Entenda como o enfrentamento desaparece com o medo de altura

Primeiramente, é necessário dizer que : todo escalador em algum momento (por mais esporádico que possa ser) sente medo.

A intensidade, e a transformação em “pânico”, varia de pessoa a pessoa e o jeito de enfrentar este medo é que faz com que um escalador menos forte vá mais longe que um melhor preparado fisicamente.

Porém existem pessoas que só de pensar em olhar para baixo em uma altura mediana sente um arrepio subir pelas costas, o estômago embrulhar e uma necessidade intensa de abraçar o chão.

Quem sofre com medo de altura se altera emocionalmente que pode parecer absurdo aos olhos dos outros. Ter medo de altura é natural e não há nenhum mal em sentir isso.

Alguns escaladores, até mesmo experientes, tremem só de pensar em chegar perto dos terraços de um prédio.

Mas escalador não deveria não sentir este medo ? Como entender isso ?

Esta sensação é chamada de fobias específicas, pois o medo está ligado a alguns lugares.

No caso do salto, o escalador desenvolve segurança suficiente para enfrentar o medo.

Obviamente o domínio da técnica tem muito a ver com isso com esta segurança para enfrentar o medo. Quanto mais escalar, mesmo vias fáceis fará com que a repetição de movimentos ajude a compreender por que um escalador consegue vencer o desafio.

Realizando o que muitos chamam de “base da pirâmide” (escalar várias vias de um grau “x” para se preparar para um grau “x=1”) o escalador está fazendo uso de um dos procedimentos da terapia cognitivo-comportamental para dissolver esse tipo de conflito.

medo-de-altura-2
A psicoterapia cognitivo-comportamental estimula o paciente a expor-se gradualmente frente à situação causadora do medo, assim a pessoa vai se desfazendo de crenças irracionais.

Obviamente que se o atleta puder realizar com acompanhamento profissional é fundamental, pois há risco de que o trauma torne-se ainda maior. Importante salientar que técnicas de “treinar quedas” nunca serão eficazes para eliminar o medo diretamente.

Estimular alguém a conviver com o medo é completamente inadequado pois a sensação ruim não só é mantida, como também causa prejuízos no dia-a-dia do individuo, não há por que fazer isso.

Ninguém nasce com medo de altura, portanto o sentimento, que é natural como o instinto de segurança e sobrevivência, surge em reação a estímulos de ameaça.

Mas, alguns episódios, podem fazer com que essas situações tornem-se impeditivas, atrapalhando atividades corriqueiras como passear por uma varanda mais alta.

O tratamento é teórico e prático, envolvendo exercícios com enfrentamento direto do medo.

Fazer de conta que nada acontece pode trazer  ansiedade e depressão além prejudicar a vida pessoal, profissional e tornar o ato de ir escalar uma tortura.

Portanto o melhor treinamento de enfrentar o medo de altura na escalada é a prática constante de técnicas corporais de escalada, aprendizado diário de conhecimentos técnicos e estudo periódico de equipamentos e seu uso.

Sobre o Autor

Luciano Fernandes

Luciano Fernandes

Engenheiro e Analista de Sistemas, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha e Argentina. É totalmente dedicado ao esporte de escalada em rocha e é apaixonado em filmes Outdoor. Para aproveitar melhor esta paixão fez curso de documentário na Escola São Paulo, além dos cursos de “Linguagem Cinematográfica” e “Crítica de cinema”. Foi jurado do Rio Mountain Festival. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Espanha, Uruguai e Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá.

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.