Entrevista com Leopoldo Faria

leopoldo-faria-1

Foto: Acervo Pessoal Leopoldo Faria

Se houvesse em algum lugar o hall da fama para escaladores em Portugal, sem dúvida o lugar teria uma sala especial para Leopoldo Faria.

Escalador de longa data, e apaixonado pro todos os estilos tem sua história particular interligada com a do próprio esporte em seu país.

Leopoldo Faria também viveu momentos muito particulares que renderam um filme que estréia neste final de semana em seu país, e que documenta um pouco de como é a sua psiquê e sua filosofia de vida.

Foto: Keith Ladzinski

Foto: Keith Ladzinski

Inegavelmente por ser uma figura importantíssima para a escalada brasileira e mundial a Revista Blog de Escalada não poderia deixar de entrevista-lo.

Procuramos Leopoldo Faria e fomos amavelmente recebidos com seu sinal positivo, e brindados com uma das mais sensíveis entrevistas realizadas para nós em 8 anos de site.

Leopoldo, como é ser escalador hoje em Portugal?

Ser escalador em Portugal não é fácil, mas é desafiante! Portugal tem lugares incríveis para escalar, a sua maioria junto do mar, o que permite escalar em cenários não tão tipicos!

Apesar disso, há muito pouca rocha e muito pouca cultura de montanha/escalada, o que torna a escalada um desporto praticamente desconhecido.

Isso tem vindo, pouco a pouco, a mudar ao longo dos anos, todos os anos vão surgindo novos praticantes, novas vias, mais competições, encontros, mais fotos, mais videos, artigos, etc…

Para mim essa é a parte desafiante/motivante de escalar em Portugal, há muito para desenvolver aqui ainda!

Você protagonizou uma aventura no Tibet que está por virar filme. O que o público deve esperar deste filme?

O filme “Amin Brakk” que vai ser apresentado 17 de Setembro em Lisboa, é uma história contada na primeira pessoa e que procura chegar a um público mais generalista, ou seja, os aspectos mais técnicos e desportivos da modalidade vão estar em segundo plano, e serão mais explorados os aspectos humanos presentes nesta história.

Para além disso, podem esperar muitas imagens espetaculares e cenários incríveis.

Foto: Keith Ladzinski

Foto: Keith Ladzinski

O esporte de escalada e a necessidade de viagens parecem ter de conviver sempre. Na sua opinião quais são os lugares que todo escalador tem de ir ao menos uma vez na vida?

É sempre difícil dizer quais os melhores lugares, há muitos.

Depende muito do gênero de escalada que se está à procura…

Eu acho sempre que o melhor é ir ao maior numero possível de sítios!

Foto: José Ferreira

Foto: José Ferreira

Se fosse para você enumerar quais são as pessoas que mais apoiaram você no esporte, quais seriam?

Aqui em Portugal a comunidade escaladora é muito pequena e muito unida, acho que o maior apoio que tenho é deles mesmo!

Você já visitou o Brasil ou América do Sul para escalar? Como foi a experiência?

Nunca fui à America do Sul, mas está na minha lista de prioridades!!

Gostaria muito de fazer uma viagem grande por vários países da America do Sul.

Muito se discute que o futebol “rouba” a atenção da mídia. Você concorda com este tipo de afirmação? Porque?

O futebol é dos desportos que move mais gente no mundo e consequentemente dos que move mais dinheiro…

Claro que me faz confusão haver tantos milhões a gritar desde o seu sofá para a televisão, e de existir uma ligação tão forte entre as pessoas e clubes de futebol…

Vai ser sempre para mim uma matéria inexplicável!

Os esportes outdoor como um todo se popularizaram muito nos últimos 10 anos. Você acha benéfico ou não este crescimento?

Claro que é benéfico por um lado e pode não ser tão benéfico por outro. Mais gente significa mais meios, mais apoios, etc.

Mas também significa mais regulamentos, mais controle, mais impacto, etc.

E já existem reflexos disso em alguns dos sítios de escalada mais famosos!!!

Foto: Acervo Pessoal Leopoldo Faria

Foto: Acervo Pessoal Leopoldo Faria

Para uma pessoa que deseja chegar ao mesmo nível que você. Quais seriam os conselhos que daria?

Acho que se a paixão de alguém for realmente escalar, vai acabar por lá chegar…

Eu nunca escalei com o objectivo de chegar a um determinado nível, a unica coisa que queria era escalar mais e melhorar como escalador, e com o passar dos anos isso foi acontecendo!!

Existe o pensamento de que “arrependemos somente do que não fizemos”. O que você arrepende de não ter feito?

Há muita coisa que não vamos conseguir alcançar nesta vida, no entanto, acho que se realmente queremos muito uma coisa, devemos ir atrás dela, por mais absurdo que a ideia nos pareça! 

Para mim falhar não é vergonha…

Foto:Hands Up

Foto:Hands Up

Foto: Ricardo Alves

Foto: Ricardo Alves

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.