Entrevista com Gabi Oliveira

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

Algumas pessoas são dotadas de muita luz interior, e que basta olhar para o sorriso, a voz e gestos para saber que a pessoa é diferenciada.

De gente que sabe ser sol mesmo quando a vida está nublada.

Se existe alguém que se encaixa neste tipo de descrição é a goiana Gabi Oliveira, fanática escaladora de boulders de cocalzinho e reconhecida profissional do Corpo de Bombeiros de Pirenópolis.

Gabi é uma  destas pessoas que se existissem mais pelo mundo viveríamos em um planeta melhor.

Por isso a Revista Blog de Escalada procurou Gabi Oliveira para uma entrevista para que todos os leitores pudessem conhecer de perto suas opiniões e pensamentos.

Gabi-Oliveira---acervo-pessoal3

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

Quer saber porque tantos elogios ? Leia a entrevista abaixo

 Gabi, como é para um escalador morar em Pirenópolis?

Eu sempre tive vontade de morar aqui em Piri, mesmo antes de escalar.

Depois que eu conheci a escalada, a vontade só aumentou e quando surgiu o concurso eu vi a oportunidade perfeita de morar num lugar legal, perto da pedra e trabalhar com algo que eu me amarrasse.

Para mim é a realização de um sonho, por enquanto eu tô curtindo muito!!!!

Você como moradora de Pirenópolis, uma pergunta que todos querem fazer: O Morro do Cabeludo será reaberto para escaladores, ou é um caminho sem volta?

O Morro do Cabeludo está fechado não só para escaladores, mas para qualquer tipo de visitação.

Eu não acho que o seu fechamento seja um caminho sem volta, a AEP (Associação dos Escaladores do Planalto Central) é a instituição que luta pela manutenção, liberação e viabilização da escalada no parque, eles sempre participam das reuniões do Conselho de Defesa do Meio Ambiente e pouco a pouco os escaladores têm cada vez mais voz em relação as decisões sobre o parque.

Não é segredo para ninguém que há muitas pessoas que medem o valor do escalador pelo grau escalado. O que você pensa deste tipo de pensamento?

Eu penso que quem pensa assim é paga pau moooor.

O grau é a reflexão da sua dedicação e talento para A ESCALADA, tem momentos na vida que damos prioridade à outra coisa que não seja escalada, tipo: família, trabalho, estudos, então a escalada vai estar em segundo plano, e obviamente você não vai estar na sua melhor fase.

Se nesses momentos você pensar como esse cara, só vai sofrer e nunca vai desfrutar de todas as outras coisas que envolvem a escalada: a natureza, a parceria, o bullying nos amigos e a cachu depois do climb.

Foto : Alvaro Alves

Foto : Alvaro Alves

A produção de filmes de escalada teve uma explosão nos últimos anos. Porque a produção de vídeos de escalada em Pirenópolis não evoluíram para um grande filme?

Sempre rola algumas filmagens de boulders daqui na internet, muitos de qualidade, bem produzidos e editados, mas fiiiiiiiiiilme mesmo eu só conheço o da NoDab, o The Firsts.

Antigamente a NoDab fazia umas sessões de filmes de escalada no Cine Ouro, um pequeno cinema cultural de Goiânia, era muito massa assistir filmes de escalada com a galera comendo pipoca e potocando.

A galera da produtora Pedra Viva sempre solta uns curtas legais, quem sabe eles não estão planejando isso também, seria ótimo.

Os organizadores do festival Pedra Viva criaram o guia de escalada mais moderno do Brasil. Na sua opinião a criação do Guia de escaladas de cocalzinho está próxima de ser lançado também? Porque?

Não tenho noção de nada sobre o guia de cocal.

Mas seria irado, eu mesma não conheço todos os blocos abertos e ainda me perco.

É pedra demais!

Você como parte do Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás, como visualiza a preparação dos escaladores para situações de primeiros socorros e até mesmo resgate de acidentados?

Não só os escaladores mas a população em geral, não tem praticamente nenhuma noção de primeiros socorros, mal sabem fazer uma massagem cardíaca ou uma imobilização, e é algo simples que pode manter a vítima viva até a chegada do/ao socorro especializado mais próximo.

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

O problema é que nosso esporte é praticado também em áreas remotas ou de difícil acesso, então é imprescindível que as pessoas que curtem essas aventuras tenham noções não só de primeiros socorros, mas de auto-resgate e resgate em barrancos.

A gente sempre acha que não vai dar em nada aquela escaladinha do final de semana, mas pode dar merda, e aí, você vai querer entrar numa fria na companhia de um brother fera em primeiros socorros e auto-resgate ou com o zela que esqueceu o saquinho de magnas em casa?

Como faz para se manter em forma? Somente escalar em rocha basta?

Uaaaaaaaaaiii…Minha” pochete” é eterna, já aceitei, mas eu gosto de dar uma corrida, de pedalar, de caminhar no mato…

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

Se é esporte, menos xadrez, eu já curti!

O problema é que eu gosto de comer demaaaaaaais também…

Das escaladoras existentes quais são, e porque, a sua maior fonte de inspiração ?

Das antigas tem a Lynn Hill, que foi uma visionária, pensa, primeira PESSOA a escalar a The Nose toda em livre, uma titã.

Atualmente eu piro muito para coragem e para os feitos da Steph Davis na escalada e no base jump, ela é fera!!

Tem também a Nina Caprez, monxxtra, curte tudo que seja escalável, não importa se é boulder, esportiva ou parede, ela quer morder a pedra!!!

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

O número de mulheres na escalada teve um crescimento acentuado nos últimos anos. Na sua opinião como é o perfil das mulheres escaladoras do Brasil?

É difícil dizer um perfil da escaladora Brasileira.

Tem tudo quanto é naipe , vai desde a Zela que manda V1 à Paty que manda V7, mas com certeza o número de mulheres está aumentando.

Era raro ver um bonde feminino, agora a mulherada se agiliza e tá ficando muito forte.

Há 2 anos atrás organizamos um encontro feminino sem segundas intenções, o COCALCINHAS , que estiveram presentes aproximadamente 20 meninas e foi super divertido.

Com muitas idéias e vontade de organizar algo de maior proporção, ano passado fizemos a segunda edição do evento que teve muita escalada, festinha e sorteio de vários prêmios legais.

Esse ano, nos dias 12, 13 e 14 de setembro, realizaremos o COCALCINHAS 2014 aqui no Parque dos Pireneus, em Cocalzinho/ Pirenópolis – GO e estão todAs e todOs convidados!!!!!!

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

Foto : Acervo Pessoal Gabi Oliveira

Sobre o Autor

Luciano Fernandes

Luciano Fernandes

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.