Facebook.
    Gostaria de saber como obter a marcação da trilha com GPS, obviamente feita por alguém que já percorreu a trilha.
    Agradeço a atenção

    Antônio C. R. Batista (Volta Redonda, RJ)

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.