[EXCLUSIVO] Entrevista Mauricio Cervenka

4157178_300[1]Praticamente todas as pessoas que trabalham (ou seja 99,9% dos habitantes do planeta) possuem a vontade de largar o emprego e sair para fazer outra coisa da vida.

Seria como o “tirar férias de si mesmo”.

O paulistano Mauricio Cervenka realizou este sonho.

Largou o emprego considerado ideal e dos sonhos, foi para o estado do Alaska nos EUA e foi se encontrar.

Toda esta aventura foi filmada e agora está sendo editada pela “Cardigan Filmes” e será lançada em breve.415900065_640[1]

O Blog de Escalada procurou Mauricio para falar mais sobre a sua aventura e, quem sabe, encorajar quem está no desejo de fazer o mesmo.

Maurício você realizou o sonho de todo praticante de todo mochileiro que é viajar para refletir sobre a vida. Foi tão satisfatório quanto parece?

529978_575003322518451_404994640_n[1]SIM!!!

Se tem uma coisa que o dinheiro não poderá comprar no futuro é “tempo” e “experiências não vividas”.

Este tempo que passei é uma conquista para minha vida muito mais proveitosa que qualquer conquista material.

A expedição foi um grande crescimento para meu futuro profissional e maior ainda para o âmbito pessoal.

O resultado da sua viagem resultou em um filme que teve o teaser divulgado recentemente. Você já saiu de viagem pensando em realiza-lo?

Sim. Sempre tive uma ligação forte com as filmagens amadoras e antes de viajar, planejei as filmagens mesmo sem ter certeza se mauricio_1conseguiria usa-las para algum documentário mais profissional no futuro, ou se serviriam apenas para meu arquivo pessoal.

Como optei por filmar tudo sozinho, o documentário acabou tomando um corpo extremamente realista.

Não tenho efeitos especiais ou equipes de resgate, o que aconteceu ali era realmente verdade.

Se existe alguma pessoa que esteja insatisfeita com a vida capitalista, qual o conselho que você daria a ela?

mauricio_2Dificilmente você vai conseguir se ver 100% livre da vida capitalista, porém existem diversos níveis de capitalismo e acho importante que cada um entenda em qual esta inserido (e principalmente o quanto isso é importante você).

Não há apenas uma luz no fim do túnel, e sim diversos caminhos que podem ser seguidos para obter a felicidade diariamente.

O planejamento para que uma viagem como esta ocorra é essencial.

Desenvolver um bom trabalho enquanto se está no mercado, sair de uma empresa pela “porta da frente” (do contrário que muitos pensam, eu continuo tendo um ótimo relacionamento com meu ex-chefe), manter a rede de contatos aberta e principalmente ser menos crítico em relação às diferentes maneiras de vida são passos importantes para o equilíbrio entre capitalismo e felicidade extrema. 

E em uma expedição como esta, nem tudo são rosas.

Não pense que uma viagem destas é simples e fácil.

Dinheiro não é a solução para sair por ai por meses(e inclusive se o planejamento for bom, o dinheiro pode ser o menor dos obstáculos). mauricio_3

Equilíbrio emocional é importantíssimo pois quando se está por exemplo acampado em uma barraca, doente por algum motivo e a chuva não da trégua há uma semana, um simples celular com plano de dados pode te colocar de volta em um avião em poucas horas (e lá se foi a sua viagem dos sonhos).

Porque foi escolhido por você ir exatamente para o Alaska?

Tenho fascínio por lugares diferentes, de preferência os que ninguém costuma ir.

O Alaska era um destino desejado há bastante tempo e após muitas pesquisas encontrei um por la curso outdoor sobre liderança de equipes, tomada de decisão e gestão de riscos que me chamou muita atenção.

A partir daí foi só unir o útil ao muito agradavel e partir rumo ao norte.

Qual foi o equipamento, e o critério de escolha de cada item de sua viagem?

Levei poucas roupas para o Alaska, até porque não sabia exatamente o que ia encontrar de clima na montanha.

Aluguei muitas roupas específicas por la (afinal eram roupas que eu dificilmente usaria no futuro) e mantive o orçamento sempre o mais baixo possível, porém sem deixar de visitar nenhum lugar e praticando todos os esportes extremos que eu conseguia.

