[EXCLUSIVO] Crítica do filme “Western Gold”

O Lançamento do filme Western Gold foi cercado de muita expectativa, especialmente pela comunidade de praticantes de boulder.

A produção da “Savage Films” foi realizada com uma proposta de retratar a escalada em boulders muito altos, conhecidos como “high Ball”.

Todos os boulders seriam retratados sem dar destaque ao grau de dificuldade, o que é muito louvável em um filme.

Os produtores do filme ,que possui duração de  pouco menos de 2 horas, já tinham realizado um outro trabalho, este mais curto a respeito de boulders na África do sul, e que teve boa receptividade.

Filme este que pode ser visto gratuitamente no canal de filmes da produtora no site do Vimeo.

Por este motivo houve tanta expectativa a respeito da produção Western Gold.

Entretanto o filme não tem a mesma qualidade de seu primeiro projeto.

Demonstra ainda que explicitamente que não houve uma preocupação de eliminar cenas e diálogos irrelevantes para o desenvolvimento de todo o filme.

O resultado disso foram uma quantidade de cenas que não acrescentam nada à história e muito menos ao objetivo do filme.

Os produtores também não tiveram uma preocupação tanto com o roteiro, quanto como apresentar devidamente cada personagem apresentado ali.

O resultado desta matemática são muitas imagens e grunhidos de escaladores com música ao fundo um atrás do outro.

Um verdadeiro festival de curtos vídeo-clips no estilo da MTV dos anos 80.

Apesar de possuir boas imagens, e ângulos de filmagem o desleixo com edição, trilha sonora e roteiro o filme vai se perdendo no decorrer de sua execução, e em pouco mais de uma hora torna-se maçante e tedioso a quem assiste.

Até mesmo para amantes da modalidade.

Ao seu término o que se conclui é que apenas com boas intenções não é o bastante para uma execução de um filme outdoor de qualidade.

Questionável ainda é o preço do produto (US$ 15,00) para se fazer o download, pois pela qualidade apresentada, o resultado é um custo/benefício baixo.

Cabe aos produtores da Savage Films de um próximo trabalho elaborarem um projeto se preocuparem com elementos fundamentais em qualquer vídeo comercializado: qualidade de edição de imagens e aprofundamento de personagens e locais com roteiro definido.

 

 Nota do Blog de Escalada:

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

There are 2 comments

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.