[EXCLUSIVO] Entrevista Francine Borges

156438_3819324582053_2147186275_n[1]Neste mês de março o Blog de Escalada preparou uma atração diferente do normal: realizar entrevistas somente com escaladoras.

Como fator de escolha estabelecemos que a preferência seria com pessoas que nunca concederam entrevista ao site.

Nossa busca por escaladoras foi grande, e não foi fácil , existiam muitas escaladoras que mereciam ser destacadas.

Após um alinhamento de planetas  pude ter a oportunidade de obter resposta positiva de Francine Borges.

Francine que é uma das escaladores mais fortes e mais experientes existentes no Brasil sempre teve minha admiração desde que a conheci.36608_3819193938787_958584681_n[1]

Francine possui um carisma, simpatia e educação únicos e raros.

Sem dúvida nenhuma ela é um algodão em meio a multidão de cristais.

Francine educadamente respondeu positivamente à nossas perguntas e com respostas completas.

554979_469673353061802_1367368718_n[1]Francine Borges também é uma escaladora a qual muitos podem aprender com seu estilo de escalada e sua maneira de aconselhar aos mais inexperientes.

 Francine, como é para uma curitibana morar em Minas Gerais?

No início foi um pouco estranho, achei dificil me acostumar com Belo Horizonte.

O trânsito, a correria da cidade, a quantidade de morros…

Aliás dirigir em algumas ruas de BH, que mais parecem montanhas russas, também foi difícil, e ainda é na verdade , rsrsrs…

Mas para compensar tudo isto tem a hospitalidade do povo de Minas, o pão de queijo e claro as rochas!

Este lado extremamente positivo fez eu me apaixonar por Minas Gerais, ou como dizem os mineiros: “apaixonar com Minas Gerais”!

 Como é conciliar a vida de escaladora com os papéis de esposa e administradora do Espaço Mandalla?

Conciliar a vida de escaladora e administrar o Espaço Mandalla é até fácil, pois tenho ajuda do marido e as tarefas ficam dividas. 392902_195140967238440_1739179773_n[1]

Além disto, adoramos receber as pessoas e nosso maior público é de escaladores, então unimos o útil ao agradavel, pois sempre temos companhia para escalar.

O papel de esposa, sendo casada com um escalador fanático, também fica fácil, nossa viagem de Lua de Mel, para você ter uma idéia, foi pra Rodellar…rsrsrs…

Assim todos os planos de viagens são feitos juntos, projetos de vias que queremos tentar, motivação que um da ao outro.

O que fica um pouco mais difícil de conciliar é o trabalho como geóloga.

Passo 14 dias embarcada e fica impossível manter uma rotina de treinamento.

Mesmo assim, procuro manter a atividade aeróbica durante estes 14 dias em que não há escalada!

Se fosse para explicar para quem não conhece, o que é o Espaço Mandalla?

header[1]O Espaço Mandalla é um hostel, localizado na Serra do Cipó, que tem a filosofia de oferecer conforto para os hóspedes que amam os esportes e a natureza.

Fazemos questão do contato com nossos hóspedes, damos dicas de escaladas, das trilhas, cachoeiras, viagens e outras mais.

Mas a idéia do Espaço vai além, acaba sendo também um ponto de encontro.

Estamos na estrada que da acesso para os setores de escalada.

Muitos amigos escaladores deixam carros por lá, passam para bater um papo, encontrar amigos, e às vezes pegar umas bananas, fruta que da o ano inteiro no quintal do Mandalla.

Como mulher, você acredita que a escalada se popularizou mais entre o público feminino nos últimos anos?

Com certeza, hoje em dia vemos muito mais mulheres escalando.400429_228502957235574_1467534389_n[1]

Isso é incrível isto, eu adoro!

Adoro os “betas” femininos, fico feliz em ver um setor de escalada cheio de mulheres.

O ambiente fica mais divertido e um pouquinho mais barulhento também, pois adoramos conversar, rsrsrs…

Neste mês de março haverá a Invasão Feminina na Urca, evento que se repete faz uns anos e reúne a mulherada escaladora, a cada ano observa-se um aumento nas participantes.