45757_559360624082721_979664166_n[1]Acabei trocando de equipamento de filmagem no meio da viagem (por uma questão de qualidade) porém tentei comprar o mínimo de “coisas” e viver o máximo de experiências.

Qual foi a reação das pessoas próximas à você quando anunciou a sua decisão?

Cada um reage de um jeito mas posso afirmar que a grande maioria me incentivou demais.

Minha família e namorada desde o começo me deram a maior força.

Eu sempre fui do tipo trabalhador, engajado com as tarefas profissionais e acho que isso acabou fazendo com que as pessoas a minha volta percebessem que eu não era apenas um aventureiro maluco.

Eu tinha planejado tudo aquilo e talvez estivesse fazendo algo que muitas pessoas sempre sonharam porém pouquíssimos tiveram coragem para realizar.

De forma espiritual, o que mudou em você após a viagem?

Bom, eu não sou religioso mas respeito todas as crenças existentes. mauricio_4

Particularmente eu acredito na vida, no convívio das pessoas e nas experiências que podemos transmitir à nossos amigos e semelhantes para transformar o mundo em um lugar mais bacana.

Acho que voltei desta jornada mais humano, menos preocupado com os simples valores monetários e muito mais focado nos valores como pessoa.

Aprendi a lidar melhor com a adversidade e os problemas da vida.

Descobri que tem gente vivendo tão bem e com tão menos que nós pelo mundo afora que me faz refletir se a felicidade maior não esta em coisas simples de se conquistar.

Ah, e percebi que eu realmente não gosto do transito de São Paulo (se é que eu tinha alguma dúvida quanto à isso)

Para o ano de 2013 , ou até mesmo para o futuro, você tem algum plano para uma outra experiência igual?

mauricio_5Acho que nenhuma experiência vai ser igual à esta.

Qualquer expedição parecida trará aprendizados novos e dificuldades diferentes.

Para 2013 meus planos estão mais voltados à utilização dos aprendizados que tive e a volta ao mercado de trabalho no Brasil.

Sei que todos gostariam de ler um desfecho ideal onde eu vendo meu vídeo, ganho dinheiro e continuo viajando por ai mas sinto dizer que isso não existe (nem para o repórter da globo que está toda semana apresentando um lugar diferente na televisão).

Mesmo uma vida de aventuras requer muito trabalho duro, organização, planejamento e papeladas.

Tive em 2012 uma experiência única e sensacional mas agora estou envolvido em outros desafios que vão garantir as próximas experiências únicas.

Estou trabalhando em cima dos vídeos com uma produtora e acho que o tema tem trazido bastante repercussão.

Sou movido a desafios e tenho certeza de que voltar ao mercado de trabalho com a bagagem que tenho agora me dará mais combustível para ser um profissional mais completo, arrojado e principalmente humano.

Quem foram as pessoas que mais apoiaram você nesta aventura?

De uma maneira resumida vou dizer que a família, namorada e amigos foram muito importantes, cada um em seu papel.

Muita gente que nem imagina também acabou contribuindo de forma singular e não quero citar nomes pois tenho medo de acabar esquecendo de alguém.

Quem quiser assistir ao seu filme, como deve proceder? Haverá exibição em festivais de filmes outdoor?

O filme está em fase final de produção.

Estamos lançando os teasers na WEB e ainda não temos uma mídia fechada para lançar o documentário.

Por enquanto queremos dar um gostinho do que está por vir e atrair a atenção do público e da mídia.

Quanto à festivais de filme outdoor, não descartamos a idéia mas também não à temos como nosso plano principal.

Os principais produtores de filmes outdoor no estrangeiro disponibiliza o filme para download. Você também fará o mesmo?

Quando um filme como este é disponibilizado na web é porque alguém já pagou a conta.

Existem muitos custos de filmagem e produção que precisam ser compensados e caso consigamos uma empresa do ramo outdoor que esteja interessada e fazer parte do projeto, a disponibilização para download pode sim ocorrer.

Se dependesse só de mim o filme ja estava inteiro na web hoje mesmo mas infelizmente estas coisas no Brasil são sempre um pouco mais complicadas.

Quem sabe um dia, com leis de incentivo à cultura mais acessíveis possamos ter opções de captação de recurso que nos possibilitem lançar documentários prontos em redes sociais, via internet.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.