Crítica do filme “Finisterre”

Finisterre_1Vivemos em um mundo que está em constante evolução.

Tudo mesmo, e desde sempre.

Não faz muito tempo as tecnologias e culturas passaram a evoluir a uma velocidade espantosa para todos, não importando a idade.

A produção de filmes de escalada passa por esta evolução e vem desde as imagens contemplativas para histórias mais elaboradas e com conteúdo mais inteligente.Finisterre_2

Dentro do conjunto de filmes de escalada, a que mais oferece praticidade para filmagem e edição é o da prática de boulder.

Por existir uma quantidade muito grande de produções do gênero, os erros e vícios dos praticantes ficaram mais em evidência do que outros gêneros.

Finisterre_3Foi apelidado por muitos de “rock porn”

Procurando realizar algo mais inteligente e sensível os produtores David Schickengruber e Stefan Köchel planejaram uma abordagem diferente e mais adulta para filme de escalada em boulder.

Seu cuidado com pequenos detalhes importantes resultou no surpreendente “Finisterre”, um filme sensível e que consegue agradar aos mais fanáticos praticantes da modalidade.Finisterre_4

O filme documenta a viagem de uma dupla de austríacos (Dentre os quais os próprios David Schickengruber e Stefan Köchel)  desde Graz até a região da Galícia na Espanha.

Nas terras galegas exploram um pouco da história e seus desbravadores da prática de boulder na região.

Com roteiro bem escrito e executado, e com uma preocupação ímpar em construir cada personagem apresentado, a produção “Finisterre” é uma das gratas surpresas do gênero para 2013.

Finisterre_5Com captação de imagens criativas (com boa dose de inspiração no seriado “Breaking Bad”) detalhes de viagem como pessoas, boulders , clima e etc,  faz o filme fluir em pouco mais de 1h15 min de sua exibição.

Um grande acerto da dupla também foi a preocupação de mostrar a internet ser um personagem coadjuvante e sempre presente na vida de todos, o que raramente é visto em filmes de escalada.

Procurando retratar os principais blogueiros galegos e sua importância para a comunidade local revelam como o acesso à informação contribuiu para a popularização do esporte, além de criar infinitas possibilidades de viagem.

Além, é claro, de aproximar as pessoas com interesses em comum.Finisterre_6

O filme “Finisterre” é uma produção madura e que mostra a grande evolução por que estão passando produções de  escalada em boulder.

Uma evolução que há muito era necessária para inspirar pessoas a conhecer outros lugares diferentes, e aprenderem que o mais importante de poder viajar e escalar é conhecer lugares novos e pessoas interessantes, não apenas fazer força.

“Finisterre” não é somente um filme de boulder, é um filme de pessoas que praticam boulder e gostam de viajar, e este detalhe de abordagem fez toda a diferença.

Nota do Blog de Escalada:

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.