Crítica do Filme “23 Feet”

A grande maioria das pessoas dedicadas a pratica de esportes de natureza tem o desejo de largar tudo e viver a vida o mais simples possível. Não existe pessoa que não se canse da correria de cidades megalópoles com pessoas sem nenhum preparo para viver em sociedade.

O Filme “23 feet” retrata algumas destas pessoas que tiveram a coragem de largar a vida de uma sociedade estabelecida como conhecemos e viver da maneira mais simples possível.

É importante, porém, não confundir “viver simples” por “deixar de trabalhar e viver por conta de herança ou pensão”. Achar que a vida é bela com o dinheiro caindo do céu não tem nada a ver com viver uma vida simples e com qualidade de vida.

Afinal invariavelmente se necessitará de pagar as contas do que fizer, mas sem necessitar vender a alma para isso.

Todas as pessoas entrevistadas nos filmes possuem atividades das quais conseguem obter um relativo sustento.

Para quem pensa que o filme é uma visão romântica e mascarada da vida Outdoor fora da cidade grande se engana. O filme 23 feet mostra de maneiras adultas e imparciais várias visões diferentes do que é viver simples.

Mostrando seis visões diferentes sobre como é viver de maneira simples mas procurando não adotar uma opinião a se defender, a produtora do filme deixa transparecer de maneira discreta a sua vontade de também largar tudo, mas procura fazer com que cada entrevistado ponderar sobre este tipo de decisão.

Filmado e concebido em formado Road-trip, em que mostra os contratempos de sua viagem, o ponto forte do filme fica centrado em seus personagens típicos que falam sobre como é viver simples. Todos, de maneira unânime deixam claro que não é uma escolha fácil, e que por muitas vezes se questionam o porquê desta escolha.

De maneira implícita em cada depoimento fica claro que apesar de viver um estilo de vida em que as posses não são o primordial, e sim a sua experiência espiritual.

O primeiro destaque fica por conta do depoimento do escalador Ron Kauk, hoje com 54 anos e é conhecido escalador do parque de Yosemite por ter um estilo de vida singular a mais de 30 anos.

Ron de maneira bem carismática e madura consegue consolidar com maestria todos os conceitos e determinações de o que é ter uma vida simples. O ponto de vista do lendario escalador faz com que mesmo quem não seja adepto do esporte se pergunte sobre o que queremos da vida.

O filme que possui um bom roteiro levado de maneira elegante pela narração da diretora, e com excelente edição, acaba de maneira muito interessante com um excelente depoimento de uma surfista dizendo o que pensa sobre viver simples.

Um depoimento que fica evidente que é possível na verdade ter um equilíbrio entre os modos de vida simples e a sociedade atual. Neste momento de maneira bem suave a diretora deixa seu ponto de vista sobre o modo de vida outdoor.

Apesar de possuir uma duração pequena (cerca de 30 min ao todo) o filme é muito gostoso de assistir, e todas as entrevistas valem à pena serem vistas mais de uma vez por conter vários depoimentos interessantes.

Um filme que mostra muita elegância e simpatia da sua produtora, que tem neste trabalho uma boa estréia em filmes outdoor. Não seria exagero afirmar que desde já o filme 23 Feet é um exemplar de “filme cult” da modalidade outdoor, e com mérito.

Nota do Blog de Escalada:

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.