[EXCLUSIVO] Entrevista com produtora de vídeos Pedra Viva

Uma das mais promissoras produtoras de vídeos outdoor existentes hoje no Brasil é a Pedra Viva.

Embora relativamene longe da região sudeste, conseguieram criar uma linguagem e estilo próprios.

Maioria de suas produções são voltadas para o público amante do boulder, porém com boa edição e fotografia.

Confira a entrevista abaixo:

 

1 – A quanto tempo você de dedica a fazer vídeos outdoor?

O Lucas (Castor) começou a fazer alguns vídeos em 2009, de uma maneira bem casual e com poucos equipamentos.

Já o projeto “PEDRA VIVA” vem com mais força, nossa proposta é lançar um vídeo e várias fotos por semana.

O blog foi inaugurado no início de maio e pouco antes disso começamos a produzir nossos vídeos.

2 – O que você sentiu de evolução em sua técnica e visão desde o seu início?

Tínhamos pouca experiência em edição e filmagem, mas em pouco tempo, acreditamos, evoluímos bastante.

Aos poucos estamos “pegando a manha” de trabalhar com os programas, ângulos novos, aprendizados com outros vídeos, etc.

 

3 – Como são elaborados os roteiros de seus vídeos? Há algum planejamento prévio?

Por enquanto, nossos roteiros surgem depois das filmagens. Captamos, principalmente, ascensões, e depois vamos trabalhar nelas.

Mas, é claro, já estamos familiarizados com muitas das vias, e pensamos em estratégias para fazer uma filmagem de maior qualidade.

Também estamos com alguns projetos mais elaborados, mais longos, com planejamento prévio.

Cristal de THC (V8) – Cocalzinho Escalada from Pedra Viva on Vimeo.

4 – Qual é o equipamento que você usa para filmar, e também editar, seus vídeos?

Os equipamentos de filmagem são: uma câmera Canon 5D Mark II; outra câmera Canon Rebel T3i;

Uma lente Canon EF 50mm f/1.0 L USM; uma lente Canon EF 70-200mm f/2.8 L USM;

Uma lente Canon EF 100mm f/2.8 L USM Macro;

Uma lente Canon EF 24mm f/2.8; um tripé; um monopé; uma steadicam.

Para editar, utilizamos o Final Cut Pro, do Mac.

5 – Hoje existem apenas um festival de filmes Outdoor , O festival de Filmes de Montanha do Rio de janeiro. Porque você acredita que é tão raro este tipo de evento?

São muitos os motivos. Acreditamos que, antes de mais nada, este é um problema estrutural, maior, em nosso país – aquele que diz respeito à falta de incentivo público e privado ao esporte.

Mas há também diferenças dentro do que chamamos de “esporte”.

Alguns, como vemos, recebem muito financiamento, como o futebol, o basquete, principalmente os coletivos. É verdade, esportes de aventura nos últimos anos têm sido muito celebrados, mas os espaços que temos para produzir neste campo ainda são estreitos e raros, e quase sempre independentes.

Esperamos que o incentivo à escalada cresça, de uma forma geral – mais atletas, mais treinadores, mais campeonatos, mais marcas sustentáveis, mais filmes, mais fotos, mais textos e mais eventos – sonhamos com esse dia.

6 – Fora você, quais são os produtores de vídeos que você não perde nenhum trabalho?

Estamos assistindo a muitos vídeos.

Não perdemos os do Murilo Vargas, os do “Maneira Filmes”, “Foca no Climb”, “Granito Filmes”; e também alguns internacionais, os que aparecem no “Vertical Carnival” são sensacionais

7 – Na sua lista particular, quais seriam os seus 5 melhores filmes outdoor que assistiu?

Esdrúxulo Luxo 8a+ [Tijuca Fortest/ Rio de Janeiro]” (Granito Filmes, no Vimeo);

“Climber’s Journal: ROCKLANDS” (Rok Klancnik, no Vimeo);

“O Dia Santo” (carlos levy, no Vimeo);

“Petzl RocTrip China 2011” (petzlcrew, no Youtube);

“Towers of the Ennedi” (Camp 4 Collective, no Vimeo).

8 – Você fez, ou planeja fazer algum curso de aperfeiçoamento em produção de vídeos?

Nunca fizemos, mas pretendemos!

9 – Há algum planejamento de produção de algum longa metragem (mais de 40 min) para participar de algum festival de filmes Outdoor(no Brasil ou exterior)?

Por enquanto, não.

Mas é algo a se pensar.

10 – Quem estiver interessado participar de seus vídeos como deve proceder?

Pode nos contatar por email ([email protected]) ou pelo facebook (www.facebook.com/pedravivaescalada).

Estamos abertos a qualquer projeto, dê o toque!

Viva a pedra, PEDRA VIVA!

 

Coordenação (V5) – Cocalzinho Escalada from Pedra Viva on Vimeo.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.