Escalada passará a ser regulada em Piedra Parada pelo Ministerio de Turismo

O local de escalada conhecido como Pìedra Parada, considerado o melhor lugar de escalada esportiva da América do Sul, passará a ter a escalada regulada pelo Ministério de Turismo de Chubut. Segundo notícia vinculada no jornal argentino El Patagonico, a Área Natural Protegida Piedra Parada terá uma base operativa de um guarda parque (guardafauna) em um terreno doado pelo proprietário de uma propriedade vizinha.

A decisão foi confirmada pelo subsecretário de conservação de áreas protegidas Néstor Garcia em nome do Ministério de Turismo durante as atividades da Semana Del Pueblo de Gualjaina. Nos próximos dias as obras serão iniciadas logo após assinatura de um documento inicial. Faz parte da obra a instalação de banheiros públicos e local para camping.

Foto : Natalia De Marco

Não foi anunciado, entretanto, nenhuma restrição com relação á área do camping gratuito em Piedra Parada, próximo à estrada que liga Gualjaina e Paso del Sapo. O local é muito frequentado durante o verão e é visto como potencial ameaça à fauna e flora do local por não possuir nenhum controle sanitário nem haver monitoramento dos campistas.

A presença do Ministério do Turismo, através de um stand de promoção durante a festa de aniversário da cidade, procurava informar aos visitantes e habitantes sobre a importância da Piedra Parada. De acordo com o Diario Jornada uma primeira versão do documento com todas as regras já está redigido e sendo levado ao conhecimento de todos os escaladores do estado de Chubut para que juntos seja homologada a regulamentação.

Foto : Luciano Fernandes

Caça aos “micróbios”

O anúncio da decisão é mais um duro golpe à população de escaladores “micróbios” que frequentam o país durante o verão. Popularmente o termo “micróbio”  é designado ao escalador que fica à margem das regulamentações e estabelecimentos comerciais que exploram as atividades de montanha.

Este tipo de praticante de esportes outdoor sempre procura ficar gratuitamente, nunca colabora com o comércio ou comunidade locais e, muitas vezes, não se preocupam com a conservação do lugar. São pessoas que enveredam pela marginalidade e muitas vezes vendem drogas ilícitas para pagar seu estilo de vida.

Foto : Natalia de Marco

Locais conhecidos de escaladores como Valle Encantado, Refúgio El Frey e Villa Llanquín (todos na Argentina) criaram regulamentações para preservar a natureza nas suas proximidades e limitar a presença humana. Cochamó, no Chile, também impôs regras mais duras para a diminuição de “micróbios”,

No ano de 2009 um escalador brasileiro despejou deliberadamente um litro de solvente químico em um braço do Rio Limay, que desencadeou uma onda de descontentamento com os proprietários nos quais há a prática de escalada. O escalador, hoje morando na Serra do Cipó (local de escalada em Minas Gerais), e reconhecidamente adepto das prática de “micróbios”, fugiu do local logo após o delito. A denúncia você lê na íntegra aqui.

Sobre o Autor

Da Redação

Da Redação

Equipe da redação

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.