Avaliação da Sapatilha de escalada Feeling – Spyffer

A sapatilha de escalada modelo Feeling da marca brasileira Spyffer tem como objetivo oferecer precisão e conforto ao escalador esportivo e/ou boulderista.

Segundo o seu fabricante as principais características do produto são conforto, qualidade do solado e personalização do produto.

O Teste

O equipamento foi testado em três tipos de escalada em rocha: gnaisse, calcário e granito.spyffer5

Não foi utilizado em nenhuma academia de escalada.

As sapatilhas foram utilizadas em vias positivas, negativas e verticais em vários lugares de escaladas diferentes.

Foram testadas em vias esportivas de 5 a 8º brasileiros, e boulders de diversas graduações.

O equipamento não foi submetido a escaladas de vias tradicionais .

Durante todos os testes a sapatilha foi calçada sem o uso de meias, e após o uso deixada para secar à sombra.

O equipamento foi transportado sempre em mochilas e próximo a outros equipamentos de escalada.

Prós

  • Vedação das costuras
  • Aderência da borracha
  • Conforto
  • Precisão

Contras

  • Espessura do solado
  • Maleabilidade excessiva
  • Desgaste

 Notas

  • Design: 4 
  • Material: 4 
  • Acabamento: 4,5 
  • Ergonomia: 4,5 
  • Peso / Volume: 5 
  • Custo beneficio: 4,5 
  • Nota final: 4,41

Opinião

spyffer7A sapatilha feeling da marca Spyffer causou excelente impressão durante todos os testes.

Por ser um modelo feito ainda de maneira artesanal, demonstrou uma qualidade técnica impressionante.

Mesmo sendo realizada com recursos modestos, possui uma qualidade superior a qualquer produto nacional existente no mercado.

A qualidade de seu acabamento mostrou ser o ponto forte da sapatilha, além de possuir uma liga de borracha no solado que é elaborada para permitir uma maior aderência.

Um detalhe que poderia ser mais bem trabalhado por parte do fabricante seria um maior ajuste do material no corpo do pé do escalador.

Durante escaladas de um grau de dificuldade maior, a sensação de que o pé “dançava” dentro da sapatilha gerou certa insegurança.

O modelo testado não possuía muitos velcros (possuía somente um na altura do tornozelo) ou cadarços para maior ajuste, o que permitiu que a sudorese natural do pé interferisse levemente no desempenho.

A escolha de utilizar uma espessura de solado mais estreita, aumentou sensivelmente a precisão e sensibilidade do equipamento, proporcionando mais segurança em vias com muitos regletes e pequenos buracos.spyffer3

A aderência da liga de borracha também agradou e mesmo sendo utilizada em escalada em calcário, não comprometeu a qualidade da escalada.

Entretanto a escolha de uma sapatilha com espessura de borracha mais fina, deixou o produto mais maleável, e que pode sofrer deformações caso seja carregado incorretamente em mochilas.

O produto é a escolha perfeita para quem está começando a escalar, ou está em um nível intermediário de escalada, e deseja ter um equipamento de qualidade.

Pela qualidade do acabamento e pelas formas apresentadas não é exagero nenhum afirmar que as sapatilhas spyffer são indiscutivelmente o melhor produto nacional para o segmento de escalada, faltando poucos detalhes para estar no nível dos equivalentes importados.

spyffer1

spyffer4

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.