[EXCLUSIVO] Entrevista com Felipe Guimarães

Foto: Felipe Guimaraes

Foto: Felipe Guimarães

Dentro de cada região do Brasil há um montanhista que se destaca dentre os demais.

Os motivos deste destaque são muitos: alguns por escalar grau alto, outros por se dedicar ao acesso, outros por educar e assim por diante.

O mineiro Felipe Guimarães é uma destas personalidades da escalada que embora não muito conhecido em outras regiões do Brasil, no Sul de Minas Gerais é um nome conhecido e reconhecido.

Guimarães é um escalador dedicado e que procura sempre viver para a escalada em seu máximo grau possível.

Foto: Felipe Guimaraes

Foto: Felipe Guimaraes

Felipe ainda possui um abrigo de montanha e se dedica a difundir a escalada e montanhismo na sua região

Por estes motivos , e muitos outros, o procuramos para uma entrevista ao Blog de Escalada.

Leia a entrevista abaixo:

Felipe o que a escalada representa para você?

A escalada representa dois mundos na minha vida, o meu trabalho e o meu lazer.

Dar aula na minha Escola de Escalada e atender clientes como guia de montanha foram situações que aconteceram naturalmente na minha vida, por eu ter nascido em uma região de montanha eu uni o útil ao agradavel, e agradeço muito a Deus por ter essa oportunidade.

Foto: Juliano Magalhães

Foto: Juliano Magalhães

Mas nada se compara ao momento do meu lazer que é escalar e me divertir sem compromisso nenhum, apenas me divertir, com minha esposa e amigos.

Estão acontecendo muitos acidentes com escaladores neste ano, a que você credita este aumento?

Credito a falha humana, pois muitos estão banalizando a real função das escolas de escalada e instrutores, e acabam aprendendo só a escalar e não a fazer o uso e manuseio correto dos equipamentos de escalada e atividades verticais.

E isso realmente causa muitos acidentes e aumenta o risco não somente de quem vacila mas também de inocentes que podem estar ao lado!

Você acredita que a escalada como esporte voltou a crescer? Porque?

Acredito sim, pois tenho visto muita gente nova por ai e bastante procura nas atividades outdoor.

Foto: Juliano Magalhães

Foto: Juliano Magalhães

O porque disso, vejo na beleza e prazer que a atividade proporciona ao praticante, por mais simples que ela seja.

E também na facilidade de acesso que hoje temos de se fazer uma atividade outdoor e de se comprar equipamentos, que há tempos era bem mais complicado até de se informar a respeito.

As marcas e produtos para escalada e esportes de natureza em geral não patrocinam nenhum atleta ou evento. Na sua opinião qual seria o motivo?

É uma questão de cultura.

Aqui ”ainda” é o país do futebol.

Foto: Pedro Steiner

Foto: Pedro Steiner

No Brasil o mercado ”ainda” não é tão forte ao ponto das empresas investirem dessa forma.

As empresas são na maioria muito jovens e é uma questão de tempo.

Já tenho visto algumas marcas investindo nos atletas mais renomados e que estão na mídia há mais tempo.

Questão de cultura, por não terem a visão “ainda” de investir em prodígios que estão mandando muito e que tem um enorme potencial pela frente e podem sim dar um enorme retorno se trabalhados de uma boa forma.

Nos eventos, a maioria das marcas querem participar mas não com dinheiro e sim com produtos, e outras nem retorno dão! Nessa parte é mesmo muito difícil.

Para os escaladores que almejam um patrocínio, não desistam, e continuem fazendo o que gostam, e se especializando cada vez mais, que logo logo a escalada e os escaladores serão levados mais a sério principalmente aqui no Brasil!

E não se esqueçam que mandar muito não basta. É preciso também ter boa conduta e principalmente boa comunicação com o publico em geral.

Alguns locais, como parques e propriedades privadas, dificultam a visitação de escaladores. Como você visualiza este problema?

Nos parques existem regras a serem seguidas, não só aqui no Brasil como no mundo, e se não concordamos com elas, não adianta

Foto: Renato Passos

Foto: Renato Passos

ficarmos chorando pelos cantos, temos que frequentar as reuniões que existem e dar sugestões, e não somente reclamar!

Agora, nas propriedades privadas, alguns donos realmente não querem mais que as pessoas frequentem suas terras por desconhecerem a escalada como ela funciona, ou por algum problema que aconteceu que os fizeram tomar essa atitude.

Mas tem outros que até gostam que pessoas frequentem suas terras ou até mesmo fazem desse acesso uma forma de renda como é o caso do Paraíso em Pinda, que passou por um processo de organização, e hoje em dia corre tudo bem.

Você presenciou o Petzl Roc Trip na Argentina, você acredita em um evento da mesma envergadura no Brasil?

Foto: Thaiana Ferreira

Foto: Thaiana Ferreira

Acredito sim, ainda mais promovido pela Petzl, Blak Diamond, Mamut ou por uma outra grande marca que saiba o real valor da Escalada.

O evento lá teve um enorme apoio do país e foi promovido pela Petzl, que é uma grande marca internacionalmente conhecida, isso facilita muito a realização de um Evento desse porte.

Tanto acredito que trabalho a ideia do Climbing Festival aqui em Itamonte – MG, que é uma região de montanha fantástica e tem muito a ser trabalhado, como vários outros locais no Brasil.

Na Roc Trip estava até o governador do estado de Chubut no palanque e passeando por lá. E percebi que mesmo eles sendo um povo sofrido, aproveitam o gancho da escalada para investir no turismo.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.