Flávio Daflon publica relato sobre conquista soberba no Fitz Roy

samba-leao1[1]Os escaladores Flavio Daflon (Brasil), Luciano Fiorenza (Argentina) e Sérgio Tartari (Brasil) fizeram uma soberba conquista no Fitz Roy.

Conquistaram uma nova via, graduada em 6º VIIa, com 1300 metros e que foi batizada de “Samba do Leão”.

Com isso já são o maior destaque da escalada brasileira no ano de 2013

O Monte Fitz Roy ou Cerro Chalténé uma montanha localizada na fronteira entre a província de Santa Cruz, no extremo sul da Argentina, e o Chile.

O seu nome é uma homenagem a Robert FitzRoy, capitão do HMS Beagle, navio que levou Charles Darwin em sua viagem ao redor do mundo.

Na região também é conhecido por El Chaltén, nome idêntico ao de um povoamento local.

Apesar de sua altitude relativamente modesta de 3.375 metros, o Fitzroy é considerado por muitos alpinistas profissionais como o maior de todos os desafios do seu esporte, porque suas paredes verticais requerem técnica impecável para serem conquistadas.

O clima da região é excepcionalmente ruim e traiçoeiro — fato que já custou a muitos suas vidas.

O relato pode ser lido na INTEGRA em http://companhiadaescalada.com.br/notícias/anteriores03/samba-do-leao.htm08closer_Fitz_Roy

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.