Crítica do Filme “Fitz Roy, historia de una hazaña”

394103061_640[1]Expedições a lugares inóspitos despertam grande curiosidade tanto de escaladores como de leigos.

Mesmo nos dias atuais com equipamentos pretados para o uso em situações extremas.

Uma pergunta às vezes é levantada: como eram as expedições pioneiras a lugares que permanecem desafiadores até mesmo nos dias de hoje?

Partindo desta premissa o produtor Noel Martinez de Aguirre realizou a produção “Fitz Roy, historia de una hazaña” com o objetivo de documentar a conquista de escaladores argentinos no início da década de 80.

À época as ditaduras sul americanas começaram a ruir, a situação econômica era instável e por isso muitas novidades tecnológicas não eram acessíveis.

Dentre itens raros nos anos 80: camalots, equipamentos de escalada e filmagem.fitzroy[1]

Porém um grupo de argentinos se dispuseram a abrir uma via no Fitz Roy.

Via esta que hoje é a mais popular para se fazer cume.

O Fitz Roy ,ou Cerro Chaltén, fica no extremo sul da Argentina fazendo divisa com o Chile.

Fazendo um paralelo seria o equivalente à documentar a abertura da via “Italianos”, no Pão de Açúcar (guardada as devidas proporções, é claro).

Com imagens originais captadas em câmera “Super 8” e com atuais dos montanhistas o filme conta em pouco mais de 11 minutos a façanha destes argentinos.

fritz-2Alternando com declarações de cada um dos protagonistas a história é contada de maneira simples porém repleta de detalhes.

Com grande quantidade de imagens da época  junto com considerável quantidade de fotos o andamento do filme é uniforme e sem pontos desinteressantes.

Com simplicidade e um título que pode-se considerar “spoiler” a produção cativa e consegue prender a atenção do espectador durante a sua reprodução.

A produção se assemelha, entretanto, a uma reportagem documental e Aguirre opta por não ornamentar em demasiado cada detalhe.

Por tomar o cuidado de captar o essencial tem o mérito de não fazer auto-promoção ou promover ufanismo.fritz

Por esta decisão acertada a história é eficiente mesmo não contendo cenas de ação e basear todo o desenrolar da história em imagens de arquivo, narração e fotos o filme prende a atenção do espectador.

Atenção esta a um roteiro bem escrito e a uma edição praticamente sem falhas.

Pelo espírito minimalista e elegante de contar uma façanha até certo ponto impressionante Noel Martinez realizou uma obra de alta qualidade que agrada a todo tipo de público de montanha.

Não é de maneira alguma exagero considerar que “Fitz Roy, historia de una hazaña” seja desde já um clássico sulamericano de filmes de montanha.

Nota do Blog de Escalada

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.