Entrevista com Ariana Gebrim

Foto: Acervo Pessoal Ariana Gebrim

Foto: Acervo Pessoal Ariana Gebrim

Tendo como o principal atrativo para escaladores nada menos do que um dos melhores lugares do mundo para a prática de boulder, é até natural entendermos que atletas da região de Goiânia e Brasília se interessem  mais pela modalidade do que outras.

A facilidade de acesso a Cocalzinho-GO e Pirenópolis-GO faz com que não seja incomum escaladores que se dedicam de corpo e alma à modalidade atingirem feitos consideráveis.

Pelos infinitos boulders de cocalzinho brasilienses e goianos gastam boa parte de seu tempo na tentativa de cadenas.

Uma destas escaladoras dedicadas à modalidade é Ariana Gebrim, que é reconhecidamente dos grandes nomes do Distrito Federal quando o assunto é escalada em boulder.

Sendo citada por 10 de cada 10 escaladores como uma das mais dedicadas e fortes do Centro-Oeste brasileiro, Ariana Gebrim também é reconhecida pela sua simpatia e paixão pelo universo outdoor e por prezar pelo contato com a escalada.

Foto: Acervo Pessoal Ariana Gebrim

Foto: Acervo Pessoal Ariana Gebrim

Ariana gentilmente respondeu ao nosso pedido de entrevista, e soltou a letra.

Ariana, para quem é boulderista, escalar em Cocalzinho-GO é como estar no paraíso? Porque?

É como estar no paraíso porque tem um mar de pedras para escalar, existem milhares de formações diferentes, tamanhos, estilos.

Cocalzinho é tão grande que ainda tem muitas pedras a serem exploradas.

Brasília hoje possui 3 ginásios de escalada (Ibiti, Primata e UBT) e um muro localizado na UNB. Hoje o Distrito Federal pode ser considerado um grande centro de escalada?

O Distrito Federal pode ser considerado um grande centro de escalada sim,pois a concentração desses ginásios são no centro da cidade com fácil acesso.

No ano de 2013 não houve campeonatos de escalada. Na sua opinião qual seriam os motivos que levaram as competições definharem?

Eu fiquei 2 anos sem escalar com foco nos estudos, e foram os anos de 2012 e 2013.

Muito se discute sobre a relação de escaladores esportivos e as Federações e Associações de escalada. Na sua opinião, você acha que as federações e associações de escalada estão alinhadas com a nova geração de escaladores?

Não participo ainda de nenhuma Associação ou Federação, não sei te responder sobre este assunto.

Foto: Acervo Pessoal Ariana Gebrim

Foto: Acervo Pessoal Ariana Gebrim

 Hoje no Brasil não há um volume de vias fáceis abertas (de 3º a 5º). Na sua opinião isso atrapalha no crescimento do esporte?

Foto: Acervo pessoal Ariana Gebrim

Foto: Acervo pessoal Ariana Gebrim

Na minha opinião acho que não atrapalha, na época que comecei a escalar já comecei entrando nos 6º graus e não senti falta de graus mais baixos.

Os treinos de hoje em dia passados no muro você já adquiri a força e a resistência para começar malhando os 6º graus.

Na sua opinião quais são os melhores lugares do Brasil para a prática de Boulder?

Os melhores lugares para a prática além de Cocalzinho-GO, são Belo Horizonte -MG que tem muitas regiões como Sabará, Conceição, Ouro Preto e Piedade com potencial grande de boulders.

Tem também São Paulo na região de São bento e Ubatuba.

Você possui algum projeto pessoal para 2014? Qual é?

Meu projeto para 2014 é treinar muito no muro para voltar em forma e mandar quem sabe meu primeiro V10.

Foto: Acervo Pessoal Ariana Gebrim

Foto: Acervo Pessoal Ariana Gebrim

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.