Ano passado tive a oportunidade de estar no Invasão e foi ótimo!

Hoje qual seria a principal barreira a ser batida por uma mulher no Brasil?

67192_420032101391825_1251525692_n[1]Em termos de escalada esportiva seria o grau.

Acredito que o grau mais elevado que uma brasileira tenha encadenado seja 10ª (fonte http://www.8a.nu).

Vejo também que há poucas mulheres no meio da escalada tradicional e a perda da Roberta Nunes em 2006 deixou uma lacuna.

Outra barreira, mas aí é tanto para mulheres quanto para homens, seria conseguir um patrocínio para poder se dedicar apenas a escalada, fazer viagens ao redor do mundo e participar de competições internacionais…

Tenho certeza que muitas das escaladores de alto nível do Brasil, se tivessem a oportunidade de se dedicar apenas a escalada poderiam estar no nível das escaladoras gringas!

Hoje existem outros lugares de escalada em calcário em Minas Gerais. Minas pode ser considerado o principal centro da escalada esportiva brasileira?

Acho que Minas Gerais, pela história, quantidade de picos de escalada diferentes e vias, pode ser considerado um dos principais ou mesmo o principal centro de escalada esportiva sim! 62515_3819322942012_907560053_n[1]

Além da escalada esportiva acho que Minas Gerais também oferece uma variedade boa de picos de boulder.

Mas sabemos que a escalada está crescendo em outros estados também.

Estamos ouvindo falar muito de Itatim-BA,  que ainda não conheço, mas pelas fotos que vi deve ser incrível.

Sem dúvida o público de escalada vem crescendo mais rápido. Como você visualiza este crescimento?

O crescimento é bom, desde que seja de forma consciente e isto não se aplica apenas a escalada né?!

Me preocupa que algumas pessoas tem começado a escalar sem fazer um curso com instrutores qualificados, isto pode causar erros, acidentes e acabar passando uma imagem equivocada do esporte…

Me preocupa o crescimento da escalada sem consciência ambiental!

Quando vamos ao setores de escalada temos que tentar manter a harmonia do local, evitar gritaria, som alto, se preocupar em levar todo o lixo de volta, inclusive o papel higiênico usado, o pedacinho de esparadrapo que cai quando estamos na via, é nossa obrigação.

Ao mesmo tempo, como amo a escalada, acho que o crescimento do esporte é natural e faz com que mais pessoas descubram este mundo incrível que é a escalada.

Para uma escaladora experiente como você o que é importante para uma pessoa ser considerada uma boa escaladora?

Acho que é importante ter consciência corporal, técnica e maturidade.

As outras características que te ajudam a escalar bem, como força, resistência e explosão, qualquer um pode conseguir treinando…

E quando penso em uma boa escaladora, não estou fazendo relação com o grau que ela escala…

É muito mais do que isto, é escalar com paixão, ter humildade, ser feliz quando se escala, sem se cobrar demais, aproveitar o momento!!!

Você é uma escaladora que sempre escala em alto nível, como mantéma motivação para evoluir sempre?

Acho que a motivação vem porque não imagino a minha vida sem a escalada.

Mas tem alguns fatores externos que me motivam também, como ter vias novas para escalar, uma viagem de escalada se aproximando, saber que escalada não é só físico e que mesmo que você não esteja no seu melhor momento, se der gana pode encadenar aquela via desejada.

O incentivo do Wagner também me motiva, sugerindo vias mais difíceis para eu tentar e dando a vibe.

Se fosse para você escolher um lugar, com exceção da Serra do Cipó, qual é o seu lugar preferido de escalada e porque?

Puxa, lugar preferido é difícil.

Pois preferido para mim soa como um lugar que você gosta e vai sempre (para mim a Serra do Cipó)…

Um dos lugares que adorei conhecer e escalar foi Rodellar, na Espanha.

Lá tem muitas vias, muitas mesmo e a escalada naquele calcário é incrível, estilo diferente do que temos no Brasil.

Mas não posso deixar de citar o Morro do Anhangava, lugar onde aprendi a escalar e devo boa parte da minha experiência aos momentos que escalei no morro.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.