Como escolher garrafas térmicas para trekking

Por definição técnica, uma garrafa térmica é um recipiente portátil que tem como objetivo evitar a troca de calor entre o conteúdo que está em seu interior e o ambiente fora dele. O objetivo principal é que este produto consiga manter a temperatura em seu interior pelo maior tempo possível. O produto, o qual foi inventado em 1892 por James Dewar (o primeiro nome deste equipamento chamava-se jarro de Dewar), é construída de forma a dificultar três formas de transferência de calor: convecção, condução e radiação.

O modelo amplamente comercial, utilizado em vários lugares do mundo, conste em um corpo de vidro (o qual é mau condutor de calor) bem fino, além de ser duplamente espelhado, dentro de uma outra garrafa de plástico, também com vários tipos de isolamento. Este produto é bastante eficiente, porém não é indicado para o trekking e, dependendo do estilo, camping. O motivo é simples: além do peso pouco convidativo, é muito suscetível a choques mecânicos.

Mas como garantir então a sensação reconfortante de beber algo quente, como um chá ou café, durante um clima frio, como é o de montanha?

A resposta parece simples para quem já sabe, mas a melhor alternativa para quem pratica trekking e hiking são as garrafas térmicas de aço inoxidável. O motivo é bem simples: resiste até 12 vezes mais a choques mecânicos que uma garrafa térmica comum. Uma outra vantagem, não dita por vários vendedores, é a capacidade deste tipo de equipamento de não reter gosto ou cheiro. Podendo ser usado amplamente com vários líquidos.

Garrafas térmicas para trekking

Parece simples explicar que para o trekking deve ser o modelo de aço, mas existem outros aspectos que devem ser observados com atenção pelo usuário. Pela oferta maciça deste tipo de equipamento, inevitavelmente existem vários modelos que aparentemente parecem eficientes, mas na verdade deixam a desejar em termos de qualidade.

As garrafas térmicas para trekking devem ser de aço inoxidável e, impreterivelmente, possuir um vácuo entre as paredes internas e externas. Este vácuo, assim como a qualidade da rosca da sua tampa, é que fazem a diferença no momento de manter um produto com a temperatura constante, ou não.

Uma boa prática para quem irá praticar trekking em lugares frios, é aquecer previamente o interior da garrafa térmica, enchendo-a apenas com água quente (caso for encher com chá ou café), preferencialmente em ponto de ebulição. Lembrando que mesmo para chás e cafés, nunca deve-se encher até a tampa, pois o pequeno “pescoço”, é o ponto que o líquido não deve ser guardado. Logo após encher a garrafa com seu chá ou café, deixe que o vapor saia por 15 segundos antes de tampar. Isso fará com que ela não “segure” o rosqueamento da tampa.

Portanto é imprescindível atentar-se a alguns aspectos no momento de escolha:

Preço: Garrafas térmicas eficientes e de qualidade demandam muita pesquisa e tecnologia. Por este motivo que possuem um preço relativamente maior que as comuns. Por isso, modelos que possuem preços muito abaixo da média do mercado, muito provavelmente as paredes não possuem vácuo (espaço vazio com inexistência até mesmo de ar) entre elas. Garrafas térmicas de aço inoxidável que anunciam que suportam até 2 a 3 horas são as que não possuem vácuo entre as paredes. Garras térmicas de trekking deve ter NO MÍNIMO, capacidade para 12 horas para líquidos quentes (para líquidos gelados, este número geralmente é menor)

Tampa: É imprescindível que a rosca da tampa rosqueie e desrosqueie com suavidade e precisão. Produtos de qualidade inferior já apresentam deformidades na tampa, não sendo perfeitamente alinhada com o design da garrafa (o qual deve ser minimalista). No momento de rosquear, verifique se é necessário utilizar mais força eu o necessário e se o movimento é suave e preciso. Uma outra técnica de experimentar se a tampa da garrafa térmica é de qualidade, basta colocar um pouco de água e agitar a garrava. garrafas de baixa qualidade irão mostrar um leve vazamento.

Cabeça: Uma outra característica, que é ligada ao design do produto, é a “cabeça” da garrafa. Quando for pequena a “cabeça” da garrafa, assim como a “boca” for mais estreita, melhor a capacidade térmica do produto. Este tipo de design (cabeça pequena e boca estreita em relação ao corpo), conserva de 5°C a 10°C mais do que modelos que não possuem este tipo de desenho. Além disso, deve possuir uma tampa que também rosqueie de maneira eficiente, para não deixar que haja toca de calor com o líquido.

Capacidade: A capacidade de uma garrafa térmica depende muito da necessidade de líquidos quentes que possui uma praticante de trekking. Mas a escolha deve levar em conta o peso próprio da garrafa térmica e quanto ela possui quando está cheia. Por padrão, recomenda-se que opte por modelos que variem de 0,5 a 0,75 litros. Para quem faz trilhas sozinho, existem modelos com 0,35 litros que parecem se adequar a uma mochila pequena. Quando mais minimalista, ou seja sem alças ou protuberâncias, melhor para ser levado na mochila além de pesar menos).

Argentina de nascimento e brasileira de coração, é apaixonada pela Patagônia e Serra da Mantiqueira.
Entusiasta de escalada, trekking e camping.
Tem como formação e profissão designer de produto e desenvolve produtos para esportes de natureza.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.