Entenda as diferenças entre Pilates e Treinamento Funcional

Texto escrito com a colaboração de Karina Ueno, professora de educação física e instrutora de Treinamento Funcional.

treinamento-funcional-forca

Quem gosta de atividade física com certeza já ouviu falar sobre duas modalidades que estão “em alta” recentemente: o PILATES e o TREINAMENTO FUNCIONAL.

Como escolher a melhor modalidade para seus objetivos?

E o que elas tem em comum?

É possível realizar as duas, com objetivos complementares?

Para entender melhor, vamos comparar a ação de cada uma delas nas diferentes habilidades corporais:

Qual é melhor para ganhar força muscular?

Tanto o Pilates como o Treinamento Funcional trabalham a força muscular por meio do peso corporal e acessórios, resultando no aumento de força sem hipertrofia – ideal para quem quer definição de braços, pernas e abdômen, sem ficar “bombado”.

Outro fator comum das duas modalidades é que ambas realizam movimentos globais, nos quais é necessário ativar diversos grupos musculares ao mesmo tempo.

Qual é melhor para o alongamento?

Pilates.

Apesar de ser uma habilidade trabalhada em ambos os treinos, o Pilates utiliza alongamentpilates-equilibrioos mais intensos, com grandes amplitudes de movimento, que são requeridas durante toda a prática.

O Treinamento Funcional, por sua vez, utiliza o alongamento dinâmico durante o treino, principalmente no treino regenerativo; porém na maioria dos exercícios utilizam-se amplitudes de movimento menores que as do Pilates.

Qual deles trabalha mais o equilíbrio?

Ambos trabalham o equilíbrio, já que esta capacidade é exigida em todas as posturas e movimentos realizados durante as aulas.

Além disso, também são treinadas habilidades fundamentais para o equilíbrio, como tempo de reação muscular e ajustes em relação aos desequilíbrios antecipatórios e compensatórios a um movimento.

Qual irá melhorar meu condicionamento cardiovascular?

O Treinamento Funcional é a atividade ideal para melhorar o condicionamento cardiovascular, pois exige movimentos ritmados e em forma de circuito, não deixando que o aluno “fique parado” durante a prática.

Desse jeito, ocorre a elevação da frequência cardíaca (FC), necessária ao treino de condicionamento.

Já o Pilates não é considerado um exercício aeróbico, pois não costuma ter a intensidade necessária para o aumento da FC; principalmente no Pilates com aparelhos (Pilates Studio), onde há necessidade de paradas para trocas de aparelhos.

Com qual deles vou emagrecer?

pilates-flexibilidadeOs exercícios que resultam na maior perda de peso são os aeróbicos, como é o caso do Treinamento Funcional, onde muitas calorias são “queimadas”. Já o Pilates não está nesta categoria.

É claro que no Pilates também temos certo gasto calórico (qualquer atividade física gasta calorias), mas só haverá emagrecimento se o gasto for menor que o consumo.

E qual devo fazer para melhorar minha respiração?

-A respiração é um dos princípios mais importantes tanto no Treinamento Funcional como no Pilates; e todos os exercícios são coordenados com a respiração.

No Pilates, ela é sempre realizada de forma lenta, trabalhando no máximo das capacidades inspiratórias e expiratórias, além de facilitar a contração do abdômen.

No Treinamento Funcional, apesar dos exercícios serem mais rápidos, é exigido um padrão semelhante da respiração.

Qual deles é bom para treinar a coordenação motora?

A coordenação envolve a capacidade de fazer movimentos diferentes e concomitantes, com diferentes segmentos do corpo.TF_condicionamento

Tanto o Pilates como o Treinamento Funcional são exercícios globais, em que todo o corpo trabalha ao mesmo tempo, sendo ótimos para a coordenação.

Com qual trabalha-se a agilidade?

Treinamento Funcional. O ¨Treinamento Funcional é ótimo para esta habilidade, já que trabalha movimentos rápidos e tempo de reação aos estímulos. Como o Pilates trabalha movimentos mais fluidos, não é o ideal para esta capacidade.

Qual é melhor para a postura?

Pilates.

Um dos princípios do Pilates é o alinhamento postural, ou seja, todos os exercícios devem ser feitos na postura “ideal”. Dessa forma, qualquer desalinhamento de um segmento corporal será constantemente corrigido pelo instrutor.

Além disso, o Pilates trabalha muito a estabilidade, por meio dos músculos profundos, posturais.

O Treinamento Funcional também trabalha muito esses músculos, ajudando assim a postura; porém como os movimentos são mais rápidos, os ajustes e correções posturais são menos precisos.

Qual o melhor para o CORE?

pilates_power_houseHoje em dia fala-se muito no trabalho do CORE, principalmente no Treinamento Funcional. O CORE é o conjunto de músculos do tronco (abdominais, paravertebrais, diafragma e assoalho pélvico), que no Pilates é chamado de Power House.

O CORE / Power House, assim como a respiração, também é um dos princípios fundamentais das duas técnicas, e é trabalhado em todos os exercícios.

Assim, vemos que o Pilates e o Treinamento Funcional tem muito em comum: trabalho integrado de CORE / Power House e respiração; movimentos globais, utilizando todos os segmentos corporais ao mesmo tempo (como acontece no nosso dia-a-dia); trabalham a força muscular por meio do peso corporal, com o foco na definição muscular; e exigem muito do equilíbrio.

Além disso, cada um tem suas especificidades, que apesar de trabalhadas mais enfaticamente em uma técnica, estão também, em menor escala, presentes na outra.

Portanto, concluímos que Pilates e Treinamento Funcional são técnicas complementares, que se realizadas em conjunto e sintonia irão garantir uma evolução corporal completa.

Banner_Denise600X100

-Graduada em Fisioterapia pela Universidade de São Paulo
-Aprimorada pelo Hospital das Clínicas
-Formação com ênfase em Fisioterapia Esportiva e Biomecânica
-Especialista em Pilates pelo método Pilates Postura Funcional
-Colunista na Revista Pilates
-Docente no Curso de Formação em Pilates Postura Funcional.

There are 5 comments

  1. Juliana

    “Já o Pilates não é considerado um exercício aeróbico, pois não costuma ter a intensidade necessária para o aumento da FC; principalmente no Pilates com aparelhos (Pilates Studio), onde há necessidade de paradas para trocas de aparelhos.”

    Tem certeza??? Já fez uma aula de Pilates de verdade??? Procure um estúdio clássico.

  2. Luciana

    Gostei muito das informações, sou uma ex-aluna de academia, que após 10 anos de sedentarismo tenta fazer exercícios aeróbicos e com pesos em casa sem sucesso, vou tentar adicionar as duas modalidades em casa mesmo, como faço atualmente e acredito que terei melhores resultados do que só utilizando aeróbica e local.

  3. Natallia Dias

    Bom artigo. Mas uma diferença primordial é que o pilates trabalha na força excêntrica tornado a atividade altamente descompressora e tb a força auxotônica que encontramos somente nas molas e faixas elásticas o que muda bastante o tipo de estímulo…

Comente agora direto conosco

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.