Avaliação da cadeirinha Corax – Petzl

1A cadeirinha Corax da marca Petzl tem como principal objetivo oferecer conforto, leveza para otimizar a performance do escalador.

Segundo o seu fabricante os pontos fortes do produto são leveza, resistência à abrasão e conforto.

O teste

A cadeirinha Corax foi testada na maior amplitude de situações de escalada possível.2

Foi testada em escaladas em variados tipos de rocha como granito, calcário e arenito.

O produto foi utilizado em escaladas esportivas de média e baixa dificuldade, e escaladas tradicionais.

A cadeirinha  não foi utilizada em escaladas de bigwall.

Foi testada ainda em treinos regulares em ginásios de escalada com possibilidade de “toprope” e vias guiadas.

Prós

  • Leveza
  • Material de revestimento
  • Acabamento

Contras

  • Ergonomia
  • Conforto

Notas

  • Qualidade de material : 4.0
  • Acabamento : 5.0
  • Design : 3.0
  • Ergonomia : 3.0
  • Relação Peso x volume: 4.0
  • Relação custo x benefício: 3.0
  • Nota final: 3.67

Opinião

3A cadeirinha Corax da marca Petzl decepcionou após terminado todos os testes.

A marca, conhecida por produtos que prezam pela excelência de acabamento e design, descuidou um pouco deste modelo.

O seu design apesar de arrojado, não conseguiu corresponder às expectativas e teve um desempenho que poderia, e deveria, ser revisto pela empresa francesa.4

O desconforto obtido no uso do equipamento deixou uma impressão negativa do modelo.

Há ainda assim qualidades a ressaltar do produto como leveza, e resistência à abrasão em quase todo o material, que contribui para algumas “arrastadas” em granito.

Entretanto não é um produto indicado a quem planeja ficar por muito tempo pendurado, como , por exemplo, em vias tradicionais ou até mesmo para filmagens ou fotografias.

5O preço ao consumidor final é razoável, entretanto na comparação com outros produtos similares no mercado sai perdendo, especialmente no quesito conforto e ergonomia

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.