Entrevista com Antonio Moya

Morar na Patagônia parece um sonho para todo e qualquer montanhista no mundo.

Inegavelmente, lá é considerado um dos melhores destinos para a prática de praticamente todo e qualquer esporte de montanha existente no mundo.

Ser escalador e morar na região de Bariloche então parece soar como um conto de fadas no imaginário dos praticantes do esporte, porque lugares como El Frey, Valle Encantado, El Bolsón e Piedra Parada estão a pouca distância, e possui uma quantidade de vias imensa.

O argentino Antonio Moya possui esta felicidade : crescer na região de Bariloche e desenvolver-se em esportes de montanhismo desde pequeno.

Sempre simpático e educado, tornou-se dos fortes escaladores da região.

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

Esta paixão de dedicação fez com que Antonio se mudasse para uma outra cidade para ajudar a administrar um muro de escalada.

Para saber como anda a situação das escaladas da região, assim como conhecer coo é a realidade da escalada na Patagônia procuramos Moya para uma conversa e fomos prontamente atendidos.

Antônio você começou a escalada e praticou por muito tempo na Patagônia. Como é a vida de um escalador patagônico?

Comecei a escalar a um pouco mais de 10 anos, primeiro em rocha, mas como vivia longe dela, todo meu desenvolvimento foi em um muro pequeno.

Logo me mudei a Bariloche e comecei a escalar muito na rocha e durante o inverno descansava !

A verdade é que a maioria dos escaladores não somente escalam, também por estar cerca das montanhas esquiam, caminham, etc.

No verão se escala e no inverno se esquia e treina-se no muro para estar preparado para a temporada.

Quanto ao clima, é muito instável !

O vento é quase onipresente, quando se vai o sol sempre tem de ter um casaco à mão, não é como estar na praia… hahahahah

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

Apesar de ser um dos mais populares de destino de escalada em rocha, não existem muitos ginásios de escalada para treinar em Bariloche. Você saberia dizer o motivo?

Em Bariloche ocorre o seguinte : como o verão é tão bom para ir para a rocha, ninguém vai no muro, pois ele é somente para o inverno.

A escalada indoor não está muito desenvolvida na Argentina, mas está crescendo !

Hoje felizmente há cinco muros em Bariloche e isso faz com que haja muitos escaladores novos!!

Um dos melhores destinos de escalada em rocha do mundo, o Valle Encantado, é fechado grande parte do ano para escaladas. Você acredita que algum dia vai ser permitido escalar todo o ano lá ?

Sim, desde o ano de 2010 o Valle Encantado está fechado durante os meses de dezembro, janeiro e fevereiro.

Esta época coincide com as férias de muitas pessoas e era a temporada de onde enchia.

Foi lá que conheci você ! hahaha

Conheci também chilenos, brasileiros, portenhos…

Pessoas de todos os cantos !

Por isso havia tanta circulação de pessoas que os donos do lugar decidiram fechar estes meses.

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

A falta de consciência das pessoas as leva a não cuidar destes lugares tão incríveis, algo verdadeiramente lamentável, mas é compreensível que se restrinja o acesso.

Isso porque não somente a contaminação por lixo prejudica o lugar, mas também o transito descontrolado de pessoas termina por destruir a flora do lugar.

É importante que tenhamos consciência disso !

Entretanto é possível ir durante o resto do ano, menos nos meses que está fechado.

Hoje você administra um ginásio no interior da Argentina. Como é a realidade de um muro de escalada no interior do país ?

Sim, abri a quase 3 meses minha própria sala de boulder : “Colonia Vertical”.

Está em uma cidade longe das montanhas e de todo esporte que nelas se pratique.

É lindo dar às pessoas a possibilidade de conhecer uma atividade tão fora da realidade do lugar que vivem, demonstrar que tudo é possível !

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

Sobretudo que escalar é muito bom !

Felizmente a atividade está crescendo pouco a pouco e cada vez mais há pessoas que se dedicam à escalada, seja como escaladores, seja na fabricação de agarras e equipamentos, ou na organização de encontros e competições.

Isso facilita o desenvolvimento do esporte tanto a nível privado como público.

Seria ideal que desde os mais diferentes municípios e também a nível estadual e nacional se desse importância para a escalada.

Sobretudo porque dentro do país há muita atividade de montanha, por isso acredito que deveria dar oportunidade às atividades relacionadas a isso.

Por isso que considero importante o fato de que se instalem muros nas diferentes cidades da Argentina. Significa um esforço grande comprometer-se com este crescimento, porque há de começar do zero em alguns casos.

Eu faço porque amo o esporte e quero vê-lo crescer !

No ano de 2012 houve um Petzl Roc Trip na Argentina. Você acredita que seja possível existir outro evento do mesmo tamanho? Onde poderia ser?

O Petzl Roc Trip foi um evento muito grande !

Quem dera se desenvolvessem mais lugares como Piedra Parada, pois na Argentina há muito potencial e a escalada esportiva está crescendo muito !

Em Bariloche abre-se setores novos constantemente, também no sul de Mendoza há muitas possibilidades.

Sobram rocha, provavelmente o que falta é apoio de parte das grandes marcas ou até mesmo do governo estadual e federal para auxiliar eventos deste tipo.

As importações na Argentina é um tema delicado. Como as medidas de restrição a importações do governo da Argentina influencia a escalada ?

É muito difícil conseguir equipamentos na Argentina graças às medidas de restrição às importações. Consegue-se poucas marcas e o pouco que entra é a preços muito alto.

É um grande inconveniente, sobretudo para as pessoas que começam a escalar e que vê o equipamento é muito caro e que custará pratica-lo. Acredito que isso freia um pouco o desenvolvimento do esporte.

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

Eu não estou de acordo com a medida, mas olhando o lado positivo é uma boa oportunidade para desenvolver a indústria nacional que é o principal objetivo que o governo possui ao aplicar esta restrição.

De qualquer maneira, no momento, necessitamos do desenvolvimento tecnológico necessário para fabricar equipamentos técnico de escalada.

Isso gera uma contradição.

Enquanto isso, temos de comprar em outros países, como por exemplo o Chile.

Para quem está interessado em visitar, ou até mesmo mudar para a Argentina, quais são os lugares que você indicaria para eles conhecerem ou viverem?

Existem lugares “da moda” como Bariloche e região, que muitos escaladores visitam durante as férias, mas há muitos outros lugares para escalar com uma qualidade de rocha excepcional e umas vistas espetaculares.

Piedra Parada é um destes lugares, se for fanático por escalada esportiva !

Tudo depende das preferências de cada um, pois se gosta a escalada clássica ir ao Frey ou Arenales em Mendoza é  ideal.

Já se gosta de boulder Chaltén é uma boa opção, e além mesmo se aprecia fazer trekking ou ir à montanha !

Felizmente há para todos os gostos !

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

Foto : Arquivo Pessoal Antonio Moya

 

Sobre o Autor

Luciano Fernandes

Luciano Fernandes

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.