[EXCLUSIVO] Crítica do filme “Western Gold”

O Lançamento do filme Western Gold foi cercado de muita expectativa, especialmente pela comunidade de praticantes de boulder.

A produção da “Savage Films” foi realizada com uma proposta de retratar a escalada em boulders muito altos, conhecidos como “high Ball”.

Todos os boulders seriam retratados sem dar destaque ao grau de dificuldade, o que é muito louvável em um filme.

Os produtores do filme ,que possui duração de  pouco menos de 2 horas, já tinham realizado um outro trabalho, este mais curto a respeito de boulders na África do sul, e que teve boa receptividade.

Filme este que pode ser visto gratuitamente no canal de filmes da produtora no site do Vimeo.

Por este motivo houve tanta expectativa a respeito da produção Western Gold.

Entretanto o filme não tem a mesma qualidade de seu primeiro projeto.

Demonstra ainda que explicitamente que não houve uma preocupação de eliminar cenas e diálogos irrelevantes para o desenvolvimento de todo o filme.

O resultado disso foram uma quantidade de cenas que não acrescentam nada à história e muito menos ao objetivo do filme.

Os produtores também não tiveram uma preocupação tanto com o roteiro, quanto como apresentar devidamente cada personagem apresentado ali.

O resultado desta matemática são muitas imagens e grunhidos de escaladores com música ao fundo um atrás do outro.

Um verdadeiro festival de curtos vídeo-clips no estilo da MTV dos anos 80.

Apesar de possuir boas imagens, e ângulos de filmagem o desleixo com edição, trilha sonora e roteiro o filme vai se perdendo no decorrer de sua execução, e em pouco mais de uma hora torna-se maçante e tedioso a quem assiste.

Até mesmo para amantes da modalidade.

Ao seu término o que se conclui é que apenas com boas intenções não é o bastante para uma execução de um filme outdoor de qualidade.

Questionável ainda é o preço do produto (US$ 15,00) para se fazer o download, pois pela qualidade apresentada, o resultado é um custo/benefício baixo.

Cabe aos produtores da Savage Films de um próximo trabalho elaborarem um projeto se preocuparem com elementos fundamentais em qualquer vídeo comercializado: qualidade de edição de imagens e aprofundamento de personagens e locais com roteiro definido.

 

 Nota do Blog de Escalada:

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

There are 2 comments

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.