Crítica do filme “Encombialsur”

encombialsur-300x164[1]A experiência de uma viagem diferente do convencional para lugares fantásticos e que raramente figuram em guias de viagens sempre será garantia de diversão, histórias interessantes e lembranças inesquecíveis.

Por este motivo muitos produtores se dedicam a realizar filmes de aventura baseados em viagens.

Exemplos deste tipo de abordagem não faltam.

Produções como “Chasing Winter“, “Monos que Flotan” e “No Ropes No Bolts” utilizaram ela (cada um a sua maneira, claro).

Os produtores chilenos da marca “Haka Honu” fizeram uma viagem com o intuito de realizar a produção de um filme.encolombiaalsur-documental-mateo-barrenengoa-haka-honu[1]

Nesta mesma viagem que originou “Encombialsur” também realizaram paralelamente a websérie “Abriendo Caminos” que foi exibida recentemente.

“Encombialsur” documenta a viagem dos produtores à Patagônia para escaladas nos melhores locais da Região, e também mostrar detalhes e pessoas peculiares da região.

1003364_646606738690711_715414734_n1[1]O filme opta por adotar uma linha de documentário no estilo “uma imagem vale mais que mil palavras” e por isso seus protagonistas não pronunciam nenhuma palavra durante toda a exibição.

Mesmo em silêncio , que convida à contemplação, os integrantes da Kombi partem para escalar em vários locais.

Nesta jornada por Chile e Argentina visitam os melhores lugares de escalada esportiva da América do Sul: La Buitrera/Piedra Parada e Valle Encantado.

Alguns detalhes da viagem como cores, por do sol, vegetação entre outros pormenores são também retratados com o claro objetivo de fazer o espectador se sentir parte da equipe.

Entretanto esta proposital ausência de “comunicação” faz com que o filme torna-se agradavel a quem conhece o local, mas permanece incógnita a quem não é familiar ao lugar.combi1

Muitas das cenas extensas de escalada o filme oscilam dentro daquilo que se propôs a ser documentado e passa a impressão de se alongar além do necessário.

Issto porque o propósito do filme deixa a entender que é mostrar uma jornada, e não somente um desafio a se vencer.

A passagem que marca a participação dos protagonistas no Petzl Roc Trip é tratada de forma superficial faltando mais detalhes de como foi o evento.

Um pequeno pecado, mas que passa despercebido por quem não avalia a importância que o evento teve para a escalada sul americana.

combi2Há de se salientar ainda o destaque dado a pessoas simples e seus pensamentos ao longo da viagem.

Decisão esta que evidenciou maturidade e consciência e que poderia ser mais exploradas no decorrer da produção.

“Encombialsur” é um filme que alterna partes interessantes de escalada com cenas contemplativas, mostrando ambição de ser mais artístico que um apenas divertido.

A qualidade de imagens de cada detalhe arranca lágrimas a quem tem paixão por estar na estrada , apesar de não empolgar quem não tem muita experiência.

Cercado de muita expectativa alimentada pelos próprios produtores o filme pode não atingir o “status” de obra-prima, mas certamente é um filme que contém muito do espírito despojado de uma “climb trip”.

Apesar tornar-se confuso em algumas partes, “Encombialsur” é uma proposta interessante de se fazer filmes outdoor, e que sem dúvida deve inspirar muitos pelo estilo apresentado.

Nota do Blog de Escalada:

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.