Crítica do filme “Crossing the Ice”

unnamedExistem pessoas que são movidas a desafio, e nunca estão satisfeitas com algo fácil, sentindo até mesmo pavor do cotidiano.

Para estas pessoas sair da zona de conforto é obrigação todos os dias, para que assim seja possível dormir com a sensação do dever cumprido.

Como existe “gente para tudo neste mundo”, há pessoas que procuram pelos desafios extremos, levando aos limites físico e mental a ponto nunca antes atingidos (e documentado).

Este é o caso dos australianos James Castrission e Justin Jones (conhecidos como “Cas” and “Jonesy”) que decidiram cruzar o círculo antártico e voltar.

Para “apimentar” esta aventura seria toda realizada sem equipe de apoio (somente de resgate em alguns pontos).

A partir desta premissa, foi realizado o filme “Crossing the Ice”, que documenta a jornada de Cas e Jonesy para tentar estabelecer uma façanha nunca antes realizada.ice5

Tudo corria bem durante o planejamento, cheio de confetes e ufanismo nacionalista, que cerca toda expedição a lugares inóspitos, até que o norueguês Aleks Gamme também anuncia que irá realizar o mesmo desafio.

Gamme era considerado um “exterminador” de desafios, além de possuir como ponto forte suas habilidades com o ski.

Aleks possui força física, resistência e determinação consideradas lendarias.

ice1A partir daí começa uma corrida contra o tempo (e resistência física) para determinar quem conclui a travessia primeiro para enfim ostentar os louros de concretizar o feito.

Documentado com uma apenas uma câmera, e somente manuseada pela dupla australiana quando na Antártida, mostra detalhes de toda expedição (alguns desnecessários como furar bolhas de caminhada) “Crossing the ice” é um filme que empolga todos os lados. ice2

Retratando as angústias, desespero, os surtos, as alegrias e tentações pelas quais passam os dois australianos, o filme flui em sua exibição.

Com um roteiro bem escrito e apoiado por uma edição, que soube dar cores dramáticas a todo o desenrolar da exibição, empolga e inspira ao espectador.

ice6Sabendo dosar na medida certa cenas dramáticas, que se alternam com cômicas, demonstra de maneira simples e eficiente que por  mais limitados que sejam os recursos de captação de imagem, uma boa história é fundamental.

E neste aspecto o filme merece destaque.

Uma outra característica da produção é a ausência de uma trilha sonora de impacto em boa parte do filme que colaborou para que a tensão do espectador subisse a níveis altos, e fosse surpreendido por um final inesperado e pouco visto.ice3

Final este, diga-se, pouco visto em produções outdoor.

“Crossing Ice” é um filme de aventura com “A” maiúsculo com todos os elementos e, seguramente, obrigatório a quem aprecia o gênero.

O filme ainda tem o mérito de não colocar ninguém no pedestal, todos ali são humanos com defeitos, vulnerabilidades e desejos.

Nisso está o segredo e a qualidade da produção, que documenta a aventura de duas pessoas humanas.

Nota do Blog de Escalada:

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.