Entrevista com Eduardo Barão

Foto: Let´s Nessa

Foto: Let´s Nessa

Quem já visitou a Serra do Cipó, já deve ter escutado muitas histórias e suas lendas.

Uma das lendas do local sem dúvida é o escalador Eduardo Barão.

Para quem nunca ouviu falar sobre ele, saiba que Eduardo Barão é um dos escaladores esportivos mais fortes do Brasil.

Nã0 a toa Barão tem apoio da Verticale (CAmp, Cassim e Edelweiss), Deuter Brasil e La Sportiva Brasil.

Por todas as histórias ,e tantas lendas a seu respeito, o Blog de Escalada procurou Eduardo para uma entrevista e foi prontamente atendido.

Leia a entrevista abaixo:

 Barão hoje você é um ilustre morador da Serra do Cipó. É tão bom quanto parece morar ai?

Morar na Serra do Cipó é um sonho para qualquer escalador.

Foto: Danilo Santana | Monstro Fotos

Foto: Danilo Santana | Monstro Fotos

A proximidade das maravilhas naturais que temos na Serra fazem com que qualquer amante da natureza queira vir morar por aqui.

Os problemas existem… e como em qualquer cidade temos problemas variados, mas só o fato de não existir trânsito… isso já me deixa muito feliz…

Você foi um dos poucos escaladores escolhidos para ser apoiado pela marca La Sportiva, como foi que aconteceu?

Eu tinha apoio da La Sportiva pela Verticale (representente das renomadas marcas Camp, Cassin e Edelweiss), que era o antigo representante da marca aqui no Brasil.

Quando soube que a La Sportiva iria retornar fiquei sabendo por meio de alguns amigos (Jan Cardoso) que eles iriam montar uma pequena equipe, então resolvi mandar um breve currículo e eles me colocaram como atleta da marca.

Você também administra o “Abrigo Cipó”, como é esta experiência para você?

Foto: Danilo Santana | Monstro Fotos

Foto: Danilo Santana | Monstro Fotos

Eu e minha esposa, Rafaela Discaciati, administramos o Abrigo Cipó. Aqui é a nossa casa, nosso trabalho, nosso descanso. Deixamos todos bem à vontade como se estivessem em casa.

Para mim é como uma fábrica de fazer novos amigos…

Você tem encadenado várias vias de graduação alta na Serra do Cipó. Qual é seu próximo projeto?

Sempre estou procurando as vias que ninguém isolou, ou que não tenham ascensão.

O desafio me instiga… então vou lá e entro até conseguir…rsrs

Atualmente estou entrando em alguns projetos muito fortes sendo um deles o que se chama “Ham Salam” no Vale Zen.

Com exceção das vias da Serra do Cipó, você tem algum outro projeto para este ano?

Tenho vontade de conhecer as vias da Gruta de Passa Vinte onde estão algumas das mais fortes vias aqui do Brasil.

Foto: Danilo Santana | Monstro Fotos

Foto: Danilo Santana | Monstro Fotos

Preciso arrumar tempo para ficar uma pequena temporada e tentar alguns projetos por lá.

Você possui alguma rotina de treinamento?

Digamos que a minha rotina é um pouco louca…

Quando entro em uma rotina os trabalhos acabam embolando os dias e os horários de treino…

Mas como eu falo sempre… se o trabalho for físico vira treino…rsrs tudo que te coloca em movimento vira treino.

Algumas pessoas vêm afirmando que o esporte de escalada voltou a crescer. Como você visualiza este crescimento?

A descoberta de novos picos e a abertura de novas vias faz com que o esporte cresça.

A escalada vive de novas conquistas e para a escalada evoluir ela depende diretamente disto.

Foto: Rafael Furtado

Foto: Rafael Furtado

Hoje temos um número maior de conquistadores de todos os estilos espalhados pelo Brasil e isso tem feito a escalada crescer como um todo em todas as regiões do país.

Diferente de você, muitos atletas não possuem patrocínio, ou até mesmo apoio, como você visualiza esta realidade?

A grande dificuldade em se manter focado e motivado para estar escalando forte independe um pouco de se ter apoio ou patrocínio.

Lógico que apoios e patrocínios ajudam e muito, mas a semente tem de estar dentro do atleta.

Recentemente a Serra do Cipó sediou um festival de filmes ecológicos. Você acredita que poderá em curto prazo ter algo parecido só que com filmes montanha?

Aqui na Serra do Cipó por ser um distrito pequeno, a facilidade em se conseguir coisas e apoio da própria prefeitura deixa tudo isso mais fácil.

Foto:  Marco Terranova

Foto: Marco Terranova

O vilarejo hoje tem um movimento muito grande por causa da escalada.

Vemos escaladores o ano todo e de todas as partes do mundo.

Se a escalada move um pouco a economia local não existe um porque de não se incentivar projetos como estes.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.