[EXCLUSIVO] Entrevista com produtora de vídeos Pedra Viva

Uma das mais promissoras produtoras de vídeos outdoor existentes hoje no Brasil é a Pedra Viva.

Embora relativamene longe da região sudeste, conseguieram criar uma linguagem e estilo próprios.

Maioria de suas produções são voltadas para o público amante do boulder, porém com boa edição e fotografia.

Confira a entrevista abaixo:

 

1 – A quanto tempo você de dedica a fazer vídeos outdoor?

O Lucas (Castor) começou a fazer alguns vídeos em 2009, de uma maneira bem casual e com poucos equipamentos.

Já o projeto “PEDRA VIVA” vem com mais força, nossa proposta é lançar um vídeo e várias fotos por semana.

O blog foi inaugurado no início de maio e pouco antes disso começamos a produzir nossos vídeos.

2 – O que você sentiu de evolução em sua técnica e visão desde o seu início?

Tínhamos pouca experiência em edição e filmagem, mas em pouco tempo, acreditamos, evoluímos bastante.

Aos poucos estamos “pegando a manha” de trabalhar com os programas, ângulos novos, aprendizados com outros vídeos, etc.

 

3 – Como são elaborados os roteiros de seus vídeos? Há algum planejamento prévio?

Por enquanto, nossos roteiros surgem depois das filmagens. Captamos, principalmente, ascensões, e depois vamos trabalhar nelas.

Mas, é claro, já estamos familiarizados com muitas das vias, e pensamos em estratégias para fazer uma filmagem de maior qualidade.

Também estamos com alguns projetos mais elaborados, mais longos, com planejamento prévio.

Cristal de THC (V8) – Cocalzinho Escalada from Pedra Viva on Vimeo.

4 – Qual é o equipamento que você usa para filmar, e também editar, seus vídeos?

Os equipamentos de filmagem são: uma câmera Canon 5D Mark II; outra câmera Canon Rebel T3i;

Uma lente Canon EF 50mm f/1.0 L USM; uma lente Canon EF 70-200mm f/2.8 L USM;

Uma lente Canon EF 100mm f/2.8 L USM Macro;

Uma lente Canon EF 24mm f/2.8; um tripé; um monopé; uma steadicam.

Para editar, utilizamos o Final Cut Pro, do Mac.

5 – Hoje existem apenas um festival de filmes Outdoor , O festival de Filmes de Montanha do Rio de janeiro. Porque você acredita que é tão raro este tipo de evento?

São muitos os motivos. Acreditamos que, antes de mais nada, este é um problema estrutural, maior, em nosso país – aquele que diz respeito à falta de incentivo público e privado ao esporte.

Mas há também diferenças dentro do que chamamos de “esporte”.

Alguns, como vemos, recebem muito financiamento, como o futebol, o basquete, principalmente os coletivos. É verdade, esportes de aventura nos últimos anos têm sido muito celebrados, mas os espaços que temos para produzir neste campo ainda são estreitos e raros, e quase sempre independentes.

Esperamos que o incentivo à escalada cresça, de uma forma geral – mais atletas, mais treinadores, mais campeonatos, mais marcas sustentáveis, mais filmes, mais fotos, mais textos e mais eventos – sonhamos com esse dia.

6 – Fora você, quais são os produtores de vídeos que você não perde nenhum trabalho?

Estamos assistindo a muitos vídeos.

Não perdemos os do Murilo Vargas, os do “Maneira Filmes”, “Foca no Climb”, “Granito Filmes”; e também alguns internacionais, os que aparecem no “Vertical Carnival” são sensacionais

7 – Na sua lista particular, quais seriam os seus 5 melhores filmes outdoor que assistiu?

Esdrúxulo Luxo 8a+ [Tijuca Fortest/ Rio de Janeiro]” (Granito Filmes, no Vimeo);

“Climber’s Journal: ROCKLANDS” (Rok Klancnik, no Vimeo);

“O Dia Santo” (carlos levy, no Vimeo);

“Petzl RocTrip China 2011” (petzlcrew, no Youtube);

“Towers of the Ennedi” (Camp 4 Collective, no Vimeo).

8 – Você fez, ou planeja fazer algum curso de aperfeiçoamento em produção de vídeos?

Nunca fizemos, mas pretendemos!

9 – Há algum planejamento de produção de algum longa metragem (mais de 40 min) para participar de algum festival de filmes Outdoor(no Brasil ou exterior)?

Por enquanto, não.

Mas é algo a se pensar.

10 – Quem estiver interessado participar de seus vídeos como deve proceder?

Pode nos contatar por email ([email protected]) ou pelo facebook (www.facebook.com/pedravivaescalada).

Estamos abertos a qualquer projeto, dê o toque!

Viva a pedra, PEDRA VIVA!

 

Coordenação (V5) – Cocalzinho Escalada from Pedra Viva on Vimeo.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.